quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Som automotivo

Repórter Renato Peters (foto extraída do Gazeta do Triângulo)


Acerca dos abusos praticados pelos donos de carros com som automotivo durante o Carnaval araguarino, convém ouvir desabafo do repórter araguarino Renato Peters, da Rede Globo, feito no Facebook:

"As autoridades de Araguari foram rápidas para tirar o carnaval do centro.Mas, nenhuma dessas autoridades resolveu aparecer na praça do Parque de Exposições para ver a bagunça e a falta de educação do pessoal com carros com o som no ultimo volume. Fiz a maior propaganda da cidade e os visitantes que estão em casa ficaram horrorizados. Pena. Saio triste da minha terra. E as autoridades?!? Talvez estejam passando o carnaval em outro lugar.".


Pitaco do Blog

Infelizmente, Araguari e outras cidades vêm se tornando reféns da falta de bom senso dos usuários do som automotivo. Despreocupados com o sossego público, essas vitrolas ambulantes não conhecem limites. Fazem trepidar o chão até mesmo diante de hospitais.
Na nossa cidade, a culpa não é só desses barulhentos "cidadãos". O poder público, conforme reconhecido pelo Renato Peters, é omisso. No caso específico, é de se perguntar onde estavam os fiscais da Secretaria de Meio Ambiente e os integrantes da Polícia Militar? 
Além disso, faltam normas e ações concretas para disciplinar o uso do som automotivo. Lembro, por exemplo, que o simples uso abusivo de uma buzina é considerado infração de trânsito. Logo, desvirtuar o uso de um veículo automotor, transformando-o em uma boate ambulante deveria ser rigorosamente reprimido pelo órgãos de controle.
Por fim, se o uso do som automotivo for inevitável, deve, pelo menos, ser disciplinada e fiscalizada pelo poder público. Um dos passos essenciais nesse processo é a criação de espaços apropriados para essas pessoas estourarem os próprios tímpanos sem prejudicar o restante da coletividade. Afinal, como diziam os antigos: o direito de um termina quando começa o dos demais. Já está passando da hora de agir.

7 comentários:

Aristeu disse...

Eu odeio som... Até este do Blog, mas este eu desligo...

Edilvo Mota disse...

Esta situação já ultrapassou, há muito, os limites do respeito, da civilidade e do bom senso.

Embora se deva respeitar todo tipo de gosto (mesmo os da pior espécie) é inadmissível e inaceitável que alguns pensem que, em nome de sua liberdade de escolha, tenhamos todos que suportar o volume excessivo e o (em geral) mau gosto do que toca naquelas boates ambulantes.

O poder público falha (desde sempre) em não tomar providências. Omissão injustificável que requer ação imediata dos responsáveis.

Anônimo disse...

Estou lendo diariamente o blog e hoje resolvo falar do som automotivo, tirando o período carnavalesco, moro no bairro onde os vizinhos acham que são donos da rua, som automotivo alto, e não adiante tentar uma conversa pra chegar no acordo, ligar no patrulha ambiental sem sucesso já que um dos agentes é amigo e não pedem nem pra abaixar o som, ligar pra policia os mesmos fazem corpo mole e joga pra patrulha ambiental. Carros subindo e descendo com som auto até a madrugada. Procurei a Promotoria da cidade que infelismente estava de recesso, e a indignação por parte daqueles que pagam imposto, é REVOLTANTE.

Anônimo disse...

Somos reféns desses desordeiros e suas máquinas infernais fazendo barulho pelas noites da cidade, e quando alguém liga para o pessoal da Poluição Sonora ninguém atende, somos reféns de desordeiros e também de incompetentes!

Anônimo disse...

Somos reféns desses desordeiros e suas máquinas infernais fazendo barulho pelas noites da cidade, e quando alguém liga para o pessoal da Poluição Sonora ninguém atende, somos reféns de desordeiros e também de incompetentes!

Anônimo disse...

será que vai precisar começar a queimar alguns desses carros pro povo tomar atitude?

Renato disse...

Dentro do próprio local onde foi o carnaval ai deveria ter tido um local pro pessoal do som automotivo. todas as cidades onde o carnaval já é uma tradição e funciona realmente existe a questão do som automotivo e não causa problemas nenhum, exemplo disso é a cidade onde eu moro, Tupaciguara, que nos dias de carnaval coloca-se umas tendas pra esse tipo de atividade, e gostando ou não o público pra isso é grande. Infelizmente ai não teve tal espaço. Não sou contra fiscalização alguma, só gostaria que tivesse tido o espaço próprio pra isso como acontece em outros municípios. Tupaciguara, São Simão, Nova Ponte, Três Ranchos, etc. tem espaços apropriados para o som automotivo em suas festas, não podendo o proprietário do som ligá-lo em outro local senão o indicado. Se isso acontecer ele é convidado a se retirar e ainda sofre o risco de ser multado e mesmo ter seu veículo guinchado. Daí sim eu concordo; deu-se o local adequado e permitido então ninguém pode dizer que não sabia e assim eu acho certo as punições, mas sem ter a estrutura fica incoerente, melhor seria então fechar as lojas que vendem tal tipo de acessórios (som), mas duvido que isso seja feito pois geram recursos e empregos. Teria argumentos para ficar aqui horas argumentando, então antes de condenar o som que foi ligado na praça ou que é ligado em outros lugares em momentos diferentes talvez fosse melhor entender que essa situação envolve centenas de pessoas e que se tivesse sido dado o local com certeza não teria som na praça e ou em outros locais.
Peço desculpas, mas essa é minha opinião.
Obs: Não sou de Araguari, sou de Tupaciguara e fui passar o carnaval ai pois aqui esse ano não teve, gostei muito da cidade de vcs. Acho muito bom que isso seja discutido, pois gosto som automotivo e estranhei que o carnaval ai não tivesse o local para a prática do mesmo. ok?
Valeu? Fica a dica ai... Criem lugares pro som, vale a pena, muita gente gosta e se for em local certo não incomoda e o carnaval fica muito melhor, garanto...