RÁDIO KATIVA WEB

sábado, 5 de março de 2011

Sindicato e identidade

Na contramão do provincianismo coronelístico, servidores públicos arranharam a imagem dos poderosos, que jamais tiveram sua vaidade contestada. Fizeram História no último dia 3, protestando pacificamente, por melhoria nas condições de trabalho, respeito e aumento salarial. Reivindicação justa feita com um protesto organizado e ordeiro como manda nosso Estado DEMOCRÁTICO de Direito.“Foi uma honra participar, lavar a alma, mostrando a toda população araguarina, nossa indignação, contra o” Novo Modelo Facista”.
Nossa economia, sempre fechada, baseada na agricultura, e via de regra, dificultando empreendedores de fora, evitou que o trabalhador criasse uma mentalidade, uma consciência de classe, o que torna nossa comunidade anacrônica em meio às atuais relações de trabalho. A conjuntura socioeconômica e cultural de nosso município criou para o trabalhador o “mito” de que o patrão é quem deve direcionar os rumos, as melhorias e as condições de trabalho. Transferiu a responsabilidade para o patrão, “docilizando” o operário.
Tal conjuntura criou sindicatos fracos e vinculados ao patrão, como é o caso do SINTESPA, que muito depende da boa vontade do empregador. Apesar de estar engatinhando ainda, que seja pela própria motivação do servidor, em termos de ação, percebemos algumas melhoras. Sim, a manifestação foi condicionada pelos servidores insatisfeitos, talvez mais que pela vontade do SINTESPA, mas seria contraditório dizer que o sindicato não faz nada, já que nós somos o Sindicato. Ainda na contramão dos movimentos sociais é contraditório manter um sindicato que depende do patrão. A diretoria deveria rever essa condição, talvez aumentando a contribuição sindical, o que certamente não agradaria, mas poderia ser posto em análise.
Voltando ao trabalhador que é o mais prejudicado nas relações de trabalho, não devemos lhe imputar totalmente a culpa da inércia em relação à sua condição de explorado. O Modo de Produção Capitalista revestiu-se de alegorias que visam amenizar e mascarar as relações de trabalho. A Psicologia do Trabalho e alguns assistencialismos vulgares impedem que o proletário se insira na condição de explorado. Cria-se panoptismos, em que o discurso discretamente leva um trabalhador a vigiar outro, facilitando assim, uma secção que individualiza o trabalho e falsamente faz o trabalhador sentir-se independente das relações daquele ambiente. Seu sucesso, sua promoção, dependerá dele mesmo. Dividir para conquistar, sutilmente e em pequenas dosagens contínuas.
Partindo destas premissas, creio que o maior problema dos sindicalistas - claro, daqueles que queiram fazer mudanças - é inserir no trabalhador o sentimento de construtor de sua própria História, de sujeito ativo e pertencente a um organismo do qual ele é parte fundamental e agente transformador. Tocar na ferida e fazer entender que seja médico ou serviços gerais, se recebe salário, é proletário e encontra-se na situação de explorado. Alguns vão torcer o nariz, devido à elitização de algumas profissões, e no caso de um sindicato, como o SINTESPA, que abrange várias carreiras, é tarefa árdua, não direi impossível, afinal até semana passada era impossível mobilizar 500 servidores.
Não tenho a pretensão de achar que o trabalhador brasileiro chegue ao nível intelectual do operário francês, por exemplo, que tem na sua estante pelo menos um livro de Sartre. Há uma distância cultural muito grande, e já teríamos de entrar na questão do ensino brasileiro. Tenho a singela pretensão de fazer os atuais e futuros sindicalistas de nossa comunidade entenderem a complexidade das relações de trabalho, as quais se complicam ainda mais com sindicatos de servidores públicos que já envolvem a política. Mas sabemos também que o ser humano é um ser político; portanto, desvincular política do ser humano é quase tentar extinguir a existência do Homo Sapiens.
O primeiro passo é criar uma identidade própria, arraigar-se como sindicato sem assistencialismo ou paternalismo e fazer o mesmo com o servidor. Creio, senhores e senhoras, atuais e futuros sindicalistas, que a semente foi lançada, resta aos senhores e senhoras saberem cultivar. Porém, cultivar para todos e saber repartir a colheita.
Estamos fazendo História! Estamos acordando! Viva o trabalhador, viva o Servidor Municipal de Araguari!

