terça-feira, 29 de outubro de 2013

Tarja Preta em Araguari: apurações lentas

Continuam lentas, no município de Araguari, as apurações da atuação de integrantes da suposta organização criminosa investigada pela Operação Tarja Preta no estado de Goiás. As instâncias de controle caminham devagar...
No Poder Executivo, afirma-se ter sido criada uma comissão de sindicância para apurar os fatos. Entretanto, até o momento não se sabe quais os seus integrantes e o que será efetivamente investigado. Além disso, nem seria necessário dizer, uma comissão de sindicância não terá autonomia suficiente para apurar fatos em que o próprio prefeito, Raul Belém, poderia estar envolvido.
No Legislativo, a maioria dos vereadores empurra com a barriga a instalação da Comissão Legislativa de Inquérito (CLI). Em termos concretos, temos apenas condutas efetivas de dois vereadores. O vereador Cezinha (PMDB), que, ainda no mês de setembro, questionou a legalidade da suspeitíssima licitação para compra de medicamentos, posteriormente cancelada pelo Poder Executivo. E a vereadora Eunice Mendes (PMDB), que solicitou cópias de processos licitatórios com suspeita de beneficiar pessoas ligadas à suposta organização criminosa. A mera assinatura de proposta de criação de CLI por alguns vereadores não pode ser considerado um ato concreto de fiscalização.
No âmbito do Ministério Público, as investigações estão defasadas. Em Goiás e no Mato Grosso, as apurações contaram com o apoio do Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (GAECO). Enquanto isso, em Minas, as investigações apenas começaram e, ao que se sabe, somente no âmbito da Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público, que não é um órgão especializado no combate ao crime organizado. Não se sabe, por exemplo, da adoção, via Poder Judiciário, de nenhuma medida de urgência, a exemplo da apreensão de documentos e computadores ou da determinação de suspensão de pagamentos relativos a contratos suspeitos.
O Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais (TCE/MG), ao que se sabe, ainda não investiga os fatos de maneira global. Como demonstrado em outros posts, apenas alguns processos de licitação suspeitos estão sendo examinados por aquela Corte.
ATUALIZAÇÃO ÀS 10H58: INFORMAÇÕES VINDAS DA CÂMARA DE VEREADORES DÃO CONTA DE QUE A CLI DA TARJA PRETA SERÁ ABERTA. ATÉ O MOMENTO, 14 VEREADORES ASSINARAM O PEDIDO DE INSTALAÇÃO.

8 comentários:

Anônimo disse...

em Araguari sobra TÁ LENTO

Aristeu disse...

Enquanto concentramos nossas atenções no "Tarja Preta" eles estão tendo over dose nos descontrolados.

Anônimo disse...

como os vereadores vao a defesa do povo se eles estao do lado do prefeito , o povo que tem correr atras,cade o movimento acorda araguari ...acorda movimento se nao essa corja vai criar raiz.ate quanto araguari vai ser capacho desses politicos e puxa sacos de sempre.

Anônimo disse...

ate quando . o povo nao aguenta mais afinal de que lado os vereadores estaoo do povo , prefeito e quadrilha

Anônimo disse...

separa isso tudo ai gente: de um lado o povo, do outro lado o resto

Anônimo disse...

Vamos manifestar na porta da Prefeitura.

Anônimo disse...

o prefeito sentou na graxa ,tem um depudado em reuniao no senado diz que quer puniçao, casaçao e exoneraçao aos envolvidos [nao podemos deixar inpune e uma vergonha para nos os politicos e pra invertigar todas cidades] e ai sr prefeito .

Anônimo disse...

Quais os reais prejuizos para o erario?, pois se for levar em consideraçao somente pagamentos feitos ou coisa semelhante, nao irao fundo na questao, uma vez que o grande prejuizo sao os traficos de influencia que os criminosos tiveram durante todo esse periodo. Seria como se o cod. de segredo do cofre da administraçao publica tivesse sido adulterada, o que por si so ja configura grande crime. A CONCLUSAO DA CLI deve ter isso como norte principal e seus desdobramentos.