sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Jogando no ventilador

charge

Como sempre, o Adriano Souza, do Gazeta do Triângulo, consegue dizer numa charge aquilo que os outros gastariam muitas linhas pra falar.
Entretanto, a ótica do chargista, no caso, não foge do senso comum. No episódio envolvendo o vereador Carlos Machado (PDT) e o secretário de Obras, José Radi, a impressão do cidadão comum é a de que este último realmente jogou merda no ventilador ao denunciar a ingerência indevida do vereador nos assuntos da "sua" secretaria.
Não era pra ser assim. O que deveria ser retratado em charges e na nossa indignação é a conduta do vereador. Pelo que se sabe, foi dele a ação reprovável e nada republicana. Não deveria ser normal um vereador, com a intenção de proteger o interesse de um parente, pedir para um secretário deixar de cumprir sua obrigação legal. Não é essa função a dos vereadores ou de qualquer outro agente público. Por isso, em situações desse tipo, a obrigação de qualquer cidadão achacado, sobretudo quando investido de função pública, é realmente a de jogar merda no ventilador. Só assim, com condutas corajosas de seus cidadãos, este país vai mudar.

9 comentários:

Edilvo Mota disse...

Em 2005, ao brecar a histórica ingerência do radialista-assessor parlamentar (esse mesmo sujeito que agora ocupa, de forma nada republicana, mandato político) também recebi "ameaças". Proibido de "dar ordens" a servidores da saúde, o radialista-assessor apelou.

Dizia o então radialista-assessor que "se o gabinete não tiver privilégios na secretaria de saúde, não interessa fazer parte da base".

Respondi a ele que secretário não tem "base na Câmara", e que sendo o SUS universal, qualquer tipo de privilégio era (e é) ilegal e imoral; e isso eu não admitiria.

O tal assessor (e seu chefe) usaram então duas táticas: 1) criticar, sistematicamente, nos microfones da rádio, todas as ações da secretaria de saúde e, por tabela, a pessoa do secretário (sempre que pude, intervi e peitei o tal assessor); 2) enviar requerimentos sem pé nem cabeça, questionar pessoalmente tópicos sem fundamento e, na surdina, "pedir a cabeça" do secretário em todas as ocasiões possíveis, diretamente ao prefeito. Também nunca me dobrei ao vereador.

É esse tipo de gente que torna Araguari motivo de piada em toda região. Uma lástima...

Aristeu disse...

Carlos Mal achado...

Anônimo disse...

Toma Araguari !!!!, neste momento bato palmas com a sola dos pés ao assistir esse bando de aloprados dirigirem nossa cidade, uma dupla de adolescentes sem experiência e reponsabilidade cercados de puxa sacos que pensam apenas em enriquecer em 8 anos.

Anônimo disse...

Carlos machado e o sr vice essa novela de mandar em nossa Araguari esta virando uma piada para o povo, quem paga os impostos somos nos a maioria e não temos direito nem de mandar em nosso voto que vergonha escolhemos mal os nossos representantes.

Anônimo disse...

Ontem, o Jornal Gazeta do Triângulo esteve na secretaria de Fazenda e segundo o titular da pasta, Érico Chiovatto, para equilibrar a situação econômica da prefeitura municipal, foi criada uma comissão que estudou e analisou a situação atual dos gastos e apontou os critérios que serão feitos para realização dos cortes de cargos. Isto significa dizer que, a escolha dos cargos de confiança que serão extintos será feita de acordo com a importância da função. “Levaremos em conta, a necessidade de alguns, indispensáveis para o bom andamento da prefeitura e, desfazer os cargos que não oferecem prejuízos ao serem extintos”, detalhou.

De acordo com a entrevista, 20% dos cargos de confiança serão reduzidos. “Também será feita uma fiscalização para cortar a insalubridade, além de horas extras, redução do número de estagiários e redução da carga horário deles”, disse.

Conforme entrevista, recentemente houve reunião com os secretários municipais, para fazer um levantamento sobre os cargos de confiança. Questionado sobre os motivos que levaram a esta decisão o secretário foi claro. “Tivemos diminuição na arrecadação do Fundo de Participação dos Municípios. Por isso é necessário a diminuição de despesas. A ação também foi resultado da sobrecarga do salário dos professores, que acarretou no aumento de mais de 30% na folha de pagamento da prefeitura”, explicou.

“Precisamos nos preparar para o fim de ano e ajustar os pontos. Portanto, vamos ter prudência e ajustar a máquina para 2014, ano de Copa do Mundo”, concluiu.

Conclusão: Quanto mais pontos, mais chances de ganhar o campeonato mundial de futebol.

Anônimo disse...

O texto acima foi copiado da Gazeta do Triângulo, edição de hoje: http://www.gazetadotriangulo.com.br/novo/index.php?option=com_content&view=article&id=27317:para-equilibrar-situacao-economica-prefeitura-deve-extinguir-cargos&catid=16:economia&Itemid=161

Anônimo disse...

entao se o cinto não apertasse iam manter os cargos desnecessários? se essa prefeitura fosse uma empresa quebrava rapidinho, mas como sempre tem o trouxa do cidadão pra cobrir o rombo a vida segue

Anônimo disse...

Eu acho é pouco para Araguari, pois agora aguenta. Não queriam mudanças, com toda certeza elas vieram, só que mudou pra pior.

Anônimo disse...

Hoje estava relendo estes comentários datados de outubro do ano passado e pude perceber que a situação está cada vez pior.Se não houver um movimento em prol do afastamento imediato desta gang, nosso Araguari vai pro brejo.