“A necessidade de uma história mais abrangente e totalizante nasce do fato de que o homem se sente como um ser cuja complexidade em sua maneira de sentir, pensar e agir, não pode reduzir-se a um pálido reflexo de jogos de poder, ou de maneiras de sentir, pensar e agir dos poderosos do momento.” (Peter Burke)
Wellington Colenghi
Servidor que certamente receberá advertência por ter participado da paralisação do último dia 3.

Justiça decreta prisão de supervisor regional do Dnit em Uberlândia

Supervisor informou que não foi comunicado oficialmente.


Ele descumpriu determinação de instalar redutores de velocidade.A Justiça Federal decretou a prisão preventiva do supervisor regional do Departamento Nacional de Infraestrutura do Trânsito (Dnit) em Uberlândia, João Andrea Molinero Júnior. Ele descumpriu uma determinação judicial que atendia a um pedido do Ministério Público Federal e não instalou redutores de velocidade na BR-050, entre Uberlândia e Araguari, no Triângulo Mineiro.

A Justiça tinha dado prazo de 90 dias para que o Dnit instalasse dois radares eletrônicos na rodovia, entre os quilômetros 53 e 57. De acordo com o procurador da República Frederico Pellucci, o prazo venceu no dia 22 de fevereiro. “Já tem 90 dias que ele não cumpre uma ordem judicial e, por essa desobediência, foi feito o pedido. Desde o início do ano, mais de 10 pessoas já morreram num trecho de quatro quilômetros”, disse o procurador ao G1.
O procurador disse ainda que pediu nessa sexta-feira (4) o afastamento imediato do supervisor do Dnit. Por telefone, João Andrea Molinero Júnior informou apenas que não foi comunicado oficialmente sobre o pedido de prisão e não quis comentar o assunto.
Sobre a instalação dos radares, a assessoria de imprensa do Dnit informou que o consórcio que administra a rodovia já está trabalhando na instalação dos equipamentos. Até que os radares estejam em funcionamento, a multa é de R$ 10 mil reais por dia.

Fonte: G1
 
Pitaco do Blog
Se estivéssemos num país sério, o mais novo cidadão araguarino iria ver o sol nascer quadrado por alguns dias. Isso, convenhamos, ainda é pouco pelo mal que a omissão do DNIT causou às vítimas e aos parentes de vítimas da BR-050.
Mais um detalhe. O caráter do mais novo cidadão araguarino é muito semelhante à da maioria dos vereadores que lhe outorgaram esse título de cidadania. Na verdade, ao conceder indevidamente essa honraria a quem não merece, os senhores vereadores deram um tapa na cara dos araguarinos usuários da BR-050.

sexta-feira, 4 de março de 2011

Cachimbo da Paz

A imperdível coluna Drops, do Ronaldo César Borges, traz a seguinte nota:
CACHIMBO DA PAZ
Prefeito Marcos Coelho e Wellington Salgado fumam o cachimbo da paz. Depois de uma verdadeira guerra contra o ex-aliado, Salgado finalmente resolve abrir um canal de conversação com o prefeito. Tudo motivado dos resultados das últimas eleições na cidade. Salgado teria afirmado a algumas pessoas de seu círculo que não houve empenho do prefeito e nem do vice na sua campanha. Na verdade, a bronca maior de Salgado teria sido motivada por alguns figurantes da política local que teriam a função de arregimentar votos, recebendo para isso aporte financeiro para um bom trabalho de marketing, fato que não resultou em votos para o ex-senador. Pelo visto, Salgado volta a dialogar, mesmo recebendo as primeiras ações judiciais e pedidos de indenização, feitas no período de bombardeios jornalísticos dos canhões da Rádio Araguari ao Palácio dos Ferroviários. Melhor para Marcão que espera um período de calmaria e poder governar sem oposição da mais poderosa emissora local.
Pitaco do Blog
Política não é uma questão de ideologia, mas sim de mera conveniência. Muda-se de lado com a mesma facilidade com que se troca de roupa. 
E o eleitor? Ele que se lixe! Que faça malabarismos mentais na vã tentativa de entender quem está falando a verdade (se é que tem alguém que faça uso dela).
De qualquer forma, no caso, será engraçado ver Marcão e Salgado subindo, juntos, ao altar em 2012...

