RÁDIO KATIVA WEB

quinta-feira, 30 de janeiro de 2020

Transparência Internacional: Governo Bolsonaro interfere no combate à corrupção
















A entidade não governamental Transparência Internacional criticou o governo Bolsonaro pela "crescente interferência política nas instituições anticorrupção" e as decisões do STF sobre delações premiadas.

De acordo com a entidade, o combate à corrupção, apesar de ser o ponto central da campanha do presidente Jair Bolsonaro, acabou sofrendo "uma série de contratempos legais e institucionais”.

A Transparência Internacional criticou o presidente por interferências em órgãos como a Receita Federal e a Polícia Federal e também por ter rompido a tradição de escolher alguém da lista tríplice para o cargo de Procurador-Geral da República.

A organização lamentou também as decisões do Supremo Tribunal Federal (STF), que complicam a luta contra a corrupção, como a anulação das delações premiadas.

Saiba mais:
Brasil alcança sua pior colocação no Índice de Percepção da Corrupção

Países mais e menos corruptos do mundo



quarta-feira, 29 de janeiro de 2020

O governo sempre tem dinheiro para os bancos












Quase 1 bilhão de reais por dia destinado aos bancos e rentistas. Enquanto isso, serviços públicos essenciais, como saúde e educação, vão sendo sucateados.

Já falamos sobre isso. Mostramos que o governo retira dinheiro de áreas sociais (reduzindo direitos de aposentados, por exemplo) para destinar aos banqueiros (clique aqui).

Parem de sabotar o governo Bolsonaro!


quinta-feira, 23 de janeiro de 2020

Brasil alcança sua pior colocação no Índice de Percepção da Corrupção


















Brasil caiu uma posição no Índice de Percepção da Corrupção em relação a 2018. 35 pontos em 100 possíveis. Atingiu assim a 106ª colocação: a pior posição já ocupada pelo país na série histórica desse indicador aferido pela Transparência Internacional.

Países mais e menos corruptos do mundo



















Os países mais e menos corruptos do mundo no último ano foram revelados hoje pela organização não governamental Transparência Internacional. De acordo com o estudo anual da entidade, que avalia 180 países, a maioria deles não está avançando o suficiente no combate à corrupção.

O ranking vai de zero a 100. Quanto menor a corrupção, maior a nota do país.

domingo, 19 de janeiro de 2020

Intervenção militar no INSS


Rachadinha?



















Tempos atrás, um assessor de vereador faleceu. Ao buscar o direito à pensão por morte, a família do falecido teve uma surpresa. Descobriu que o valor do salário pago pela Câmara era maior do que a quantia efetivamente recebida mensalmente pelo assessor.

Sobre esse fato, um amigo ponderou: se esse vereador, que é uma pessoa simplória, já surrupia parte do salário do assessor, imagine os mais espertos?

Usando o serviço público para fazer piada com pessoa morta



Evandro de Araújo Paulo, assessor da deputada federal Bia Kicis (PSL-DF), usou as redes sociais para fazer piada com a morte da ex-vereadora Marielle Franco. No dia 31 de dezembro, ele  publicou no Facebook uma foto ao lado de uma camiseta com o desenho da vereadora assassinada, e a frase: "Marielle vive, enchendo o saco (sic)".

De acordo com a Épocaa fotografia foi tirada dentro do gabinete da deputada e foi bloqueada pelo Facebook por causa do "conteúdo cruel ou insensivo". Evandro é assessor da deputada desde o primeiro dia de mandato e recebe R$ 4,2 mil por mês.














Em nota, a deputada afirmou afirmou que "não sabia da postagem, e quando tomou conhecimento repreendeu o assessor, proibindo-o de tirar fotos para o perfil dentro do ambiente de trabalho".

Pitaco do Blog

Fato infelizmente cada vez mais comum. Pessoas usando a função pública para propagar ódio nas redes sociais. Não respeitam nem a memória dos mortos. Aliás, foi justamente essa campanha de ódio que levou muitas pessoas ao poder.

