quinta-feira, 22 de novembro de 2012

A Saúde Revisitada


Wellington Colenghi*

Outubro de 2010, logo após a eleição na qual Araguari não elegeu nenhum deputado. Eu e mais 11 companheiros somos chamados à sala da então secretária de saúde, Iara Cristina Borges. Eu mesmo já imaginava o motivo da reunião, já que as rusgas com a administração eram visíveis e não éramos bem vistos pela diretoria da Saúde. Sempre cobramos condições de trabalho e a administração só se comprometia a sanar as dificuldades “de boca”, sem nos apresentar as condições.

Não me surpreendi, quando ouvi da secretária que seríamos todos destituídos do cargo, já esperava isso. Ao questionar a secretária de saúde sobre o motivo da destituição, ela alegou insubordinação. Interessante é que nunca abriram um processo contra nossas pessoas por isso. Desde então, a secretaria de saúde desandou.

A administração Marcos Coelho foi peculiar em algumas situações, não só no caso em que nos perseguiu. Algumas até vexatórias, e se não fossem tristes, seriam cômicas. A Saúde foi a pasta responsável pela rejeição de Marcão e juntamente com a rejeição do funcionalismo, desencadeou uma série de processos que culminaram na derrota de Coelho. Desde o primeiro semestre do mandato, com a carta aberta, até o caso dos marmitex, Marcos Coelho não tomou medidas significativas, deixando a coisa rolar à bel prazer dos diretores da pasta,inábeis e sem tato com o público e menos ainda com o servidor.

O episódio da carta aberta repercutiu em todos os meios de comunicação locais. Nessa carta, servidores da secretária diziam-se alvos de maus tratos e perseguição por parte de membros da diretoria da saúde. Uma dessas diretoras citadas é a atual secretária de saúde. Marcão poderia ter evitado dores de cabeça já no começo de seu mandato, usando de pulso e tomando precauções. Lembro que na época, o alcaide preferiu tratar o fato como: “Coisa de um grupo de servidores ligados à oposição”. Com todo o respeito, o maior opositor do “Novo Modelo” foi ele mesmo.

O caso do TFD não nos passa despercebido, menos ainda, o abafamento que vereadores da base e com cargos na saúde providenciaram. Também não nos esqueçamos do esforço de alguns para que ela viesse à público. Notoriamente o vereador Sebastião Vieira tentou o possível para que se verificassem os fatos. Cito também o trabalho do repórter João Carlos, que na época cobrava através dos microfones da Rádio Vitoriosa cobrava transparência e cuidado com o dinheiro público.

Na mídia nacional, quando achava que nenhuma notícia acerca do atual governo me surpreenderia, surge o caso do mamógrafo. Parado e encaixotado. E para piorar, logo depois saberíamos que o mesmo receberia manutenção, mesmo empacotado e em desuso. A companheira Miriam Lima denúncia outras irregularidades, dentre elas, o caso do mamógrafo e o possível superfaturamento dos marmitex do PS municipal. Em vez de uma condecoração, essa colega foi injustiçada e humilhada, destituída do cargo, enquanto que as pessoas responsáveis pelas possíveis irregularidades continuaram no cargo.

A Saúde foi subadministrada e ainda continua sendo. Criaram-se apenas propagandas como a da “escolha técnica” de certa funcionária de carreira da saúde que resolveria os problemas. Logo depois descobrimos que a nomeação não era técnica, mas sim uma imposição de certa personalidade que manda de fato nos corredores da saúde. A aquisição de um adjunto ligado à imprensa foi mais uma tentativa frustrada de amenizar o quadro. Bastava um deslize na saúde e no outro dia estava nosso adjunto lá, no programa do irmão, justificando e cozinhando o galo. Infelizmente, para esse adjunto a truculência da titular da pasta e alguns diretores eram tantas que somente o microfone do irmão não foi suficiente. Outro mito criado foi o de que a atual secretária teria melhorado a saúde. Bem se melhorou, não foi a dessa cidade.

A saúde é o calcanhar de Aquiles de qualquer governo. No caso do “Novo Modelo”, essa pasta amputou as pernas da administração. O governo ficou exposto e não tomou atitudes. O lenga lenga do Hospital Municipal também causou-nos vergonha na mídia regional. Até hoje e em fim de mandato, o governo municipal não resolveu o problema que poderá ainda causar problemas ao futuro prefeito.

Listei aqui algumas passagens e opiniões próprias sobre a pasta onde sou lotado. Observei e acompanhei de perto. Há mais coisas a serem listadas, mas teria de escrever um livro. Talvez o título; “O Quadriênio Perdido” se encaixe bem. A pior gestão da saúde, fato que pode ser historicamente comprovado.

* Servidor Público Municipal e Estudante de Administração Pública.

37 comentários:

Anônimo disse...

antonio, saia do conforto de seu cargo em Brasilia, convide os criticos e venham nos ensinar como se administra. Fizemos o possivel, o grande problema e que voce deu ouvido demais aos frustrados. O senhor ajudou a prejudicar pessoas boas comsua infundada critica.

Edilvo Mota disse...

Não há reparo a fazer no texto de Wellington Collenghi.

Resta lamentar que os desacertos e descaminhos tenham levado a situação ao ponto em que chegou.

Estimamos melhoras à Saúde Pública.

