domingo, 31 de março de 2019

A carapuça serviu


Um cidadão exagerou ao desqualificar toda a imprensa de Araguari.  Contudo, excessos à parte, a carapuça serviu perfeitamente em alguns jornalistas e radialistas locais. Infelizmente, certos profissionais aceitaram o papel de garoto de recados. Usam o microfone e a escrita para atacar pessoas consideradas inimigas dos seus "patrões". Essa prática condenável é fruto de uma perigosa mistura entre impressa e poder público. Emissoras de rádio nas mãos de políticos. Jornalistas ocupando cargos comissionados no Executivo e Legislativo. Nesse contexto, a verdade e a ética, muitas vezes, vão parar na lixeira.

31 de março: não se comemora a morte de irmãos


Fui militar de carreira durante dez anos. Metade deles no final da ditadura civil-militar (1964-1985). Recebi treinamento para matar civis brasileiros, e não militares estrangeiros. O Sistema de Metodologia de Ensino do Exército Brasileiro - SIMEB só me ensinou a combater o inimigo interno. Recebi instruções de contra-guerrilha e controle de distúrbios civis (repressão a manifestações feitas por cidadãos comuns). Como o Brasil não possuía inimigos externos, os militares precisaram buscar, dentro do próprio país,  as justificativas para o regime autoritário. Então, criaram inimigos imaginários: os "comunistas". Centenas de brasileiros foram eliminados. Doutrina e prática fratricidas. Nada a comemorar! 

Dívida ativa da União chega a R$ 2,2 trilhões

 
De acordo com a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional - PGFN, o número de devedores da União chegou a 4,6 milhões, envolvendo uma dívida de R$ 2,2 trilhões. 44,8% desse valor são irrecuperáveis. R$ 1,4 trilhão (62%) é devido por apenas 28 mil devedores (grandes devedores). 

Clique aqui e veja os números da PGFN.

sábado, 30 de março de 2019

MPGO pede afastamento de vereador envolvido em "rachadinha"


A prática da "rachadinha" é muito comum nas Câmaras de Vereadores Brasil afora. Entretanto, o fato de ser corriqueira não a transforma em um ato legal. Continua sendo crime e/ou ato de improbidade administrativa. 

Clique aqui e leia a notícia na íntegra.

sexta-feira, 29 de março de 2019

Fim da valorização do salário-mínimo


Como já era esperado, a política de valorização real do salário-mínimo chegou ao fim. De acordo com muitos economistas (inclusive, alguns liberais), a concessão de reajustes acima da inflação contribuiu para a redução das desigualdades sociais no Brasil, sobretudo durante o governo Lula. É óbvio que ganhos reais do salário-mínimo, conjugados com outras medidas, contribuem para a redistribuição de renda. Aliás, é o que determina a Constituição Federal ao inserir a valorização do trabalho no alicerce da ordem econômica. 

quinta-feira, 28 de março de 2019

Prefeito de Araguari é multado em R$ 10 mil por falhas no Portal da Transparência


A Primeira Câmara do Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais (TCEMG) multou o prefeito da cidade de Araguari, no Triângulo Mineiro, Marcos Coelho de Carvalho, em R$ 10 mil, na sessão desta terça-feira, 26/03/2019. A falta de publicação dos relatórios de execução orçamentária no Portal da Transparência do município foi o motivo da punição.

O voto do relator destacou “que, além da ampla publicidade a ser dada à prestação de contas dos poderes públicos, a Lei de Responsabilidade estabeleceu demonstrações contábeis específicas, cuja publicidade é obrigatória, chamadas de Relatório Resumido da Execução Orçamentária (RREO), de periodicidade bimestral, e o Relatório de Gestão Fiscal (RGF), de periodicidade de elaboração e publicidade quadrimestral ou semestral”. A decisão do relator, conselheiro José Alves Viana, foi confirmada pelos demais membros da Câmara, que julgaram procedente a denúncia, processo nº. 1.015.892, feita pelo então presidente da Associação do Direito e Cidadania de Araguari – ADICA, Paulo Afonso de Campos.

De acordo com a fundamentação do voto, o Portal da Transparência é uma página do Portal Oficial do Órgão ou Ente Público, a qual se destina à divulgação, pela Internet, dos dados, ações e informações referentes à atividade financeira estatal, bem como a quaisquer outros atos da Administração Pública. A página virtual deve apresentar informações e demonstrativos sobre a execução orçamentária de cada exercício fiscal, nos termos da LC nº 101/2000, bem como outras informações relativas a contratações, pagamentos efetuados a fornecedores e prestadores de serviços em suas diversas modalidades.