Ex-vereador que gastou 145 mil com gráfica fantasma virou motorista do Uber














O ex-vereador Moamed Rachid (PTB), de Belo Horizonte, atua agora como motorista do Uber. De acordo com o Uol, o vereador não conseguiu se reeleger em 2012. Na campanha de 2018, como candidato a deputado estadual pelo PSC, ele recebeu R$ 250 mil do fundo partidário, tendo destinado R$ 145 mil a uma gráfica fantasma.  Recebeu apenas 707 votos e não foi eleito.

Pitaco do Blog

Essa notícia nos obriga a duas reflexões. Primeira: como são gastos os recursos do fundo partidário? Segunda: em Araguari, existem vereadores que destinam recursos públicos a gráficas fantasmas? Cartas para a redação!

quarta-feira, 15 de janeiro de 2020

Cadê ele?!

Continua foragido da Justiça o ex-secretário municipal de Gabinete da Prefeitura de Araguari Marco Antônio Farias. Ele teve a prisão preventiva decretada durante a segunda fase da operação Hoopoe, em agosto do ano passado, sendo investigado por desvios de recursos públicos do Município. 

O Diário procurou a Promotoria de Justiça Criminal da cidade que confirmou o paradeiro do acusado e informou que chegou a receber notícias da eventual localidade dele em algumas cidades, porém nada concreto. O Ministério Público Estadual (MPE) pede à população que qualquer informação sobre o réu seja repassada à polícia, via 190.

O ex-servidor foi exonerado no dia seguinte após a operação realizada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) de Uberlândia em conjunto com a Promotoria Criminal de Araguari. Foi apurado que ele era um dos cabeças de um esquema de desvio da verba municipal de publicidade.

Marco foi denunciado pelos crimes de organização criminosa, peculato (desvio), falsidade ideológica e lavagem de dinheiro, uma vez que o montante desviado era aplicado nas empresas envolvidas no esquema sendo que uma delas pertencia a ele, de acordo com o MPE. A reportagem procurou o escritório de advocacia que representa o foragido e aguarda retorno.


Transcrito do Diário de Uberlândia.

Concurso público: 7 mil vagas
































Trate este post da mesma forma que o Jair Bolsonaro trata do concurso público. Não leve a sério!

terça-feira, 14 de janeiro de 2020

Algumas regalias da Presidência da República































Reportagem da Veja mostra algumas das regalias da Presidência da República. A estrutura do Palácio do Planalto, existem: um mini-hospital com profissionais de diversas especialidades e um laboratório próprio; cinco consultórios odontológicos. 

A revista comparou essa estrutura com a dos equivalentes norte-americanos, onde trabalham os auxiliares do presidente dos Estados Unidos. Enquanto a Casa Branca e o Edifício Eisenhower abrigam, no total, 2 mil servidores, o Palácio do Planalto possui 3.234 funcionários.

Para servir ao Palácio, existe uma frota de 102 veículos. Se forem considerados também os terceirizados, o total à disposição da Presidência da República chega a 240 veículos. 

sexta-feira, 10 de janeiro de 2020

Senador questiona origem do dinheiro depositado na conta de Michelle Bolsonaro



















Senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) pergunta ao presidente da Repúblico que dinheiro foi aquele na conta da Michelle Bolsonaro. 

Aposto na ausência de resposta à pergunta. Claro, isso não impede seja deflagrada uma campanha de ódio de grupos bolsonarianos contra o senador.

ADICA e a política


terça-feira, 7 de janeiro de 2020

General diz que Bolsonaro se afastou do combate à corrupção


General Santos Cruz, ex-ministro da Secretaria de Governo (Imagem: Isac Nóbrega/Presidência da República).

































O ex-ministro da Secretaria de Governo general Carlos Alberto dos Santos Cruz disse, em entrevista ao BBC News, que, atualmente, quer distância do governo Bolsonaro. Entre os pontos de divergência, ele mencionou o fato de Bolsonaro ter se afastado da pauta anticorrupção, que foi uma das bandeiras de sua campanha eleitoral.

Como exemplo desse afastamento, o general mencionou as "pressões sobre o diretor da Polícia Federal, Maurício Valeixo, e o enfraquecimento do Coaf - órgão que foi rebatizado de Unidade de Inteligência Financeira e teve sua atuação limitada por quatro meses após o STF atender um recurso de outro filho do presidente, o senador Flávio Bolsonaro (Sem partido-RJ), investigado por suposto desvio de verba do seu antigo gabinete de deputado estadual."