Observações

Particularmente, procuro privilegiar a democracia e a amplitude dos debates. Contudo, em certos casos fica difícil manter essa postura. Por exemplo, é muito difícil rebater certos comentários (que podem descambar para violações da honra) se não sabemos quem está do outro lado. Outro exemplo: comentários contendo palavras de baixo calão.
Como não estamos no Observatório Erótico ou no Big Brother, exclui alguns comentários da visitante autodenominada Mirian. Deixei aqueles que, embora fugindo um pouco do tema das postagens, não descambaram para o âmbito pornográfico.
Infelizmente, se essa "faxina" não der resultado, vou ter que me socorrer da moderação, que considero uma medida extrema.
Feliz Carnaval a todos!

quinta-feira, 3 de março de 2011

Fotos da Paralisação

Cerca de 500 funcionários públicos municipais participaram da manifestação realizada hoje pela manhã em frente ao Palácio dos Ferroviários. Eles reivindicam melhorias de salários e de condições de trabalho.
Vejam fotos legendadas da manifestação enviadas pelo arquiteto e blogueiro Alessandre Humberto de Campos.

 Funcionários em frente ao Palácio dos Ferroviários orando o "Pai Nosso"

Funcionários aguardando o Prefeito, mas ele não apareceu.


Retrato da Mãe de Família, cansada de promessas


 Momento em que os funcionários saem da Frente do Palácio e vão para o SINTESPA


Funcionários na luta

Da coluna Em Foco, do Correio de Araguari, edição de hoje, 03.

AUMENTO SALARIAL


Todos têm direito de reivindicar aumentos salariais. Fazê-lo com sucesso requer boa estratégia. Os servidores municipais não estão se guiando bem ao buscar apoio de um ou dois vereadores mais ligados ao Sintespa, pois, ao final, vão precisar dos votos da maioria. A rigor, como fazem, correm o risco de acabar apoiando mais do que sendo apoiados, a par de se afastarem da maioria dos vereadores. Tem gente sendo usada.


Pitaco do Blog
Serem "usados" por um ou outro grupo político é um risco que os servidores acabam correndo. Afinal, políticos de situação ou de oposição são muito parecidos. Em outras palavras, não são santos e querem faturar politicamente em cima dessa demanda dos servidores.
Agora, isso não é motivo para se deixar de lutar. Claro, é preciso distinguir, criteriosamente, quem está efetivamente alinhado com os interesses dos servidores e quem está apenas interessado em colher os louros de uma eventual vitória.
Nesses momentos, é preciso muita inteligência e ponderação por parte dos representantes dos funcionários (que não se confundem necessariamene com os representantes sindicais). É preciso que a persistência seja aliada da capacidade de negociar. Sobretudo, é preciso traduzir a vontade da maioria dos funcionários durante essa negociação.
Boa sorte aos funcionários! Oxalá o novo modelo de administração reconheça o seu erro e o de outras administrações, corrigindo distorções salariais e melhorando as condições de trabalho do funcionalismo. Não há serviço público de qualidade sem servidores motivados.

quarta-feira, 2 de março de 2011

Mobilização do funcionalismo municipal

Ontem, na sessão da Câmara, era muito aguardada a presença do senhor prefeito, Marcos Coelho, e do secretário de Administração, Levi Siqueira, que foram convidados para falar sobre a questão da revisão de remuneração e do plano de cargos e salários do funcionalismo municipal. Contudo, não compareceram sob a alegação de que estariam viajando.
Diante dessa ausência, ambos teriam sido convocados a comparecer à Câmara na próxima sessão, a ser realizada na quinta-feira, 10.
Em entrevista à rádio Onda Viva, o vereador Tiãozinho, presidente do SINTESPA, convocou os funcionários públicos para uma paralisação de advertência no dia de amanhã. A partir da 8 horas, haverá reunião na praça Manoel Bonito, seguida de passeata até o Palácio dos Ferroviários.