Fonte: www.tce.mg.gov.br

quarta-feira, 27 de março de 2019

Por que os governantes estão reduzindo direitos sociais?


O gráfico acima será muito útil na obtenção da resposta. Durante o governo Temer, foi aprovada a PEC do Teto de Gastos, limitando (na prática, reduzindo) gastos com saúde e educação. Agora, o novo governo quer aprovar a Reforma da Previdência, para economizar R$ 1 trilhão nos próximos dez anos. 

Vamos traduzir o que realmente nossos governantes querem. Notem que o maior gasto do orçamento é com o pagamento de juros da dívida pública (R$ 1,065 trilhão ou 40,66% do orçamento total). Essa parte da pizza é intocável. O governo quer mesmo é reduzir gastos sociais (três fatias à sua direita: saúde, educação e previdência) para formar um superávit primário, que será usado para pagar juros e encargos da dívida pública (fatia amarela, a maior da pizza, à sua esquerda). 

Resumo do resumo: estão tirando dinheiro das camadas mais pobres da sociedade, as que  mais necessitam dos direitos sociais, para entregar aos banqueiros.

Conceitos importantes:
Dívida pública: "é a dívida contraída pelo governo com entidades financeiras ou pessoas da sociedade para financiar parte de seus gastos que não são cobertos com a arrecadação de impostos ou alcançar alguns objetivos de gestão econômica, tais como controlar o nível de atividade, o crédito e o consumo ou, ainda, captar dólares no exterior. A dívida pública se subdivide em dívida interna e dívida externa. Os principais credores do setor público são, normalmente, bancos públicos e privados que operam no País, investidores privados, instituições financeiras internacionais e governos de outros países."

Superávit primário: "é o resultado positivo de todas as receitas e despesas do governo, excetuando gastos com pagamento de jurosA formação de superávit primário serve para garantir recursos para pagar os juros da dívida pública e reduzir o endividamento do governo no médio e longo prazos."

terça-feira, 26 de março de 2019

Corte de cargos: mais uma mentira do Governo Federal


Muitos andaram comemorando o corte de 21 mil cargos pelo Governo Federal. Saíram por aí compartilhando os tuítes presidenciais ou as imagens espalhadas por robotizados nos grupos de zap zap. Agora, a verdade: só foram cortados 159 cargos. Sorria! Vc foi enganado! De novo!

Vamos acabar com a mamata!


"Entre 1995 e 2018, o então deputado Jair Bolsonaro recebeu R$ 1,8 milhão em salários extras, oficialmente chamados de ‘ajudas de custo’, e mais R$ 2,4 milhões em auxílio-moradia. Um total de R$ 4,2 milhões em valores atualizados pela inflação. Bolsonaro chegou a receber seis ajudas de custo em 1996 e em 1997, sem contar o 13º salário. Em 24 anos, recebeu 62 salários extras.

É esse sujeito que quer reduzir substancialmente o valor dos benefícios previdenciários, retardar o início da aposentadoria e restringir o alcance da assistência social (por exemplo, Benefício de Prestação Continuada, devido a idosos e pessoas com deficiência).


A reportagem é da Gazeta do Povo

segunda-feira, 25 de março de 2019

As tretas radiofônicas continuam


A guerra de microfones continua. De um lado, a rádia da oposição ataca o governo. De outro, a emissora da situação critica os opositores. Em Araguari, imprensa e política se misturam de forma perigosa. Infelizmente, as rádias pertencem, formal ou informalmente, a políticos. São usadas para construir candidaturas, destruir reputação de adversários e receber dinheiro de publicidade oficial.

Fim dos privilégios?!


Com a reforma da previdência, o governo federal quer economizar R$ 1 trilhão nos próximos dez anos. Na previdência dos militares, pretende economizar apenas R$ 10 bilhões. Os outros R$ 990 bilhões recairão sobre os civis (servidores e segurados do INSS). Como exemplo, a redução no Benefício de Prestação Continuada (BPC), pago a pessoas idosas ou com deficiência, permitirá a economia de R$ 28 bilhões. Quase três vezes o obtido com a reforma da previdência dos militares. Isso é cortar privilégios?

quinta-feira, 21 de março de 2019

Zap do Blog

Criamos outro canal de comunicação com os leitores. Críticas, sugestões e denúncias podem ser feitas diretamente via WhatsApp. Basta clicar no link abaixo. Lembro que, em caso de denúncias, o blog preservará o sigilo da fonte, ou seja, não identificará o nome do denunciante.

