quinta-feira, 11 de junho de 2015

Palpite infeliz e nada dúbio



O advogado e ex-juiz Rogério Fernal nos brindou com um palpite infeliz em sua coluna de hoje no Gazeta do Triângulo. Em suma, utilizando-se de argumentos de autoridade, ele tentou desqualificar o trabalho feito pela CLI da Caçamba. Seria até aceitável o questionamento se ele atacasse deficiências na investigação. Afinal, como ex-juiz, ele sabe que os integrantes da CLI poderiam ir bem mais fundo nas apurações. Entretanto, a postura do colunista parece ter outra finalidade. Palpite infeliz porém nada dúbio: clara defesa do prefeito Raul Belém, "o corajoso". 

Seria o caso, então, de se perguntar ao culto conhecedor do direito: 

1) se o prefeito é tão corajoso assim, por que não mandou investigar a origem do suposto pagamento, em dinheiro vivo e na calada da noite, feito aos prestadores de serviços da Prefeitura? Essa grana teria caído do céu? Ou os funcionários citados pelo denunciante e testemunhas pagaram do próprio bolso?

2) da mesma forma, por que o prefeito não afastou sua secretária e o procurador-geral pelo menos durante as investigações, como fez com outros servidores citados em situações menos graves do que a investigada pela CLI da Caçamba? Esses dois servidores não teriam quebrado a cadeia hierárquica ao deixar de comunicar ao prefeito que realizaram pagamento em dinheiro vivo a fornecedores não contratados? Ou será que o prefeito é como o Lula, que nunca sabe de nada?

3) o prefeito não sabia da existência de contratos informais, como o investigado pela CLI da Caçamba e aquele outro feito com o advogado Tomaz Chayb? 

Um comentário:

Ianis disse...

Prezado Auditor,

Ah... eu só faço mau juízo dos tais 7.000.

PUTA SACANAGEM R$150.000,00 se transformar em R$143.000,00 em tão pouco tempo.

E nem temos tanta inflação assim...

Atenciosamente,
Janis Peters Grants.