Acidente com vítima na BR-050

Mais um acidente foi registrado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), no trecho da BR-050 conhecido como “curva da morte”. Na noite desta terça-feira (1º), uma colisão no km 53, próximo à ponte do rio Araguari, envolveu três veículos.

Um dos motoristas, que não teve o nome divulgado pela PRF, morreu no local. A PRF não soube informar o que teria provocado o acidente, mas no momento, chovia.
No trecho, que fica entre Uberlândia e Araguari, já foi determinada pela Justiça Federal a instalação de duas barreiras eletrônicas para controlar a velocidade e diminuir o número de acidentes e mortes no trecho, mas o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) informou que não há verba disponível para a instalação dos equipamentos.
O prazo para cumprir a decisão, protocolada em novembro de 2010, venceu no início da semana passada. O Dnit recorreu e conseguiu mais cinco dias para instalar as barreiras, mas não conseguiu. O descumprimento implicará multa diária de R$ 10 mil.
Fonte: Correio de Uberlândia

Pitaco do blog
Na segunda-feira, a Câmara concedeu o título de cidadania ao senhor João Andréa Molinero Júnior, supervisor do DNIT em Uberlândia, que é o responsável pelo descumprimento da decisão judicial que determinou a instalação dos radares eletrônicos entre os Km 53 e 57 da BR-050.
Já imaginaram se esse senhor fosse realmente araguarino? Ele teria que enfrentar a BR-050 todos os dias para ir trabalhar no DNIT em Uberlândia. Aposto que, nesse caso, a rodovia estaria em melhores condições, bem menos perigosa para os seus usuários. Mas, como ele só vem a Araguari para receber título de cidadania, nada mudará.

terça-feira, 1 de março de 2011

Saúde recebe mais recursos mesmo sem CPMF

Crescimento do orçamento de 2008 a 2010 foi superior ao período de 2003 a 2007 

O crescimento anual do orçamento do Ministério da Saúde foi superior de 2008 a 2010 (6,4%) do que no período entre 2003 e 2007 (6%), quando o governo não contava mais com os recursos da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF). As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Os índices - que excluem gastos com servidores inativos, pagamento da dívida e Fundo de Combate à Pobreza - demonstram que o aumento recorde foi em 2009, quando a crise financeira fez com que o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro diminuísse 0,6%, enquanto os recursos destinados à Saúde, sem a CPMF, cresceram 14,7%.

No período em que o governo contava com a arrecadação da CPMF, o valor ultrapassou o mínimo estabelecido por lei em 2004 (11,8%) e 2006 (8,3%). A Emenda Constitucional 29 não fixou os índices a serem investidos na Saúde pela União, e o montante é calculado pelo valor do ano anterior somado ao crescimento do PIB.

Estados e municípios devem repassar ao setor de 12% a 15% de seus orçamentos, respectivamente, o que é utilizado como argumento de governadores e prefeitos para a reedição da CPMF.

Autor: Redação 
Fonte: Saúde Business Web

Resposta do ex-secretário de Saúde Edilvo Mota ao(à) anônimo(a)

Prezado anônimo(a)

Contextualizando, para responder de forma justa e adequada suas ilações:

1- A empresa Home Care não foi "posta" na farmácia municipal. Participou de processo licitatório (já ouviu falar?); passou pelo crivo da Comissão de Licitação da Prefeitura, foi habilitada e venceu o certame (termo técnico);

2- Você tem razão: na época ninguém reclamou. Nem você, nem a Câmara Municipal, nem o Ministério Público, nem a imprensa, nem ninguém. Todos perderam ótima oportunidade de exercer o direito de fiscalizar a administração pública. Talvez o medo de ter que se expor (visto que não há como questionar atos do Executivo no anonimato) tenha freado o ímpeto cidadão, que geralmente só é manifestado em mesas de buteco, arquibancadas de futebol ou no anonimato dos blogs. Esta é a chamada indústria da fofoca, futrica...

