sexta-feira, 31 de julho de 2015

Tarja Preta: denúncia à Corregedoria do MP


Em outubro de 2013, surgiram as primeiras informações sobre a Operação Tarja Preta, que apurava a atuação de um organização criminosa no estado de Goiás. O Ministério Público de Goiás investigou e está processando agentes políticos, servidores públicos e "empresários" que fraudavam licitações e contratos naquele estado. Na ocasião, vieram à tona diversas conversas comprometedoras entre membros dessa organização e agentes públicos do município de Araguari. Constatou-se, ainda, que a Prefeitura contratou, de forma irregular, o advogado que participava ativamente das empreitadas criminosas em Goiás. Diversos atos suspeitos desse advogado, de empresários, de agentes políticos e servidores públicos de Araguari emergiram. 

Entretanto, esses fatos não foram devidamente investigados na cidade. É o que penso. Por isso, há duas semanas, encaminhei à Corregedoria-Geral do Ministério Público do Estado de Minas Gerais (MPMG) uma denúncia sobre a atuação de representante daquele órgão na cidade. 

Conheço bem as pragas do corporativismo e da ingerência política que assolam as nossas instituições, mas espero, sinceramente, que o MPMG apure, com o rigor necessário, não somente o objeto dessa denúncia, mas também as condutas dos envolvidos na práticas de atos suspeitos em Araguari. Se o quadro permanecer assim, restará a impressão de que a lei penal em Minas é diferente da aplicada em Goiás.


Para que o assunto não caia no esquecimento, seguem alguns links de postagens sobre o tema:


Clique aqui e aqui também para ler reportagens do Diário da Manhã, de Goiânia, sobre os fatos investigados pela DERCAP no Estado de Goiás.
Clique aqui e leia o documento contendo as transcrições das escutas telefônicas feitas durante a Operação Tarja Preta.


2 comentários:

Anônimo disse...

MP, existe ainda? Tribunal de Contas existe ainda? Acho que isto é passado, ja foram extinto não? Dia 14 de agosto estar chegando, como fica a licitaçao do transporte publico,nada ne. Será mais um contrato emergencial com a Micheli(Sertran), pois so cego que nao ve que estão dando nó em goteira. Sera que se mudar de prefeito, muda de empresa? Meu voto será o xerox de milhares de eleitor, no sentido de tirar esta empresa daqui, pois estamos cansados de ver a situação do transporte, onibuns caindo os pedaços, pessoas sem nenhum conhecimento em relaçao a tratamento ao usuario, como de motorista e cobradores, engraçado maus tratos em animais da cadeia, e como fica maus tratos aos usuarios? A população estar conciente que a soluçao começa pela mudança nas eleições, então que venha, mostaremos que somos unidos e queremos mudanças.

Anônimo disse...

as compras efetuadas em araguari, são na maioria fraudulentas onde ja se viu tem umas empresas aqui que tem só uma portinha ou seja acho que o capital deva ser minusculo e vende 5 milhões a prefeitura anual. isso é uma vergonha.