quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

Varrendo a sujeira pra debaixo do tapete

 Como já era esperado, a maioria dos vereador sepultou a Comissão Legislativa de Inquérito (CLI) da Caçamba. Por que era esperado? Porque a maioria dos vereadores é cúmplice dos mal feitos praticados no âmbito do Poder Executivo. Essa cumplicidade gera uma preguiça investigativa de fazer inveja a uma tartaruga manca. Mas, como se diz por aí, cada povo tem os governantes que merece.


Pois bem, uma reportagem de hoje do Gazeta do Triângulo mostra bem a quantidade de sujeira que a maioria dos vereadores, alguns em nome de Deus, varreu pra debaixo do tapete. Embora não se trate de uma investigação jornalística, o texto mostra claramente que, ao contrário do alegado pelos vereadores omissos e por parte da imprensa venal, existiam, sim, indícios para se abrir um processo legislativo a respeito do assunto. Diz o jornal:

"São notas fiscais de pagamentos, depoimentos do empreiteiro Juliano Abadio dos Reis e o relatório da sindicância interna da prefeitura sobre o caso, do qual faz parte a transcrição de um depoimento de Uguney Carrijo, ex-secretário de Serviços Urbanos. As declarações dele, com data de 15 de julho de 2013, confirmam alguns pontos do que fora relatado pelo empreiteiro da Disk Caçamba à Tribuna da Câmara, como o conhecimento do prefeito Raul Belém (PP) acerca do serviço de limpeza prestado sem licitação.

No documento da sindicância interna, Uguney afirma que o Procurador do Município, Leonardo Borelli e o prefeito lhe disseram para “ficar tranquilo, pois eles iriam resolver o caso”.

Juliano dos Reis afirmou ter uma “pendência” em torno de R$ 640 mil não recebidos, em serviços de limpeza para a prefeitura de janeiro a maio de 2013. Em sua defesa, ele garante possuir um arquivo com fotos e endereços dos referidos locais para os quais recebeu ordens do então secretário de Serviços Urbanos, e da secretária direta do prefeito. Uguney confirmou ter dado ordens de serviço, apenas verbalmente.

Resumindo a bagaça: com base em notas fiscais, fotografias e resultado de uma sindicância (documento público), o empresário alega ter prestado serviços sem contrato para Prefeitura. Esses serviços foram "contratados" por meio de ordens de serviço verbais emitidas por um ex-secretário. O denunciante argumenta, ainda, que o prefeito, Raul Belém, e o procurador-geral, Leonardo Borelli, sabiam dessa situação irregular. Acrescento eu: constam depoimentos de que pagamentos teriam sido feitos a fornecedores informais na calada da noite e em dinheiro vivo.

Se esses fatos - contendo indícios da participação do prefeito, do procurador-geral e de um ex-secretário - não merecerem uma investigação por parte do Legislativo, eu fico a pensar: pra quê servem, então, as tais CLIs? Enfim, qual a razão de existir uma Câmara de Vereadores na cidade? Por favor, não respondam.

Clique aqui e leia a reportagem do Gazeta.

7 comentários:

Ianis disse...

Prezado Auditor,

(...)
...pra quê servem, então, as tais CLIs? Enfim, qual a razão de existir uma Câmara de Vereadores na cidade?

Por favor, não respondam.
(...)

Respondo sim, treim bobo uai.

CLI em Araguari, significa exatamente:

Como Lidar com Impunidades.

Qual a dúvida?! Quanto ao Ministério Público?!

- Por favor, não responda!

Atenciosamente,
Janis Peters Grants.

Anônimo disse...

Então concordo com outro comentário...."Caçamba tá cheia de ratos". "Disk ratos"!! O que vai render é a fabrica de ratoeiras que com certeza virão com defeitos.

Fake disse...

Em 2016 pensem bem em quem vão votar para não reclamarem depois quando a m&rd@ começar a feder.

Anônimo disse...

É claro que nao teria CLI, o governo tem a maioria dos vereadores na mao. " VOTA A FAVOR DA ABERTURA DA CLI, QUE VC PERDE OS CARGOS COMISSIONADOS E OUTRAS BARGANHAS."

Anônimo disse...

nero belem atea fogo em araguari.

Anônimo disse...

Aguentar esse fulano mais dois anos. Eu estou preocupada se o ministério público vai fazer ele devolver as coisas no final. Afatá-lo parece que virou humanamente impossível.

Anônimo disse...

Juiz bom é o de Tupaciguara ele condenou o ex prefeito e três secretários a devolverem dinheiro que"sem querer querendo" eles embolsaram. Pegue o juiz emprestado, rapidinho ele dá um jeito nisso.