terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

De joelhos

nullvalezemiranda


Leonardo Neto (Léo Mulata), Paulo do Vale e Zé Miranda. Anotem esses nomes. Eu já anotei! Eles sepultaram a Comissão Legislativa de Inquérito destinada a apurar a atuação, dentro da Prefeitura Municipal, de pessoas envolvidas ou citadas nas escutas da Operação Tarja Preta, deflagrada pelo Ministério Público de Goiás.

De acordo com esses edis, nada de errado aconteceu na Procuradoria-Geral, no Departamento de Licitações e em outras repartições da Prefeitura. Provavelmente, tudo não passou de invencionice de jornalistas e blogueiros "marronzistas", os "derrotistas de plantão", que só querem macular a imagem do jovem e promissor Raul Belém.

O Legislativo costuma ser bastante criticado Brasil afora. Na maioria das vezes, as críticas são pertinentes. Afinal, os parlamentares costumam-se esquecer de que devem subserviência ao povo, não ao governante da ocasião. Prova desse servilismo parlamentar é a incontrolável proliferação de práticas franciscanas. É dando que se recebe! Troca-se apoio político por cargos no Executivo, mensalões, mensalinhos e outras benesses inconfessáveis.

Em Araguari, a situação não é diferente. Apoiar cegamente o prefeito, fazer leis inúteis e se omitir na nobre missão de fiscalizar o Executivo são práticas corriqueiras entre os vereadores (não todos). Embora seja difícil fazer comparações com o passado, o vereador Cezinha não estava muito errado quando constatou que a atual Legislatura talvez seja a pior que Araguari já teve. Temos uma maioria de vereadores disposta a engolir tudo que o prefeito enviar ao Legislativo. Alguns têm consciência do mal que estão causando à sociedade ao agir assim. Outros, nem por isto menos nefastos, nem sabem qual é a função de um vereador. São os ignorantes, porém úteis aos propósitos da turma do Palácio.

Nesse contexto podre, a conduta desses três senhores não nos assusta. Ela é a prova viva da vassalagem aos governantes. Ao enterrar a CLI da Tarja Preta, esses senhores se tornaram quase cúmplices do advogado Tomaz Chayb e de outros investigados. Não se preocuparam com as inúmeras pessoas que necessitavam de medicamentos que estavam em falta justamente porque a Prefeitura não realizou licitação para adquiri-los. No fundo de suas consciências, eles sabem por que a licitação não foi feita. Mas, o que é uma consciência, esse local pouco visitado, para quem vive de joelhos perante o Executivo? O que importa é salvar a pele dos peixes grandes possivelmente envolvidos em graves irregularidades. Estão se lixando para o Zé das Couves, que morreu por falta de medicamentos. Basta usar a verba parlamentar e mandar uma cartinha de condolências para os familiares dele, que ainda votam, e tudo estará resolvido.

5 comentários:

Anônimo disse...

só gente boa

Rafael Kesler disse...

Postagem devidamente compartilhada no meu blog e na minha "conta Google +".

Abraço.

Continue nesta louvável luta contra a brutal devassidão que assola instituições públicas da nossa oprimida Cidade Só-riso.
Admiro muito quem é corajoso e se dedica a falar a verdade nos caóticos tempos atuais.

atenciosamente,

Rafael Kesler

www.rafaelkesler1234.blogspot.com

Anônimo disse...

kd aqueles moçim que fazia moção pra CLI que agora ta no governo!

Anônimo disse...

Eu não voto para vereador,porque a maioria compra votos nos bairros. Tem pessoas que vendem o voto por uma cesta básica e o fulano fica 4 anos ganhando um dinheirão. É um cargo comprado se não comprar não ganha. Eu fico muito alegre quando eles dão o cano nas pessoas que os ajudam a fazer esse serviço sujo e quem vende também. A falta de indústrias favorece esse tipo de coisa para os espertalhões.

Anônimo disse...

Câmara de Vereadores é um troço caro, chato e inútil puro desperdício de dinheiro