segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Reza a lenda...

A praça Manoel Bonito era assim em 1979 (fonte:  cartão postal).

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

A bela da semana

Lago de Emborcação (Araguari-MG). Clique aqui e veja direto na fonte.



segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Afinal, o que é que tem na Farmácia Municipal?




Notória a falta de medicamentos na Farmácia Municipal. Para escancarar ainda mais essa mazela administrativa, exercendo cidadania, o senhor Regis Moreno Taskan divulgou, via Facebook, a extensa relação de medicamentos ausentes do estoque. Resta agora conhecer os responsáveis e os penalizados pela falta de remédios.

De acordo com reportagem da rádio Onda Viva, o governo Raul Belém deixou de repassar ao Estado a contrapartida para aquisição de medicamentos. De outubro a dezembro, o município teria deixado de pagar R$ 81 mil. Por isso, a falta de medicamentos adquiridos em parceria com o governo estadual.

Por outro lado, nessa mesma reportagem, a diretora da Farmácia, afirmou que ainda está fazendo o levantamento dos medicamentos que deverão ser adquiridos. Segundo ela, somente em março o estoque estará regularizado. Assim, a falta de medicamentos também se deve à demora da atual gestão em adquiri-los (já se foram 50 dias de governo sem que a licitação ou a compra fosse realizada).

Agora, os penalizados. Essa é mole! São os cidadãos menos favorecidos. Aqueles que mais necessitam dos medicamentos. É o direito à saúde perdendo de goleada para a incompetência.

Reza a lenda...


Araguari já foi assim. A foto consta de um cartão postal emitido em nome da Missão Berlaar, que trouxe a Araguari as irmãs que fundaram o magnífico Colégio Berlaar Sagrado Coração de Jesus - Colégio das Irmãs. De acordo com informações obtidas junto ao proprietário atual, o imóvel pertencia à família Godoi, tendo sido construída pelo senhor Antonio Pereira de Godoi. 

domingo, 19 de fevereiro de 2017

Impunidade e prêmio




Foro privilegiado + prescrição = impunidade. Os políticos sabem muito bem se aproveitar dessa equação perniciosa. Agora, o pior. Muitos juízes e promotores réus acabam sendo premiados também com aposentadoria obrigatória. É uma espécie de plus à impunidade.
O texto do jornalista Josias de Souza aborda muito bem um desses casos. Mostra que o processo que investiga crimes praticados, em 2007, pelo ministro Paulo Medina, do STJ, caminha para a prescrição (perda do direito de punir em face do decurso do tempo). Clique aqui para ler.

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Tem, mas acabou


Faltam remédios na Farmácia Municipal. Nenhuma novidade! A diferença é que, agora, em início de mandato, o governo atual pode culpar o anterior. E vice-versa. 
Mas, a verdade é uma só. O governo anterior não tem mais como resolver o problema. Na mais improvável das hipóteses, poderia ser responsabilizado pela má gestão na área da saúde pública. Quem deveria solucionar a questão é o atual. Independente de quem seja o culpado, o grande penalizado é o cidadão que necessita dos medicamentos. É ele que pagará, talvez com a própria vida, pela incompetência dos gestores públicos que não conseguem sequer assegurar uma qualidade mínima na prestação dos serviços de saúde.

Prefeitura povoada de parentes


terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Sem licitação


Até o  momento, segundo o Portal da Transparência, não foi aberto nenhum processo de licitação pelo Poder Executivo. Essa informação vem à tona justamente no momento em que começam a aparecer reclamações quanto à falta de medicamentos e insumos básicos em unidades de saúde. Vale lembrar que a falta de planejamento e a desídia administrativa não servem para justificar a contratação sem licitação.

A bela da semana

Por do sol na região do Fundão (Araguari-MG). Autor: Gláucio Henrique Chaves (clique aqui e veja diretamente na fonte esta e outras imagens).

Publicarei semanalmente uma foto retratando a beleza da nossa Araguari. Agradecimento especial ao Gláucio Henrique Chaves, que gentilmente me autorizou a publicar fotografias de sua autoria. 