quarta-feira, 20 de março de 2019

Ministério Público suspeita de irregularidades na atuação de ex-sócio do Correio de Araguari


O Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais - TCEMG está apurando irregularidades em contratos celebrados pelo Município com o jornal Correio de Araguari, para a execução de serviços de diagramação, digitalização e impressão do "Correio Oficial" (clique aqui).  Foram constatadas irregularidades na licitação e execução dos Contratos nºs 404/2011 e 177/2016, incluindo diversos aditivos, em valores de aproximadamente R$ 300.000,00 (trezentos mil reais) anuais.

O Ministério Público de Contas de Minas Gerais - MPC considerou irregular a contratação pelo Município de Araguari do Correio de Araguari, que tinha como sócio o senhor Rafael de Souza Caetano, ex-servidor municipal, a quem competia, entre outras funções, justamente examinar a regularidade dos processos licitatórios realizados pelo Município.

De acordo com o MPC (imagem acima), o senhor Rafael de Souza Caetano:
- deixou a sociedade do jornal no dia 6 de abril de 2011 e assumiu o cargo de assessor jurídico da Prefeitura no dia seguinte;
- foi exonerado do cargo público em fevereiro de 2013;
- em abril de 2013, se apresentou em uma petição judicial como sócio do Correio de Araguari;
- declarou à epoca, como endereço profissional (escritório de advocacia), o mesmo local onde funcionava o jornal: Rua Bias Fortes nº 510;
- possuía o mesmo domicílio de Lorraine Macedo de Sousa, que, aos 16 anos de idade, adquiriu dele as cotas da sociedade do jornal;
- atuou como assessor jurídico no Pregão Presencial nº 138/2011, vencido pelo Correio de Araguari. 

Com base nesses e em outros indícios, o TCEMG determinou a citação de diversos responsáveis para apresentarem defesa.

segunda-feira, 18 de março de 2019

Toma lá, dá cá!

Durante a campanha...


Depois das eleições...



Saiba quando você poderá se aposentar


O projeto de Reforma da Previdência enviado pelo governo federal ao Congresso Nacional reduz substancialmente o valor dos benefícios previdenciários, retarda o início da aposentadoria e restringe o alcance da assistência social (LOAS, por exemplo).

O que fazer? Procure se informar mais sobre o assunto. Comece calculando a data em que poderá se aposentar. Para isso, use a calculadora criada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconomicos - DIEESE (clique aqui). 

Além disso, busque informações junto ao INSS, muitas das quais podem ser acessadas por meio da internet no Meu INSS (clique aqui).


sexta-feira, 15 de março de 2019

Ferrovia Norte-Sul: procurador do TCU diz a Bolsonaro que licitação possui irregularidades e foi direcionada a duas empresas


Em seu perfil no Twitter, o procurador do Ministério Público junto ao Tribunal de Contas da União - TCU, Júlio Marcelo de Oliveira, disse ao presidente da República, Jair Bolsonaro, que a licitação da Ferrovia Norte-Social contem graves irregularidades e deve ser suspensa.

Segundo o procurador, a licitação irá beneficiar a Vale ou alguma empresa ligada a ela:

"Foi desenhada no governo passado com todas as características para restringir a competição e favorecer a Vale ou uma empresa a ela ligada."
Outra empresa beneficiada seria a Rumo:
"Isso afasta qualquer interessado que não seja ligado à Vale, que tem saída pelo norte, ou à Rumo, que tem saída pelo Sudeste, no Porto de Santos."
De acordo com o procurador, as demais empresas não se interessariam pela licitação, uma vez que não teriam assegurado o "direito de passagem", ou se seja, não poderiam usar outros trechos de ferrovias já concedidos para levarem seus trens aos portos.

Ao final, pediu ao presidente:
"Vossa Excelência pode corrigir esse erro antes que se consume. A continuidade da licitação nesses termos será um erro colossal, com consequências danosas para os próximos 30 anos do país!Como brasileiro, peço que não deixe isso acontecer."

Pagando a conta


Durante a campanha, eleitores bolsonariamos compartilharam, à exaustão, o conteúdo da página República de Curitiba, que apoiou o candidato Jair Bolsonaro.