3- Até "estourar" a operação que levou à prisão os donos e alguns funcionários da Home Care (com sede em São Paulo e atuação em diversas cidades do país) nenhum indício havia de qualquer tipo de irregularidade. Quem sabe se a Câmara Municipal de Araguari (ou quem sabe você mesmo(a))tivesse sido mais diligente e atuante, pudesse ter levantado algo?! Se houvessem acompanhado o processo licitatório, quem sabe a empresa fosse impugnada, com apontamento de argumentos plausíveis (sem anonimato, claro);

4- O caso "estourou", se não me engano, no final de 2008; por mera circunstância, eu havia pedido exoneração em março/2008. Mas, ainda que estivesse no cargo, o fato em nada afetaria minha conduta e não me causaria qualquer tipo de preocupação (como até hoje não causa);

5- Fazer referência às "bênçãos" do prefeito de Uberlândia, somente reforça a mentalidade provinciana que ainda domina boa parte da população de Araguari, que insiste em enxergar a metrópole ao lado como inimiga. Isto é fruto da tal "síndrome de vira-latas" da qual falava o dramaturgo Nelson Rodrigues (se não sabe quem foi, recomendo a leitura de seus textos e a assistência de suas inúmeras peças e filmes, levados ao ar pela televisão e o cinema);

6- Curiosamente, após ter "estourado" o caso Home Care (final de 2008) com a prisão de várias pessoas da empresa, no início de 2009 o atual governo contratou para gerenciar a Farmácia Municipal, justamente o ex-gerente da Home Care na região, o Sr. Renato Garcia (que segundo informações, não comprovadas, também teria tido que prestar esclarecimentos à Polícia Federal; o que, convenhamos, não o incrimina de plano). Porém, ao contrário do que você faz aqui, não estabeleço juízo de valor sobre o Sr. Renato Garcia. Mas é fato que ele prestou (ou ainda presta) serviços ao Novo Modelo de Administração, que é soberano para contratar e demitir. Neste caso, mais uma vez, tanto a Câmara Municipal, quanto a imprensa, você ou qualquer outro cidadão, deixaram de fiscalizar o poder público e não fizeram qualquer tipo de questionamento.

7- Exerci o munus público de forma profissional e na estrita observância dos limites da lei. Não prevariquei, não transigi no cumprimento das atribuições legais, não me corrompi, não me escorei em padrinhos políticos para assumir nem me manter no cargo. Justamente por isto, posso me manifestar de forma aberta, sem receio de expor meu nome ao crivo da sociedade ou da Justiça. E também não preciso ter medo de agentes políticos, aos quais respeito mas não devo favores (nem aos anteriores nem aos atuais).

É uma enorme satisfação poder ter prestado relevantes serviços ao município de Araguari (desde que aqui cheguei há 15 anos) e não precisar me esconder sob o manto covarde do anonimato.

Estarei sempre à disposição de qualquer cidadão, para prestar esclarecimentos dos atos e fatos ocorridos na Saúde Pública durante minha gestão (01.01.2005 a 31.03.2008). Da mesma forma, continuarei como sempre estive, à disposição do Poder Legislativo, do Ministério Público e do Poder Judiciário, para prestar contas dos atos sob minha responsabilidade no exercício da função pública.

Arrume coragem no fundo do baú, experimente as delícias da liberdade de expressão e se livre das amarras da covardia do anonimato. Se for preciso, peça autorização aos padrinhos políticos.

No mais, meus votos de respeito pelo seu direito democrático de expressão e meus agradecimentos pela menção à nobreza de minha pessoa, menção esta que fica por conta da sua generosidade.

Tenha uma ótima semana...

Postagem em destaque

Secretaria não apresenta informações solicitadas por associação

  A Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo deixou de prestar informações solicitadas pela Associação do Direito e da Cidadania de...