terça-feira, 23 de abril de 2013

MP-MG faz orientações sobre a contratação de shows com verba pública



O Ministério Público de Minas Gerais (MP-MG) divulgou uma nota jurídica sobre os requisitos para contratação de artistas com verba pública pelas prefeituras municipais.

Para o MP-MG, é possível a contratação de personalidades do setor artístico sem obrigatoriedade de licitação, desde que "preenchidos os requisitos legais e constitucionais, e respeitada a necessidade de formalização do respectivo processo para a aferição das exigências". A possibilidade é prevista no artigo 25 da Lei 8.666/1993, que autoriza a Administração Pública a fazer a contratação direta de artistas consagrados “pela crítica especializada ou pela opinião pública”.

São os seguintes os requisitos para contratação de shows por prefeituras sem licitação:
- contrato deve ser firmado pelo próprio contratado ou por meio de empresário exclusivo;
-  consagração do artista pela crítica especializada ou pela opinião pública deve está devidamente demonstrada nos autos da inexigibilidade, salvo se notória;
-  razão da escolha do profissional do setor artístico;
-  justificativa de preço (o valor deve ser razoável e similar a outros contratos firmados pelo contratado, baseado na média aritmética dos contratos firmados nos últimos 6 meses);
-  publicidade da contratação; e
-  comprovação da aplicação do mínimo constitucional nas áreas de saúde e educação.

De acordo com MP-MG, caso esses requisitos não sejam atendidos e devidamente demonstrados no processo de inexigibilidade, a contratação será inválida. Nesse caso, caberá o ajuizamento de ações contra o administrador público e os demais envolvidos para a invalidação do contrato, bem como para a imposição, se for o caso, de sanções em razão da prática de ato de improbidade administrativa.

 Contratação de shows em Araguari

Algumas contratações de shows feitas pela Prefeitura de Araguari estão sendo investigadas pelo Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais (TCE-MG). Dependendo do resultado das apurações, esses casos poderão desaguar no MP-MG e no Poder Judiciário.
Um desses casos foi a contratação de show da dupla Milionário & José Rico ocorrida em agosto de 2011. Há indícios de que o município pagou um preço consideravelmente superior ao pago por outras cidades pelo mesmo show. Foram gastos 97 mil reais com a apresentação da dupla. Além disso, o empresário contratado não seria exclusivo.
Um fato mais recente, conforme reportado na edição anterior, foi a contratação de artistas e de uma empresa para as festividades do Carnaval deste ano. A festa teria custado aproximadamente 500 mil reais aos cofres públicos. Suspeitas de irregularidades em contratações e de favorecimento à empresa Cia Fivela de Prata Ltda. Elencamos aqui as falhas no edital de licitação que poderiam beneficiar a referida empresa. Ao final, a Fivela de Prata foi a única que participou da licitação, sendo, em seguida, contratada para organizar o evento.  
Transcrito, com adaptações, do jornal Observatório, 19/04.

Leia também:

Um comentário:

Anônimo disse...

ola bom dia!! gostaria de fazer uma pergunta? qual o horario de atendimento da assistencia judiciaria de araguari? de manha nao tem ninguem? para atendimento, a tarde a gente chega la meio dia tbem nao tem ninguem para atender. so depois das 13:30 e nos fica esperando igual bobo la ate estagiario ou um advogado chegar ou seja ate as 14;00 ai qdo acontece de precisar de ir la levar um documento eles falam que é ate as 18:00 o atendimento a gente sai doida do trabalho chega la as 17:20 naoo tem ninguem? assim é bom demais trabalhar e ganhar muito dinheiro.. vcs poderiam olhar isso ai pra nos colocar uma pessoa de manha por que nem todo mundo pode ir esses hoarios ou qdo acontecem de ir ta fechado.. essa prefeitura ta de brincadeira com o povo.. so quero lembrar que o iptu ja chegou aki na minha ksa e veio um absurdo.. e nos precisando de atendimento e eles trabalham como querem.. obrigada..