terça-feira, 1 de março de 2016

MP recomenda exoneração de parente de vereador nomeado para cargo no Executivo



Sabe aquela malandragem de vereador indicar parente para cargo no Executivo? E aquela outra de agentes públicos do Executivo "colocarem" parentes na Câmara de Vereadores? Pois é, em Araguari, esse tipo de malandragem, que pode caracterizar nepotismo cruzado, vem "passando batido". Nenhum dos poderes envolvidos tem interesse em controlar esse tipo de procedimento. Agora, em outros lugares, o buraco é mais embaixo. Em Jataí-GO, por exemplo, o Ministério Público recomendou a exoneração do procurador-geral substituto do município, que, coincidentemente ou não, é filho do presidente da Câmara de Vereadores. Vejam a notícia:


A promotora de Justiça Patrícia Almeida Galvão recomendou que o prefeito de Jataí, Humberto de Freitas Machado, exonere o servidor Douglas Antônio Rodrigues da Luz do cargo de procurador-geral substituto do município, por ter sido contratado por influência do pai, o vereador e presidente da Câmara, Marcos Antônio Ferreira da Luz.

Para a promotora, há indícios de troca de favores políticos entre os chefes do Executivo e Legislativo municipal. Ela observa ainda que a situação pode caracterizar a prática de nepotismo e, em matéria administrativa, se verificado que o comportamento do administrador ofendeu as regras da administração, fica configurada a prática de ato de improbidade.

Além da exoneração, a promotora orientou que o prefeito não contrate o filho de Marcos da Luz para ocupar cargos de provimento em comissão. Humberto Machado tem dez dias para encaminhar ao MP informações sobre as providências adotadas. (Texto: Cristiani Honório / Assessoria de Comunicação Social do MP-GO - Foto: banco de imagens)

Nenhum comentário: