quinta-feira, 26 de maio de 2016

Todomundo rouba, Ninguém fiscaliza







Em Nowhere, Todomundo assumiu o governo com uma única finalidade: pilhar o patrimônio público. Era extremamente desonesto. Fraudava o possível e, também, o impossível. Empregava parentes e amigos. Direcionava as contratações do transporte coletivo e da limpeza de ruas. Sem dó do povo, nem mesmo a compra de medicamentos escapou de sua sanha cleptocrata. Faria inveja ao bem amado Odorico Paraguaçu.


Com costas quentesTodomundo permanecia impune. Não havia fiscalização em Nowhere. Nem dentro. Nem fora do governo. Ninguém, o responsável por vigiar as contas públicas, não fiscalizava nada. Sua indolência superava à de Macunaíma, nosso herói sem caráter.


De vez em quando, cidadãos mais atrevidos ousavam denunciar as irregularidades praticadas por Todomundo. Mesmo assim, nada era apurado. Inerte, Ninguém não se preocupava com as falcatruas do governante, reconhecido extrativista do dinheiro público. Incomodava-se, isto sim, com a grande quantidade de denúncias. Esse denuncismo todo é perseguição política, dizia ele. Coitado de Todomundo...

Resumindo: Todomundo continua saqueando os cofres públicos, porque Ninguém fiscaliza. Dizem até que será reeleito. Ninguém estará na posse.

Nenhum comentário: