sexta-feira, 2 de agosto de 2013

Falta de cuidados no Cemitério

Pessoas que compareceram a um sepultamento no domingo (21/07) viram a imagem chocante dos restos mortais depositados em um túmulo aberto no Cemitério do Senhor Bom Jesus.

Túmulo não identificado e aberto expõe indevidamente os restos
mortais de uma pessoa (foto: Observatório).


Atendendo ao pedido de leitores, a reportagem do Observatório compareceu por duas vezes na semana passada no Cemitério do Senhor Bom Jesus para conferir denúncias sobre as más condições do local.


Na quarta (24/07), foram confirmadas algumas denúncias sobre o acúmulo de lixo, inclusive de restos de caixões, em determinados pontos do Cemitério.

Além disso, a nossa reportagem deparou-se com uma cena desagradável. Um túmulo aberto, expondo, indevidamente, os restos mortais de uma pessoa, fato que já havia chocado pessoas que compareceram a um sepultamento no domingo (21). Verificou, ainda, que a situação decorreu da aparente falta de cuidados dos parentes da pessoa falecida com a manutenção do túmulo e da ausência de atuação da direção do Cemitério no sentido de notificá-los para cuidar da última morada do seu ente querido.

Caminhando pelo cemitério, a equipe do jornal constatou ainda que o problema pode ocorrer em outros locais. Isso porque alguns túmulos foram tampados apenas com lajotas (semelhantes às lajes de muros) sem o devido processo de assentamento (cola das lajotas com massa à base de cimento).

Na ocasião, o jornal ouviu o senhor Marcos (Marquinhos), assessor da Secretaria de Obras. Ele não negou a ocorrência do fato e de situações semelhantes. Contudo, ressaltou que “somente agora estamos conseguindo controlar. Não tinha organização. Está sendo feito um banco de dados para notificar as famílias. Segundo ele, a situação é responsabilidade da família.”.

Questionado se o fato não seria de responsabilidade da empreiteira, ele respondeu que “a empresa faz apenas a varrição e limpeza. Tem que ser notificada a família. Afirmou que irá mandar fechar o túmulo e verificar se a família irá cuidar da sua manutenção, sob pena da perda do direito ao espaço no cemitério.”.

Por fim, registrou que precisa de mais um tempo para organizar o cemitério. Solicitou um pouco de paciência à população araguarina, uma vez que, “pela grande quantidade de túmulos, o trabalho não é fácil”. 

Na quinta-feira (25/07), a reportagem compareceu novamente ao local. O túmulo já estava tampado com as lajotas. Porém, a exemplo dos demais casos noticiados, não estavam devidamente assentadas. Com isso, os mesmos problemas poderão se repetir, uma vez que as lajotas poderão ser facilmente retiradas do local ou mudadas de posição, expondo novamente os restos mortais.

Sobre os problemas de manutenção, o administrador dos Cemitérios, Vanderlei Mariano, ouvido pelo blog Bastidores do Poder (www.politicaaraguarina.blogspot.com), afirmou que os serviços de manutenção ficaram prejudicados em face do vencimento do contrato anteriormente firmado com empreiteira.
 A Secretaria de Obras providenciou o fechamento do túmulo com lajotas. Entretanto, não houve o assentamento das peças, o que poderá levar a nova exposição de restos mortais. (foto: Observatório).

Transcrito do jornal Observatório (30/07).

Um comentário:

Leandro Cezar Maniezo disse...

E o cemitério que era pra ser parque, como está?