terça-feira, 15 de outubro de 2013

Joaquim Barbosa volta à Câmara de Vereadores

Ao contrário de parte da midia, que gosta de "por panos quentes" ou de "varrer a sujeira pra debaixo do tapete", alguns veículos de comunicação ainda são imparciais e buscam a verdade. É o caso do portal Notícias de Araguari. 
Na reportagem abaixo, o portal traz os desdobramentos da audiência pública realizada para tratar do trânsito na "saída para Uberlândia" (Ruas Joaquim Barbosa, Coromandel e Padre Nicácio). De acordo com a reportagem, o clima esquentou na Câmara. De um lado, o vereador Carlos Machado (PDT), que trabalhou pela realização da audiência e queria volta da mão dupla na Rua Joaquim Barbosa. De outro, o vereador Cezinha (SDD), que defende a permanência do sentido único na via. Vejam:


  • Câmara Municipal pega fogo, pela polêmica da Joaquim Barbosa

  • Câmara Municipal pega fogo, pela polêmica da Joaquim Barbosa


Um requerimento do vereador Cezar Batista de Olveira(SDD), Cezinha,  promete acirrar a polêmica em torno da Rua Joaquim Barbosa. Ele pede ao Executivo a permanência da via com sentido único e, junto ao requerimento, apresentou um abaixo assinado com 756 assinaturas demoradores das imediações da  referida via. As assinaturas vêm acompanhadas dos respectivos endereços.
Em sua argumentação, além das assinaturas, Cesar usou os dados apresentados pela SETTRANS – Secretaria de Trânsito e Transportes, que apontam redução no número de acidentes desde a implantação de mão única. Em sua fala também ressaltou que nem todos tiveram a oportunidade de participar da audiência pública, promovida pelo vereador Carlos Machado e realizada dia 26 de setembro, onde a maioria dos populares presentes se posicionou pela volta da mão dupla.  “O prefeito já me disse que não tem interesse em mexer. Acredito que ele vai se sensibilizar com as assinaturas e com a maioria da população que não quer mão dupla”, finalizou Cezinha.

Foto: Camara Municipal
O pedido do vereador aconteceu já na reta final da sessão ordinária de hoje (15) e ganhou o apoio de parte dos vereadores,  com destaque para Dhiosney de Andrade(PTC) e Tenente Luciano (PP), que colocaram em xeque o resultado da audiência pública, sob a argumentação de que fora manipulada.  Ambos os vereadores afirmaram que naquela ocasião os dados técnicos da equipe da Polícia Militar e da SETTRANS não foram devidamente apresentados.  “Se a carapuça servir, que vistam. Até parece que existem dois prefeitos”, declarou Dhiosney em seu pronunciamento.
Carlos Machado  rebateu os questionadores, alegando que todos poderiam ter participado e se posicionado na audiência foi pública. “O  Dhiosney  veio mas saiu na metade do evento e nada falou. O tenente Luciano acompanhou a audiência. Porque não argumentaram? Porque não encararam e disseram o que pensam à população? ... Quem seria o outro prefeito vereador Dhiosney?”.  A reação veio de pronto. “Não vou dizer nomes. Disse que, a quem servisse que se vestisse a carapuça...” “... Não permaneci na audiência porque o senhor  desrespeitou o secretário Barroso e sua equipe impedindo-os  de fazer a apresentação dos dados técnicos ...”, disse Dhiosney.
 Em resposta a Carlos Machado o tenente disparou:  “Ouça a fita (áudio de gravação) da audiência e veja quem foi o último a falar (na ocasião ele fora o último a se manifestar , dizendo que aguardaria o parecer técnico para se posicionar)”, e prosseguiu:  “ A audiência foi conduzida e não se esqueça que tenho formação profissional para lidar com pessoas do seu tipo”.
Diante das “amabilidades”, a sessão foi suspensa por alguns minutos e o assunto foi encerrado.  A sessão se encerrou por volta das 19 horas. 

Fonte: Notícias de Araguari (clique aqui e acesse o portal).

Já falamos desse assunto aqui. Clique nos links abaixo e leia:
Entrada proibida
O que há por trás da Joaquim Barbosa

4 comentários:

Aristeu disse...

Estão todos na contra-mão. Este negócio de baixo-assinado de moradores é muito relativo afinal a via é pública e não apenas dos moradores. No final vence o capital.

Edilvo Mota disse...

Poxa, Antônio Marcos... que susto.

Lendo o título da postagem, pensei que fosse o presidente do Supremo Tribunal Federal quem iria comparecer ao local.

Folgo em saber que estava enganado...

Anônimo disse...

Bom já que a coisa tá difícil de resolver vou ver se consigo dar uma luz à esta questão. Ignorar o investimento feito pelo governo federal, não sou PT, na duplicação da rodovia não pode ser ignorado, os benefícios com duplicação são inquestionáveis. Araguari é uma cidade com mais de 100 mil habitantes com problemas sérios que precisam de apreciação urgente do poder público (pb), é em minúsculas mesmo, e perder tempo se uma rua ou avenida vai ser mão dupla ou única é ridícula. A Rua ou Av Joaquim Barbosa deve retornar a ser mão dupla com estacionamento do lado direito da via no sentido BR 050. A velocidade do trânsito deve ser, eu disse deve ser e não poderia ser, controlada por radares com limite de 50 km por hora, dirigi-se em cidades centenas de vezes maiores que Araguari nesta velocidade e ninguém morreu por isso, esta ação com certeza não vai dificultar a vida de ninguém que trafega pela via e com certeza, eu disse com certeza e não eu acho, agirá de forma preventiva em acidentes. A proibição do trafego de trânsito de veículos pesados deverá ser anunciada por placas às margens da BR 050 antes do motorista entrar no retorno de acesso a Joaquim Barbosa. Quando me refiro a placas quero dizer placas de tamanho visíveis a uma altura em que a vegetação não impeça sua visualização e em local iluminado, as entradas de Araguari, na BR 050, são as mais escuras que já ví na região. Para o motorista de veículo pesado que por ventura entrar na Joaquim Barbosa verá uma uma torre, digo torre pois não sei ao certo ao nome que é dado aquelas placas de trânsito que ficam por sobre as rodovias presas em estruturas de metal que são apoiadas nas duas margens da rodovia, com a seguinte informação "SENTIDO OBRIGATÓRIO PARA VEÍCULOS PESADOS", tal placa deverá indicar, por meio de uma seta o sentido da Rua Bela Vista, obrigando aos condutores desavisados que eles terão que retornar para a rodovia, pela Rua Ver Geraldo Teodoro da Silva, e entrarem na Av Theodoreto Veloso de Carvalho. Caso a instalação dos radares necessite de uma legislação específica para instalação é só o pb procurar os orgãos responsáveis pelo trânsito em qualquer parte do Brasil que eles ensinam como fazer. Problema resolvido. Caso necessitem de maiores esclarecimentos é só postarem perguntas aqui no OA.

Anônimo disse...

Antigamente vereador servia para mudar nome de rua, hoje em dia nem isso!