sábado, 15 de junho de 2013

Exoneração da diretora Cláudia Coelho foi motivada após desentendimento político


Foto: Gazeta do Triângulo
Manifestação na porta da escola reuniu alunos, pais e professores visivelmente revoltados

Foto: Gazeta do Triângulo

Apesar de manifestação no CEM, prefeito mantém decisão

Em entrevista, a secretária de Educação, Iara Faria afirmou que se trata de uma decisão política. “Os cargos de direção das escolas municipais são de confiança do prefeito Raul Belém. Estive com ele na última quarta-feira, e no mesmo dia com a Claudia que foi informada sobre sua exoneração. Provavelmente nesta segunda-feira haverá a substituição do cargo, ou seja, neste fim de semana será feita a escolha da nova direção”, ressaltou a secretária.
Conforme entrevista, apesar das manifestações na porta da escola, as aulas aconteceram normalmente e segundo ela, grande parte dos estudantes que participaram do protesto é do turno vespertino.

Antes de ser nomeada como diretora, Cláudia Coelho atuava como professora de matemática na escola há cerca de seis anos e também esteve presente, recebendo o carinho e o apoio dos manifestantes. Em entrevista, os pais Elgis Cardoso Machado e Maria Rita Batista Machado estavam bastante indignados com a situação. “Em poucos meses de atuação, a Cláudia se mostrou excelente em sua atuação como diretora. Nesta quinta-feira estive em reunião com o prefeito e ele afirmou que iria repensar sobre a situação”, disse Elgis. Sílvia Barbosa Rodrigues, mãe de dois alunos da escola também fez questão de falar sobre o assunto. “O trabalho da direção está bem feito e eu não acho justo tira-lá do cargo, que está sendo exercido com muita dedicação”, disse emocionada.

A maioria dos professores estava contra a decisão do Executivo, dentre eles, Reginaldo Moreira Faustino, Léa Aparecida Ribeiro da Cunha, Sandra Aparecida Santos de Souza e Mara Marta Montes Soares, os quais também manifestaram a insatisfação com a decisão. “Neste ano o CEM está entrando no eixo e, isto irá prejudicar o bom andamento da escola”, ressaltaram.

A diretora também recebeu o apoio de Nara Cafrune, diretora da Escola Estadual Professor Antônio Marques. “A minha participação é como mãe de aluno, e verifico diariamente que o trabalho tanto pedagógico quanto administrativo está sendo realizado com muita qualidade”, concluiu.

Clique aqui e leia o restante da reportagem no site do Gazeta do Triângulo, 15/06/2013.

Pitaco do Blog
O nome disso é "politicagem". Nomeia-se por conveniência política. Depois, pelo mesmo motivo, exonera-se. Não importa, nem na hora de nomear nem da de demitir, se a pessoa é competente ou não.
No caso específico, a ex-diretora tinha um bom relacionamento com a comunidade escolar. Todas as pessoas ouvidas pela reportagem e as que se manifestaram nas redes sociais só teceram elogios à sua atuação.
Mas, como dito, para os nossos políticos, competência é apenas um detalhe. Na visão deles, o que interessa na hora de nomear é o efeito político. Se, por exemplo, a nomeação garantir votos favoráveis aos seus projetos  na Câmara, está tudo certo. O resto não importa. Esse tipo de politica definitivamente não combina com a moralidade, a impessoalidade e a eficiência da Administração Pública.

5 comentários:

Anônimo disse...

Parece que o castelo de cartas do atual governo já começa a cair, como se não bastasse os desacertos do executivo agora é a vez do legislativo não se entender com o governo municipal. Um governo construido em cima de conchavos e alianças perigosas, ou alguém discorda? Acredito que esse governo não termina o mandato, cai antes, marcos alvim ate hoje ta chupando o dedo, não viu a cor do dinheiro. cezinha esta a ver navios. Crises com o paroneto e com o MP. Cuidado executivo e legislativo. estamos de olho.

Anônimo disse...

Infelizmente o que se vê é que em nenhum momento foi levado em consideração a competência profissional da servidora. Vossa Majestade o prefeito, usou o "poder" que lhe foi dado por nós para promover vinganças pessoais. Mais uma vez, podemos notar sua falta de experiência e profissionalismo. É o todo poderoso.

Aristeu disse...

Diretora recebe um direto, ora. Que facilidade! E pra gente demitir o Prefeito? Quanta diferença.

Anônimo disse...

direção é um cargo de CONFIANÇA ,pelo que sabemos, o nome ja diz ,então como manter alguém que é conta o prefeito...

Anônimo disse...

Se o cargo é de confiança, então vem a seguinte indagação.
O prefeito tem confiado demais em gente incompetente e quem realmente trabalha e tem competência está ficando de fora. Em resumo, mais uma vez é o povo que sofre.