Agora, todos nós vamos pagar a conta. A administradora da página, Elisângela Robson, foi nomeada para a assessoria do senador Flávio Bolsonaro. Durante a campanha, a então candidata a deputada federal pelo Distrito Federal, não eleita, recebeu R$ 25 mil do fundo partidário (dinheiro público). Seu maior gasto, R$ 14,9 mil (59% do total), foi com o próprio marido, o engenheiro Ronaldo Robson de Freitas, que teria prestado serviços para a esposa-candidata.

Clique aqui e leia a reportagem na Gazeta do Povo.

quinta-feira, 14 de março de 2019

MP aciona ex-prefeito de Catalão e empresa de limpeza pública por superfaturamento

Ex-prefeito Jardel Sebba (fonte: http://www.blogdeolhonacidade.com.br)
O ex-prefeito de Catalão Jardel Sebba, a empresa Corpus Saneamento e seu sócio Cineas Feijó Valente foram acionados pelo Ministério Público de Goiás (MP-GO) por improbidade administrativa, devido a contratos irregulares de prestação de serviços de limpeza pública em 2013 e 2014. Além da dispensa ilegal de licitação, que resultou no firmamento de dois contratos emergenciais com a Corpus Saneamento em 2013, o município contratou a mesma empresa em 2014 após licitação contestada pelo Tribunal de Contas dos Municípios de Goiás (TCM-GO). O último contrato também apresentou superfaturamento, segundo perícia do TCM, superior ao valor de R$ 2 milhões.
Segundo a promotora de Justiça Ariete Cristina Rodrigues, que ajuizou a ação civil por improbidade administrativa no dia 11 de fevereiro, os dois contratos de emergência firmados em 2013 tiveram duração de seis meses, prazo máximo permitido na modalidade de dispensa de licitação. Apesar de haver embasamento legal em situação de emergência ou calamidade, tem sido discutido o enquadramento de contratos para serviço de coleta de lixo nesta categoria. Muitos desses contratos, de acordo com a promotora, são “fruto, na verdade, da desídia, inércia e descaso da administração pública municipal, decorrente da falta de planejamento adequado para tratar a execução do serviço”.
O contrato firmado no início de 2014 foi resultado de concorrência pública que prejudicou o caráter competitivo, ao fazer exigência de qualificação técnica para serviços com pouca relevância ou valor significativo considerando o total, o que contraria a Lei de Licitações e Contratos. Outra infração à lei foi a exigência de quantidades mínimas ou prazos máximos.
Para o MP, os referidos contratos infringiram os princípios da administração pública, como economicidade, proporcionalidade e razoabilidade. Como explica a promotora na ação, “o poder público deve perseguir o maior alcance ao interesse da coletividade, empreendendo-se o menor esforço financeiro possível”.
Pedidos
O MP requer a condenação dos acionados por improbidade administrativa, impondo-lhes a sanção de proibição de contratação com o Poder Público e de receber benefícios ou incentivos fiscais, além da suspensão dos direitos políticos. A promotora também pede a condenação do ex-prefeito e do empresário na obrigação de ressarcirem integralmente os danos materiais e morais causados a Catalão. Requisita, ainda, que seja determinado aos requeridos que paguem multa civil de três vezes o valor dos danos causados ao erário. (Texto: Melissa Calaça – Estagiária da Assessoria de Comunicação Social do MP-GO)

De quem é a culpa?


Por que será que adolescentes se tornam assassinos? Um conjunto de fatores contribui para isso. Mas, sem dúvida, também tem culpa um governo que, além de não oferecer saúde, educação e segurança aos brasileiros, defende o armamento da sociedade como remédio para todos os males.

Falta de limpeza em vias públicas


Muitas pessoas usam as redes sociais para reclamar da falta de manutenção e limpeza de vias e áreas públicas. É preciso dizer que algumas denúncias sobre a má qualidade desses serviços e suspeitas de irregularidades em contratos já foram feitas pela Associação do Direito e da Cidadania de Araguari - ADICA aos órgãos de controle. Eu mesmo já formulei uma denúncia ao Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais a respeito do assunto. Entretanto, é bom lembrar que o poder dos cidadãos, nesse caso, é limitado. Depois de denunciados os fatos, cabe aos próprios órgãos públicos, a começar pelo Executivo, tomarem as providências para evitar e corrigir eventuais irregularidades. 

