sábado, 6 de dezembro de 2014

Com dores, paciente, espera por cirurgia há um ano



Fonte: TV Vitoriosa.



PITACO DO BLOG

Em Araguari, a vida não imita a arte. Ao menos não imita a propaganda comprada pelos governantes, com dinheiro público, para enganar os menos atentos. Nas peças publicitárias, a saúde pública está uma maravilha. Coisa de primeiro mundo. Araguari, por exemplo, seria uma ilha de excelência no mar do caos. Entretanto, volta e meia, a realidade vem à tona. Escancara-se diante dos nossos olhos quando não nos atinge frontalmente. A reportagem mostra, justamente, mais um desses casos. Fratura exposta das mazelas da saúde pública.

A vítima da vez é o senhor Raul Zeferino. Se tivesse o sobrenome "Belém" talvez sua sorte fosse outra: já teria realizado a cirurgia pela qual aguarda há mais de um ano. Por sorte, o seu sobrenome significa "pessoa dedicada a Deus". É nessa condição e graças à ajuda divina, que ainda se acredita ser possível resolver o seu problema, amenizando-lhe as dores. Impossível mesmo é realizar uma cirurgia moral nos nossos governantes. Esses, definitivamente, não têm conserto. Só o diabo pra lhes dar um jeito!


4 comentários:

Ianis disse...

Prezado Antônio Marcos,

Esta matéria provoca RAIVA e DOR !!!

(...)
Art. 6o Todo cidadão tem o dever de comunicar à autoridade competente qualquer forma de violação a esta Lei que tenha testemunhado ou de que tenha conhecimento.
(...)

Fonte ignorada:
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/l10.741.htm

Atenciosamente,
Janis Peters Grants.

Anônimo disse...

Caro blogueiro, realmente é revoltoso ver uma situação dessa. A saúde pública é deficiente em todo país, não é uma particularidade de Araguari, Tupaciguara, Uberlândia e outras cidades circunvizinhas , mas, mesmo com toda essa lentidão, falta de apoio, interesse e estrutura governamental de cada local, se o paciente "botar a boca no trombone, bater o pé" e correr atrás de seus direitos as coisas se resolvem. Nesse caso específico está faltando também a família se posicionar e tomar frente, o Sr Raul com certeza não é uma pessoa sozinha, se lhe falta condição física ou intelectual pra tais iniciativas alguém já deveria ter feito isso por ele. Já vi diversos casos semelhantes acontecerem em cidades vizinhas e tais atitudes citadas acima por algum parente resolveu a situação seja em Uberlândia (hosp municipal/Sta Catarina), Goiânia, São Paulo etc. A meu ver, e acredito, e de muitas outras pessoas que viram essa matéria a responsabilidade não é totalmente da secretaria de saúde local, e sim, também das pessoas que convivem com ele. Eu jamais deixaria um parente ou conhecido nessa situação.

Anônimo disse...

Quem pode ver o MGTV 1 Edição no dia de hj viu a matéria sobre a saúde pública em Uberlândia, um verdadeiro caos. Tem pacientes que esperam por muito tempo, outros conseguem atendimento através liminares judiciais e alguns morrem antes de receber atendimento. O hosp da UFU tem lista de espera de 3 mil pacientes, o hosp municipal se tornou regional e apesar de ser considerado de primeiro mundo ainda falta alguns equipamentos que só a UFU tem. Mesmo assim se alguém correr atrás de direitos conseguem tratamento adequado porque quando a vaga se torna inexistente a secretaria de saúde encaminha para hospitais particulares custeia o tratamento e resolve. Por isso alguém mais instruído deveria levar esse Sr e ajuda-lo a se internar. Não é difícil, conheço diversos casos assim. Parem de apontar culpados e ajude-o.

Anônimo disse...

Lendo os comentários acima reflito e comento a SAÚDE de Tupaciguara que não é diferente das demais já citadas, acho até que pior. Lá só tem um hospital o qual não realiza nenhuma outra cirurgia além de cesárea, e quando faz. Os pacientes na grande maioria são encaminhados pra Araguari/ Uberlândia, e, em casos mais complexos ou até mesmo por falta de vagas vão pra outros lugares. Todos voltam relatando sempre o bom atendimento recebido nessas cidades. Os pacientes que já foram encaminhados pra Araguari, inclusive alguns funcionários públicos, relatam que o atendimento é excepcional e já presenciei casos que se não fosse a agilidade do hospital e médicos em atende-los talvez não teriam sobrevividos. De Uberlândia dizem a mesma coisa. Vem a indagação: "santo de casa não faz milagres" ? Ou a população de Tupaciguara é abençoada pela "Mãe de Deus"? Porque as vezes encontram dificuldades pra se internarem mas nunca voltam sem o devido tratamento.