quarta-feira, 14 de maio de 2014

Caos na saúde: vereadores confirmam irregularidades no PSM

Lista feita por médicos com os principais problemas constatados no PSM. Essas falhas, no final das contas, acabam prejudicando a parte mais fraca: os usuários do SUS.

Deficiências no atendimento da saúde pública levaram o prefeito, Raul Belém (PP), o vice-prefeito, Werley Macedo (PDT), e os vereadores Wesley Lucas de Mendonça (PPS) e Eunice Mendes (PMDB) ao Pronto Socorro Municipal (PSM) no início da tarde de terça-feira, 13. De acordo com informações recebidas de usuários e de profissionais de saúde, em vez de quatro, apenas dois médicos atendiam no local. Além disso, outros problemas foram relatados aos agentes políticos: falta de medicamentos, demora no atendimento (pacientes esperando há mais de 4 horas para serem atendido), insuficiência do espaço físico destinado aos profissionais de saúde, baixa remuneração dos médicos.

Ouvida pelo jornal Observatório, a vereadora Eunice Mendes, integrante da Comissão de Serviços Públicos da Câmara, afirmou que as informações passadas por médicos, servidores e usuários do PSM são convergentes. Confirmam a ocorrência de diversos problemas na gestão e funcionamento daquela unidade. Entre as falhas, a vereadora destacou a falta de medicamentos, ocasionada, segundo ela, pela demora na realização de licitação. Lembrou o caso da licitação anulada no ano passado em razão de possíveis fraudes praticadas por investigados pela Operação Tarja Preta. Por fim, a vereadora disse que solicitou o comparecimento da secretária de Administração, Mirian de Lima, à Câmara para falar sobre os atrasos nas licitações e irá encaminhar uma denúncia ao Ministério Público relatando os problemas verificados no PSM.

Também entrevistado na ocasião, o vereador Wesley Lucas de Mendonça, presidente da Comissão de Serviços Públicos e membro da Comissão de Saúde da Câmara, reconheceu que a população está sendo penalizada em razão dos problemas recorrentes da saúde pública. Afirmou, ainda, que irá se reunir com as secretárias de Saúde, Lucélia Aparecida Vieira Rodrigues, e de Administração, Mirian de Lima, para tentar solucionar o problema da falta de medicamentos e outros produtos essenciais na Saúde, ocasionada pela demora nos processos de licitação.

Os problemas do PSM parecem não ter fim. Vejam alguns de nossos posts sobre o assunto:
- Fevereiro de 2011, aparelho de mamografia do PSM é encontrado "escondido" em um galpão da Prefeitura. Enquanto isso, as mulheres ficavam sem o exame, mas a Prefeitura pagava pela manutenção mensal do equipamento parado (clique aqui).
- Abril de 2011, servidora Mirian de Lima, ex-diretora do PSM e atual secretária de Administração, denunciou o mau atendimento naquela unidade e irregularidades na execução de contratos de compra de refeições e na manutenção de mamógrafo (clique aqui)
- Dezembro de 2011, no bojo das apurações das irregularidades ocorridas no PSM, veio a público a informação de possível omissão de servidora, que afirmou não poder fazer nada para evitar a morte de pacientes no local (clique aqui).
- Junho de 2012, o aparelho de raio-x daquela unidade estava quebrado (clique aqui).
- Março de 2013: veio a público a notícia da contratação irregular de servidores (funcionários informais) no PSM (clique aqui).
- Abril de 2013: servidora denunciou a existência de larva de mosca varejeira na refeição servida aos funcionários do PSM (clique aqui).
- Maio de 2013: faltam médicos no PSM (clique aqui) e pacientes reclamam do mau atendimento na unidade (clique aqui).
- Janeiro de 2014: paciente passa 3 dias "internada" no PSM e demora na realização de exames (clique aqui).



6 comentários:

Anônimo disse...

vereador da comissao de saúde e da base do prefeito não sabia de nada? parabéns seu Wesley Lucas

Anônimo disse...

Problema não é de saúde pública. O caso é de médico público que considera o SUS clínica particular e de propriedade deles. RIDÍCULA a situação provocada no PS em Araguari.
Agora, cabe a todos ficarem atentos nesse caso de licitações. Porque em uma administração pública em que a licitação não funciona nada vai pra frente. E ninguém questiona isso. E os tribunais deveriam ver a vida desses licitadores antes e depois desse momento público que não tem licitação nenhuma para o povo. Sáude, Educação, Transporte, Obras. Com certeza, Secretarias de onde o povo tem de ver resultados práticos, nenhuma delas está com a licitação em dia. As secretarias invisíveis: ADMINISTRAÇÃO, PLANEJAMENTO E FAZENDA, essas até parecem que nem existem. Imprensa nenhuma questiona. Que ironia é essa? De onde sai o dinheiro da Prefeitura para pagamentos e licitações? Quais secretarias são as ordenadoras financeiras de todo sistema público municipal em se tratando de dinheiro? Porque jogam pedras em secretários errados? Porque cuidam de consequências e abandonam as causas?Paguei meu IPTU em dia e à vista. QUe secretaria recebeu essa grana? Que secretaria tem de repassar isso pra remédios, pra semáforos, pra asfalto?
Parece até que o mal dos médicos lá estão pegando os jornalistas também...

Anônimo disse...

PARECE QUE ESSA ZORRA TOTAL FOI ATÉ PLANEJADA

Anônimo disse...

Engraçado, falam-se tão mal da saúde aqui em Araguari, e o que realmente não dá pra entender é como ainda tem pacientes das cidades vizinhas vindo se tratar aqui. Inclusive semana passada tinha pacientes de Tupaciguara internados aqui. Será que é o tal ditado "santo de casa não faz milagres"?

Anônimo disse...

Tupaciguara ta pior queria ver é gente de Uberlândia vindo tratar aqui

Anônimo disse...

Concordo plenamente com o comentário acima, Tupaciguara não tem saúde é de jeito nenhum, nem pública e nem particular, por isso já tenho residencia em Uberlandia também, UAI e Unimed. Qualquer coisa é 40 min pra chegar lá. Tupaciguara é bom pra se morar, descansar, uma boa prosa,pescaria, festas....no que diz política é igual a qualquer lugar "PANELA"!