CLI e mimimi


Tenho visto muito mimimi por causa da possível abertura da Comissão Legislativa de Inquérito (CLI) da Hoopoe. Algumas pessoas chegaram ao absurdo de dizer que os vereadores estão querendo investigar o Ministério Público, que já ajuizou ações criminais para apurar o caso (Operação Hoopoe). Não se trata disso. No Brasil, vigora a independência de instâncias. Vale dizer: a apuração dos fatos por um poder ou órgão não impede a atuação dos demais. Assim, no caso da Hoopoe, nada impede que o Executivo instaure uma sindicância, o Legislativo, uma CLI, e o Ministério Público, um inquérito. É óbvio que, por trás do chororô, está a preocupação com a exposição de fatos que possam desagradar a algum grupo político. Isso, contudo, não é justificativa para que o Legislativo deixe de apurar os fatos.

quarta-feira, 13 de março de 2019

Falta de manutenção em estradas do Fundão


Recebemos denúncia de que as estradas que dão acesso aos sítios e fazendas da região do Fundão estão sem a devida manutenção. Alô, Prefeitura!

Acúmulo ilegal de cargos


Recebemos denúncia de que uma servidora estaria acumulando ilegalmente o cargo de professora (Poder Executivo) com um cargo em comissão criado recentemente na Câmara de Vereadores. O denunciante informa, ainda, que a servidora é esposa de um servidor do Legislativo. 

domingo, 10 de março de 2019

A Reforma da Previdência irá acabar com os Privilégios


Um casal de idosos pobres não poderá receber R$ 400,00, cada um, a título de Benefício de Prestação Continuada (popularmente conhecido como LOAS). Já o presidente da República, além do próprio salário, poderá receber, simultaneamente, os proventos de capitão da reserva e de deputado aposentado.

INSS proíbe servidores de falarem com a imprensa



O Presidente do INSS proibiu funcionários da autarquia de falarem com a imprensa sobre a Reforma da Previdência. Por que será?

sexta-feira, 8 de março de 2019

MPMG contesta lei que limita o número de funerárias em Araguari

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), por meio da Procuradoria-Geral de Justiça (PGJ), propôs Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) questionando uma lei municipal que limita o número de funerárias em Araguari, no Triângulo Mineiro.
De acordo com a Lei nº 2.699 de 1991, o número de funerárias admissível no município deve ser proporcional ao número de habitantes, sendo aceitável apenas uma para cada 100 mil habitantes.
Entretanto, segundo a ADI, a lei municipal não respeita os princípios constitucionais da livre iniciativa, da livre concorrência, da razoabilidade e da proporcionalidade. A restrição é incompatível com a Constituição de Minas Gerais, afirma a ADI.
Além disso, com base no último censo, Araguari possui 117 mil habitantes, sendo permitidas então, com base na lei, apenas duas funerárias. “Isso impede a concorrência comercial”, explica o procurador-geral de Justiça, Antônio Sérgio Tonet.
“A Lei Municipal nº 2.699/1991 limitou a outorga de licenças e concessões a novas funerárias no município de Araguari, violando princípios da livre concorrência, da proporcionalidade e da razoabilidade”, afirma Tonet na ADI.
Diante disso, o MPMG pede na ADI que o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) declare a lei municipal inconstitucional por impedir a concorrência comercial.
Transcrito do site do MPMG.

quarta-feira, 6 de março de 2019

Conversa indiscreta


Um áudio que circula nas redes sociais mostra o secretário Juberson dos Santos Melo conversando com um cidadão. A conversa é constrangedora. Ao que parece, ele está negociando a compra de apoio político. Desse áudio, que foi captado pela Operação Hoopoe, surgem vários indícios que merecem uma explicação por parte dos envolvidos.

Entre esses pontos, destaco um. Na parte em que o secretário diz que repassará uma ajuda ao cidadão com o dinheiro da publicidade. Cita nominalmente o secretário Werley Ferreira de Macedo, que também é ligado a empresas de comunicação no município. Ora, pelo teor da conversa, há suspeitas de que esse dinheiro sairia de caixa dois, ou seja, de recursos desviados de contratos de publicidade.

Essa conversa captada serve, no campo jurídico, para motivar um aprofundamento das investigações por parte do Ministério Público nesses gastos com publicidade e propaganda. Já no campo político, justificaria o  afastamento dos envolvidos pelo prefeito, Marcos Coelho, até a conclusão dos processos.




segunda-feira, 4 de março de 2019

Governo federal gasta mais com o pagamento de juros do que com a Previdência Social


O orçamento do governo federal pode ser demonstrado por meio de um gráfico "pizza". Em 2018, o governo executou (pagou) R$ 2,621 trilhões. Na "pizza" acima, temos duas fatias maiores. A amarela corresponde aos gastos com a dívida pública federal (juros e amortizações) de R$ 1,065 trilhão de reais (40,66% do orçamento total). A verde representa os gastos com Previdência Social, no valor de R$ 641 bilhões (24,48% do total). Essa "pizza" ajuda a mostrar que o maior gasto federal não é com a Previdência Social, mas sim com o pagamento de juros e amortizações da dívida pública*.