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Justiça censura reportagem da Folha de S. Paulo sobre extorsão a Marcela Temer


Como disse em outra postagem, a cadela do fascismo está sempre no cio. Um dos sintomas claros de que instituições e agentes públicos estão flertando com o autoritarismo está na repetição de casos de violação à liberdade de expressão e de imprensa. É motivo de grande preocupação ver o maior jornal do país (Folha de S. Paulo) ser censurado. Espero que o Supremo Tribunal Federal não se acovarde. Que tenha coragem bastante para afastar essas nuvens sombrias do autoritarismo estatal que teimam em pairar sobre as nossas cabeças. A Folha  e qualquer outro veículo têm o direito de informar. E nós, o de sermos informados. Simples assim.

Clique aqui e leia a reportagem completa. 

domingo, 12 de fevereiro de 2017

Questão de conveniência


Macarrão só é duro quando está fora da panela.

Fruto da sabedoria popular, dedico essa frase às Marias; às Irmãs Cajazeiras; aos blogueiros outrora combativos que, hoje, se tornaram meros compartilhadores de releases do poder público; ao outrora implacável integrante de entidade de combate à corrupção que, atualmente, ocupa cargo de confiança no governo; aos radialistas e diretores de emissoras que, no governo passado, eram vorazes fiscais da gestão pública e, agora, aparecem na folha de pagamento da Prefeitura. A propósito do macarrão, um bom almoço de domingo a todos!

sábado, 11 de fevereiro de 2017

Medicamentos mais caros


O Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais investiga a possível aquisição antieconômica (com prejuízo) de medicamentos na gestão anterior do prefeito Marcos Coelho. De acordo com o Processo nº 898.665, no exercício de 2012, o município teria adquirido medicamentos no valor de R$ 19.788,25 (dezenove mil, setecentos e oitenta e oito reais e vinte e cinco centavos) acima dos preços definidos nas tabelas elaboradas pelo Sistema de Acompanhamento de Mercado de Medicamentos (SAMMED) da CMED, disponibilizadas no site da ANVISA. O Tribunal ainda não se manifestou sobre a defesa apresentada pelo prefeito. 

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

Mais rápido do que um coelho!


A Prefeitura contratou, sem licitação, o fornecimento de refeições por 90 (noventa) dias. Valor: R$ 17.250,00. O motivo alegado: emergência. Chama a atenção o fato de a dispensa de licitação ter sido ratificada no primeiro dia útil do ano. Resumindo, em menos de um dia (expediente de oito horas), o Poder Executivo, entre outras medidas, abriu um processo, elaborou o projeto da contratação, realizou a pesquisa de preços, emitiu parecer favorável a não realização de licitação e ratificou a dispensa em menos de um dia. Obviamente, por depender da atuação de vários órgãos, esse processo costuma demandar um tempo bem maior. 

Cadê a SAE?


Esta valeta foi aberta em outubro do ano passado para realizar manutenção na rede de água na Rua Pedro Mendes de Aguiar, Goiás. Na ocasião, foi paga a "taxa de asfalto" para que a SAE providenciasse o recapeamento do local. Contudo, até o momento, o serviço (já pago) não foi realizado.

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

Carrinho de compras: R$ 9,9 mil por assinaturas de um jornal

Contratação de assinaturas do Gazeta do Triângulo, publicada no Correio Oficial de 1/2/16 (clique aqui)

O Poder Executivo irá pagar R$ 9,9 mil por 33 assinaturas anuais do jornal Gazeta de Triângulo (foto acima). Comparando-se com o ano anterior (foto abaixo), houve aumento no número de assinaturas (antes eram 32) e também do valor total da contratação (ano passado, o valor total gasto foi de R$ 8 mil). Em termos proporcionais, a assinatura sofreu um aumento de 20% (de R$ 250 para R$ 300) e os gastos da Prefeitura com essa contratação subiram 23%. 

Voltaremos ao assunto, mostrando os outros gastos do Executivo com esse e outros jornais da cidade. Vale lembrar que, além das assinaturas anuais, alguns jornais são remunerados pela publicação de atos oficiais e veiculação de propaganda.