quarta-feira, 14 de setembro de 2016

De graça até injeção na sua testa


Dias atrás, fiz uma crítica nas redes sociais à parcialidade do jornal Gazeta do Triângulo. Obviamente, por não estar em Araguari, não sabia que a edição que divulgou a pesquisa do IBOPE apontando o atual prefeito como favorito estava sendo distribuída gratuitamente. Não estou questionando a pesquisa, até porque não tenho dados para isso. É claro, contudo, que essa distribuição gratuita gerou algumas dúvidas nos cidadãos que pagam impostos. Quem pagou por esses jornais? De forma estranhamente generosa, foi o próprio Gazeta? A Prefeitura? Algum candidato? Quantos exemplares o Gazeta imprimiu e distribuiu além da tiragem diária normal? Como venho tentando acompanhar a gestão da cidade, ouso acrescentar algumas dúvidas às dos demais cidadãos. Quanto o Gazeta recebe da Prefeitura pela prestação de serviços ao Poder Executivo (por exemplo, publicação de atos oficiais)? Quanto o jornal recebe da agência de publicidade contratada pela Prefeitura para veicular peças publicitárias? A propósito, esta última pergunta se estende a todos os veículos de comunicação (rádios, TVs, etc.). Motivos das perguntas: esses gastos deveriam ser PÚBLICOS. Sabem por quê? Porque, no fundo, quem paga por esses serviços são os contribuintes. E, se a relação entre o município e esses veículos não forem transparentes e devidamente fiscalizadas, suspeitas podem pairar sobre os motivos da falta de imparcialidade de alguns setores da mídia.

Nenhum comentário: