quinta-feira, 15 de maio de 2014

Prefeitura e imprensa: relações nebulosas

Da coluna "Em Resumo", Gazeta do Triângulo, 14/5:


"TEMPO NEBULOSO
Algo muito estranho está acontecendo pelos lados do Palácio dos Ferroviários. Alguns funcionários do primeiro escalão estão amordaçados para repassar informações para a imprensa araguarina ou parte dela. Enquanto existe grande favorecimento para alguns órgãos de comunicação, outros passam muita dificuldade para receber míseras informações sobre as ações realizadas pelo povo palaciano. Qual seria o motivo de tal favorecimento e da mordaça? Com a palavra os responsáveis…"

Pitaco do blog

É de causar estranheza esse tipo de informação. Não pelo fato (favorecimento) em si. Mas, pelos supostos discriminados. Ora, a Gazeta do Triângulo, o maior jornal da cidade, está longe de receber tratamento discriminatório negativo por parte do poder público, em especial por parte desse "governo" que aí está. Senão, vejamos.

O Gazeta do Triângulo (Araguari Comunicações Ltda.) tem bons contratos com a Prefeitura. É o responsável pela publicação dos resumos de atos e contratos oficiais. Foi, ainda, contratado para fornecer 30 (trinta) assinaturas anuais à Prefeitura Municipal. Há ainda relatos de que profissionais desse veículo é que recebem informações privilegiadas de integrantes do governo.

Ademais, um episódio recente mostra que a discriminação existente não prejudica o jornal, mas sim outros veículos de comunicação, sabidamente mais independentes. No mesmo contexto em que a jornalista Leilamar Costa, Rádio Alternativa FM, foi destratada pelo secretário de Governo, Oliro Júnior, sendo impedida de entrevistar o prefeito, Raul Belém, uma outra jornalista teve melhor sorte. Refiro-me a Talita Gonçalves, curiosamente integrante do Gazeta do Triângulo, que, mesmo sem agendar a tal entrevista, foi bem recebida pelo referido secretário no gabinete do prefeito.

Enquanto presidente da APROCIMA, o senhor Márcio Marques deveria-se preocupar com o que realmente é importante. Falo, especialmente, das promíscuas relações entre o poder público e alguns veículos de comunicação social. Está na hora de abrir essa "caixa-preta". Por que jornalistas estão tendo seus direitos cerceados? Por que são ameaçados por agentes politicos impunemente? Por que alguns jornalistas têm informações privilegiadas devido à proximidade com os poderosos e por ocuparem cargos de confiança no serviço público? Por que as licitações para contratar serviços de publicação de atos oficiais contêm exigências para afastar determinadas empresas? Por que o poder público não divulga os valores pagos aos diversos veículos de comunicação social via contratos de publicidade e propaganda? Por que a Prefeitura adquire, sem licitação, assinaturas de determinados jornais e não de outros? Por que, enfim, a APROCIMA não veio a público repudiar, institucionalmente, as condutas do prefeito, Raul Belém, e do dito cujo secretário por suas condutas agressivas contra profissionais de imprensa da cidade?

Clique aqui e veja o video em que o prefeito, Raul Belém, faz ameaças ao jornalista Anderson Magrão, da TV Vitoriosa.

Clique aqui e veja a entrevista concedida pela jornalista Leilamar Costa à Rádio Onda Viva, relatando a forma desrespeitosa como foi tratada pelo secretário de Governo, Oliro Júnior.

4 comentários:

Anônimo disse...

LIXO

Anônimo disse...


#imprensaImprensada

Enge$$ada me$mo !!!

Por vezes, tenho saudades do tempo em que as notícias chegavam mais rapidamente, mesmo com toda a mão de obra que dava para montar parágrafos tipo a tipo. Eita.

Certa vez entreguei em mãos farta documentação direcionada a matéria investigativa, a um rapazola Diretor de Imprensa de grande veículo regional, e este simplesmente me soltou na lata:

- Cara, sua denúncia bate de frente em nossa principal colaboradora. Prometo ler, mas esqueça. Não publico isso de forma alguma. E como a criatura de fato é mais bela e gostosa que eu, dancei...

...

Anônimo disse...

Reconheço e respeito a soberania do dono do Blog, ao decidir por postar ou descartar comentários por aqui, mas começo a me emputecer com postagens colaborativas - longe de serem corporativas a quem quer que seja - que não vão ao ar.

E olha que postei justamente sobre:

#imprensaImprensada

Enge$$ada mesmo.

Vá entender, né ?!

...

Anônimo disse...

colunista de jornal que aprocima muito do poder político perde a necessária isenção opinativa