quinta-feira, 18 de julho de 2013

Perguntar não ofende



Estou vendo as entidades de classe se reunindo para discutir os temas importantes para a cidade. É o tal G-8 (Grupo dos 8, integrado por ACIA, CDL, OAB, entre outros). Isso, em princípio, é bom. Essas organizações são forças vivas da sociedade e possuem condições de contribuir para a melhoria da cidade. Entretanto, elas não devem se deixar capturar pelo poder público da cidade. Se isso acontecer, vão se tornar meros cabos eleitorais de pretensões futuras dos governantes da ocasião.
Aproveitando a oportunidade, como perguntar não ofende, gostaria de saber, por exemplo, onde estavam essas mesmas entidades quando, na gestão Marcos Coelho, foram aumentados drasticamente os tributos (impostos e taxas) com a edição do inconstitucional Código Tributário Municipal. 
Da mesma forma, desejaria muito de saber qual a opinião dessas entidades a respeito das inúmeras denúncias de irregularidades na gestão Raul Belém. O que esses representantes de importantes segmentos sociais estão fazendo para tornar mais eficiente e ética a péssima gestão pública da cidade?

2 comentários:

Anônimo disse...

as entidades nao reclamarao do hospital elefante branco

Aristeu disse...

Isto é máfia ou formação de quadrilha.