RÁDIO KATIVA WEB

sábado, 20 de fevereiro de 2010

Matutando


Motivos e Objetivos
A partir de hoje, quero publicar alguns textos curtos refletindo a minha opinião sobre temas afetos à nossa Araguari. A escolha do nome Matutando é justamente para demonstrar que nós, cidadãos araguarinos, temos mais dúvidas do que certezas sobre o que acontece na nossa cidade.

Eu preciso entender...
Como uma Prefeitura incapaz de prestar um serviço de saúde minimamente razoável consegue gastar com Carnaval?!

Pão e Circo?!
Já que a legislação eleitoral veda a realização de showmícios, o negócio dos governantes-candidatos agora é fazer festas às custas dos cofres públicos. Seria a volta da velha política do Pão e Circo?!

Resultado do Carnaval

Pela primeira vez, tivemos dois ganhadores: o Arrastão do Miranda e a cerveja venceram.


Ainda o Carnaval
Com o pedido de prestação de contas feito pelo vereador Werley Macedo ao Poder Executivo, o Carnaval araguarino ainda vai dar samba...

Todo ano, eles fazem tudo sempre igual
Começo de ano, tem sempre aquela discussão sobre a ajuda aos araguarinos que estudam em Uberlândia e Catalão. Impressionante como não aparece uma viva alma para defender a criação de um campus da UFU em Araguari e acabar com essa lenga-lenga... Também pudera, criar faculdade pública em Araguari é o mesmo que acabar com várias boquinhas...


8 comentários:

Aristeu disse...

Sempre soube que você é fera, mas Pantera Cor de Rosa é propaganda enganosa.
Também gosto de matutar e a curta distância entre Araguari e Uberlândia impede uma UFU deslocada. Há a necessidade urgente de transformar esta distância em via expressa, isto sim.
Também quando Jesus nos ensinou a pedir o Pão Nosso de cada dia deve ter esquecido do circo, Aquele Grande Mágico!

ANTONIO MARCOS DE PAULO disse...

Aristeu, essa impossibilidade de a UFU instalar um campus em Araguari, a meu ver, não existe mais. Tudo depende, é claro, da própria Universidade, que tem autonomia para fazê-lo ou não.
Apenas, quero lembrar que a UnB já possui campus nas cidades satélites de Planaltina e Ceilândia, próximas de sua sede, em Brasília.
Os fatores para o assunto sequer ser cogitado, me parece, são outros. Vou citar só um deles: um senador e um deputado federal bem votados em Araguari possuem faculdades particulares. Qual interesse eles teriam em brigar por esse campus?

Anônimo disse...

Uma vergonha o carnaval do jubão. fizeram campanhia e nos pagamos.

Aristeu disse...

Eu não acho que este senador e este deputado sejam o que se pinta. Acredito até que se a UFU acampar tal projeto eles doarão toda a estrutura por eles montada em Ar, água, ri... kkkkkkk

Unknown disse...

Marcos e Aristeu.
Em 2001, eu era diretor da hoje morimbunda Adesa (Agência de Desenvolvimento Econômico e Social de Araguari). Participando de um seminário sobre Orçamento da União, no Campus Santa Mônica da UFU, sugeri a expansão dos campi das federais. A proposta foi encaminhada pelo nosso grupo à plenária e aprovada. No caso da UFU foram sugeridas 3 cidades: Araguari, Ituiutaba e Monte Carmelo. O deputado federal Gilmar Machado encampou a idéia e conseguiu aprovar a emenda.
Nos anos seguintes, no mesmo seminário, sempre cobrei a execução; o deputado sempre dizia que dependeria de VONTADE POLÍTICA dos municípios.
Em 2005, no mesmo seminário, conversamos eu, o secretário de governo Jair José Ferreira, o deputado Gilmar Machado e o reitor da UFU, Arquimedes Ciloni; o reitor disse que a cidade deveria apresentar o pleito para análise da reitoria. Em 2006, estive em reunião com o reitor, na UFU, juntamente com o prefeito Marcos Alvim. O reitor renovou a orientação de que Araguari apresentasse o pleito e as condições, para análise. Nada foi feito...
Ituiutaba já instalou seu campus avançado e parece que Monte Carmelo vai no mesmo caminho.
Na verdade, sobre este assunto, além do meu (precário e inútil) esforço pessoal, ninguém se mexeu; nem prefeitura, nem câmara, nem sociedade.

ANTONIO MARCOS DE PAULO disse...

A contribuição do Edilvo é sempre rica e proveitosa.
Acredito que a luta pela vinda de uma universidade pública para a cidade não deveria ser o projeto apenas de um governo (no caso, Marcos Alvim). Deve, isto sim, ter continuidade e ser um projeto da cidade. Araguari merece há tempos um campus.
Vejam bem, a Administração Municipal "faz graça" para diversos tipos de empresários. Doa terrenos, concede isenções, etc. Por que não fazê-lo para trazer para Araguari algo que realmente iria mudar a cara da cidade e beneficiar imensamente os nossos filhos?
Sinceramente, afora a iniciativa do governo anterior, não vi ninguém se movendo para trazer esse campus da UFU. Ao contrário, o que se viu, num passado distante, foi a cidade perder, por birra, uma faculdade pública de direito, que poderia ser hoje uma grande universidade.

Unknown disse...

Prezado Marcos,

Pra ser sincero, não houve esforço "do governo" pra trazer a expansão do campus da UFU. Na verdade, iniciei essa luta sozinho (em 2001 quando ainda não fazia parte - e nem pensava em fazer - do governo).
A visita ao então reitor da UFU, Arquimedes Diógenes Ciloni, em 2006 foi agendada pessoalmente por mim que convenci o então prefeito a comparecer. Pra você ter uma idéia do "esforço" oficial, no dia da reunião, em Uberlândia, a secretária de Educação não compareceu, porque tinha "outro compromisso agendado".
Sem qualquer crítica pessoal a quem quer que seja, nunca houve qualquer interesse da comunidade araguarina, incluídos o governo municipal e a câmara, nesse assunto.
O próprio deputado Gilmar Machado, além do ex-reitor Arquimedes, podem confirmar isto.

Outro exemplo (péssimo) foi minha tentativa (2007) de implantar em Araguari um laboratório para produção de medicamentos fitoterápicos, em parceria com a REDE FITOCERRADO, composta por profissionais da UFU, alguns deles doutores em farmacologia, biologia, etc. Apesar do aparente interesse do prefeito Marcos Alvim, a desculpa da Fazenda, na época, foi que "não havia dinheiro". Uma fortuna de R$ 240 mil, que poderia, inclusive, ser conseguida através de convênio com Estado ou União, via projeto. A própria Unipac, na iminência de abrir o curso de Farmácia, demonstrou interesse em parcitipar, caso o projeto fosse adiante.

Como você mesmo disse, noutra postagem sua, são tantas histórias...

Aristeu disse...

Quero só elucidar o verbo "acampar", por mim utilizado, como "instalar no campus", ao passo que o verbo "encampar" do Edilvo pareça-me ser "tomar posse", ainda mais sendo o Machado um político que abraçou o projeto do cidadão Edilvo.

Postagem em destaque

Prefeito eleito indica equipe de transição

Major Renato Carvalho divulgou hoje os nomes da equipe de transição. São 33 pessoas, sob a coordenação da vice-prefeita Maria Cecília Araú...