quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Secretária tenta justificar problemas da saúde pública

 
O Gazeta do Triângulo traz hoje uma reportagem mostrando mais um problema na saúde pública (clique aqui para ler). Um motociclista acidentado no sábado à tarde, mesmo tendo uma fratura exposta da tíbia, teve que aguardar até a manhã de domingo para ser transferido do Pronto Socorro Municipal para o Hospital das Clínicas em Uberlândia. Segundo a Secretária de Saúde, Lucélia Rodrigues, o problema se deve à falta de leitos na rede pública de saúde. Nesses casos, o paciente é inserido numa lista de espera (regulação estadual).
 
Nenhuma novidade. Há muito, os usuários do SUS vêm sofrendo com os problemas da saúde pública. Faltam leitos, médicos, medicamentos. Enfim, falta gestão. Não somente recursos, mas também qualidade no gasto público.
 
Também não é novidade empurrar o problema para o Estado ou para a União. Atualmente, as prefeituras vêm se especializando em apenas socorrer e tentar manter estáveis os pacientes. A maioria das cidades não possuem hospitais públicos. Jogam o problema para a tal regulação. Praticam a "ambulancioterapia", despachando doentes para as cidades vizinhas.
 
Mas, em Araguari, há um detalhe a ser realçado. Ao tentar se eximir de culpa, a Secretária esqueceu-se de que Araguari já deveria ter seu hospital público. Se o "Hospital Municipal" estivesse em funcionamento, o número de leitos disponíveis aumentaria, evitando que parte dos pacientes da cidade tivesse que ser removida para Uberlândia. O pior: nem a Secretária nem o Gazeta se lembraram de que o governo que reclama da falta de leitos é o mesmo que apoiou o candidato a deputado federal Marcos Alvim, aquele mesmo que responde a processos por não ter aplicado corretamente o dinheiro recebido da União para construir o "Hospital Municipal".

2 comentários:

Ianis disse...

Prezado Auditor,

(...)
“Estou preocupado com a cidade que vem perdendo forças em relação a benefícios de recursos parlamentares.

Não existe previsão de empregos no futuro e isso é preocupante, pois nossos filhos terão que sair da cidade!”

Marcos Alvim
(...)

Fonte:
http://gazetadotriangulo.com.br/tmp/colunas/radar-bronca-2/

Não existe previsão de empregos no PRESENTE, não existe previsão de SAÚDE PÚBLICA de qualidade no PRESENTE, e uma série de outras preocupações dos Cidadãos também se fizeram presentes, conforme resultado do Pleito.

Cada cidadão tem a sua forma de pensar e manifestar sobre estes temas, e devemos respeitar isso.

Questão de foro íntimo.

Eu por exemplo, no contexto Gestão Pública, manifesto publicamente que agora me sinto um Operador do Controle Social, em um verdadeiro foro privilegiado...

Atenciosamente,
Janis Peters Grants.

Fake disse...

Isso porque segundo dizem Minas tem a melhor saúde do Brasil.