* Para financiar suas ações, o governo recorre a empréstimos junto ao setor privado e a agências multilaterais. Para tanto, o governo assume contratos de empréstimos e financiamentos e emite títulos que variam no tempo de investimento, no modo como são vendidos e na forma como seus pagamentos são estruturados.

sábado, 2 de março de 2019

O exercício obsceno da vingança


O exercício obsceno da vingança*
Christian Dunker, psicanalista e professor da USP. 
Um sinal claro de que nosso desejo legítimo de justiça transformou-se em exercício obsceno de vingança ocorre quando as situações que humanizariam alguém são usadas para ofendê-lo e humilhá-lo. A morte de inocentes não lembra mais nossa igualdade diante da finitude da vida, mas a crueldade dos sobreviventes. Por isso o processo de demonização dos inimigos é infinito. Tudo o que nele o torna como nós, como o fato de que ele tem filhos e netos, que sofre e que ama, precisa ser negado. A impossibilidade de compartilhar qualquer coisa que seja, com este outro. Se Freud estava certo, no inconsciente, vigora a lei de Talião: olho por olho, dente por dente. Disso podemos intuir que aqueles que agora gozam e desejam com a morte de uma criança de sete anos, cedo ou tarde, serão cobrados em dobro, na moeda da culpa, pela sua própria consciência.
Muitos brasileiros hoje se perguntam como é possível defender Jesus Cristo atrás de uma arma, ou usado para apoiar o ódio ou a violência. Poucos percebem que a crença de que todo mal descende de uma pessoa, ou de uma classe de pessoas, é um subterfúgio para liberar o que há de pior em nós. Usar a lei para nos proteger do mal é uma das estratégias mais antigas de pacificação subjetiva. Como se tudo que fosse legal assegurasse nossa moralidade.
Mas o fato é que existem coisas legais e imorais, assim como existe um uso da lei para humilhar e vingar-se do outro. Dentro de todos os impasses que separam e unem a justiça do direito há algumas máximas morais que estão acima de contextos e circunstâncias. O luto e o respeito pelo luto alheio é uma delas.
É o que acontece quando usamos os erros dos outros para nos sentirmos mais puros e justos. Mas o custo subjetivo para manter esta satisfação com a falta do outro pede cada vez. É preciso cada vez mais ofensa e degradação do outro para obter o mesmo efeito de limpeza da consciência.
É preciso cada vez mais maldade no outro para reassegurar nossa bondade. É assim que na história mais mal tenha sido feito em nome do bem do que do mal ele mesmo.
PUBLICIDADE
Quanto mais os escândalos de corrupção aparecem do lado do governo, quanto mais laranjas, motoristas e goiabeiras surgem, pior tem que ser o PT e os petistas.
Depreciar Lula, neste momento de dor e sofrimento, é um exagero impiedoso que denuncia este movimento caricato de criar um excesso de um excesso no outro para esconder sua própria falta.
Texto publicado na Revista Época.

sexta-feira, 1 de março de 2019

Funcionária fantasma?


Reportagem da The Intercept Brasil (clique aqui) afirma que Nathalia Queiroz, assessora do Gabinete do então deputado Jair Bolsonaro durante 22 meses, nunca pisou na Câmara dos Deputados. Na reportagem investigativa, o site narra vários fatos que indicam que a moça era funcionária fantasma. Em outras palavras, recebia dinheiro público (R$ 10 mil mensais), mas não ia trabalhar. 

Nesta semana, a Procuradoria Geral da República recebeu representações que apontam desvio de dinheiro público (peculato) e improbidade administrativa cometidos por Jair Bolsonaro justamente na contratação de Nathalia (clique aqui).
Convém lembrar que a ex-assessora é filha de Fabrício Queiroz (ex-assessor de Flávio Bolsonaro na Assembleia Legislativa do Rio e amigo dos Bolsonaros há décadas). Queiroz está sendo investigado por transações bancárias suspeitas. De forma ainda não explicada, ele movimentou milhões de reais de outros ex-assessores do filho do presidente da República. Entre as transações suspeitas, há um depósito de R$ 24 mil em favor da primeira-dama Michele Bolsonaro (clique aqui).