RÁDIO KATIVA WEB

sexta-feira, 23 de março de 2012

Abandono e insegurança

Do jornalista Márcio Marques, na coluna Em Resumo, do Gazeta do Triângulo, de hoje:
ABANDONO
A praça do Constituição está completamente abandonada e jogada às traças, ou melhor, aos andarilhos e pedintes. Além disso, o mato vem tomando conta do logradouro, deixando o local com um ar de cidade abandonada. É certo que será construída uma nova unidade de pronto atendimento no local, mas até lá não seria conveniente cuidar um pouco mais da praça para que o aspecto da cidade se torne mais agradável? Registro a sugestão.


Pitaco do blog
O jornalista foi muito feliz no seu comentário. Infeliz foi o cidadão que estava na referida praça na madrugada de hoje e foi assaltado por um usuário de crack. O abandono contribui para a insegurança, que hoje toma conta da cidade. De quem seria a culpa?
Argumenta-se que a segurança pública não é responsabilidade do Município. Esse é um raciocínio totalmente errado. O governo municipal tem, sim, sua parcela de culpa nesses casos.
O colunista fala do abandono da praça da Constituição. Esse raciocínio vale para várias outras praças da cidade. O Município abandonou as praças. Antes, existiam vigias noturnos nesses locais. Hoje, não mais.
Além disso, nossas praças viraram "residência" de andarilhos, pedintes e usuários de drogas. Aqui, mais uma vez temos a responsabilidade, também, do Município. Onde estaria a Secretaria de Trabalho e Assistência Social?  Provavelmente, realizando eventos regados a refrigerante e salgadinhos. Em vez de "colocar  a mão na massa" e tentar resolver o problema, representantes da Pasta argumentam que não podem fazer nada porque algumas pessoas simplesmente optaram por "morar" na rua. Eles têm o direito de ir e vir.
Há aqui também o problema de saúde pública, que é o consumo do crack. O que a Secretaria de Saúde estaria fazendo para resolver o problema? Poderia fazer mais? Há uma política pública municipal de combate a esse mal?
Vejam, senhores, que não podemos ser simplistas. O aumento da sensação de insegurança dos araguarinos não é culpa somente da falta de policiamento (responsabilidade do Estado) ou da entrada de drogas no país (responsabilidade da União). O Município poderia fazer muito mais para reduzir a violência na cidade. Mas, estranhamente, parece que os governantes de Araguari têm outras "prioridades".

Um comentário:

Marcelo Inácio disse...

caro Antônio Marcos, esses questões são de menos importância para os gestores públicos de Araguari, pois de acordo com o burlesco folhetim publicado pelo prefeito e seus assessores, vivemos em uma cidade sem problemas, apenas se esqueceram que essa cidade só existe dento do simcity. portanto entendem que o munícipio não tem responsabilidade com nada.

Postagem em destaque

Caiu na rede....