Anônimo disse...

galando em criticos e frustrados, ai esta Edilvo MOta dando palpites. Edilvo vc ja foisecretario e sabe como a maquina funciona. Nao seja hipocrita e nos diga o que teve de melhorias em suagestao.Criticar de fora e facil.

Aristeu disse...

Antônio Marcos, estou parando de criticar ou comentar tanto quanto fazia, porque pouco se muda a não ser a indignação própria. Isto traz maléficos para nós mesmos. Se o Cristo foi pra cruz pense o que desejam a nós, os supostos prejudicados. Quando eu puder fazer algo mais, in loco, com a fraqueza dos meus braços e minha inteligência precária, terei feito muito mais que querer incutir ideias em terceiros. Cristo falava muito, chamava os poderosos de hipócritas e raça de víboras, mas dava o exemplo com ações.

Edilvo Mota disse...

Em sociedades civilizadas, os gestores públicos respondem às críticas com argumentos. E nos sistemas democráticos o cidadão pode, sim, e deve dar "palpites" quando o assunto é de domínio público.

São tantos malfeitos, incongruências e desvarios não explicados na gestão que se encerra que, definitivamente, esse tipo de "máquina" eu não sei (e não quereria saber) como funciona.

Minha gestão, como as demais, sofreu com as carências históricas do sistema de saúde pública. Porém, jamais me omiti de prestar contas à sociedade em relação aos atos sob minha responsabilidade. Nunca precisei me submeter ao vexame de pedir favores a políticos para acobertar ilícitos (que de mais a mais não ocorreram). Não me prestei a ser marionete deixando, como nos últimos 4 anos, que o comando da pasta ficasse em poder de vereadores. Tratei os companheiros servidores com respeito, sem deixar de exercitar o princípio da autoridade (se necessário, explico em detalhes o que significa isso).

Justamente por isso, não preciso fazer manifestações no anonimato. E deixei o comando da saúde (a meu pedido) sem rastros de lama como, lamentavelmente, ocorre agora.

Não me compraz assistir a este dantesco espetáculo de horrores. Preferiria estar aplaudindo a gestão que finda, após quase uma dezena de "gestores"; mas não há motivos para isto.

Wellington Colenghi disse...

Prezados Companheiros Edilvo e Aristeu:
O texto acima circulou livremente no Facebook, sem qualquer contestação, defesa ou contraditório das partes interessadas que são o alvo de minha crítica. Pedi ao companheiro Marcos para provindenciar a publicação e no anonimato permitido no blog surgem os ataques pessoais. Covardia? Medo? Do que e de quem? Para nós que apesar da amizade,algumas vezes aparece a divergência de ângulos, que depende da experiência pessoal de cada um, basta-nos a boa argumentação, cordial e ilustrativa.
Edilvo, se o anônimo solicitar-lhe explicações, aproveite a oportunidade e explique sobre a real necessidade da funcionalidade hierárquica para agilidade do Staff e mais ainda, dê uma aulinha sobre liderança. Se ele, ou ela, ou ambos, não entenderem, você fez sua parte.
Peter Drucker ensina: " Não existe país subdesenvolvido, existe subadministração". Guardemos a devida proporção e enquadremos o pensamento de Drucker na Administração Municipal. È válido, é coeso e não é anônimo.

Edilvo Mota disse...

Esta dispensa explicações:

Jornal Gazeta do Triângulo, coluna "RADAR":

“MÃOZINHA”
A coluna apurou que o prefeito Odelmo Leão (PP) teria disponibilizado ao prefeito eleito de Araguari, pessoas técnicas para auxiliar a comissão de transição de governo em setores como o da saúde, por exemplo."

Wellington Colenghi disse...

Amigo Edilvo;
Se nem a Democracia adentra portas na saúde, quanto mais uma equipe de técnicos. Técnicos na acepção do termo e não no imaginário do governo de plantão.

Anônimo disse...

ESSA CHORADEIRA ATÉ HJ!

Wellington Colenghi disse...

È Choradeira...mas eu choro só até janeiro....

Antonio Marcos de Paulo disse...

De vez em quando, nos deparamos com textos que dizem tudo aquilo que queriamos ter dito. Esse é o caso do artigo muito bem feito pelo Colenghi. Ele sintetizou, em poucas linhas, o que foi a gestão Marcos Coelho na área da saúde pública. A saúde pública, por ser um setor extremamente sensível, funciona como uma espécie de vitrine dos governos. Mal administrada, torna-se uma arma apontada para a cabeça dos gestores. O pior é que, antes de sepultar pretensões de maus gestores, uma saúde pública deficiente acaba matando muitos cidadãos comuns.

Anônimo disse...

Mas das conquistas e vitorias da administraçao na area da saude ninguem fala. Os senhores contam apenas um lado dos fatos. So a versao de voces e a correta? Sera que e?

Anônimo disse...

não vejo nenhuma conquista na área da saúde, uma pasta manipulada pelos "donos" dela. E por falar em Saúde, Iolanda, Coelhão, Jubão, Griep estiveram em Brasília. Soube de fontes fidedignas que foram tentar dar um jeitinho de tapar os buracos deixados nessa horrorosa administração. Há quem diga que o rombo é muito grande, e que o hospital municipal do alvim é troquinho barato perto do que está sendo desviado da saúde nessse governo. Isso que dá ter um prefeito bobão que vive babando, não tem pulso firme, não sabe comandar nada e deixa a sua administração nas mãos de inúmeros incompetentes!

Anônimo disse...

Então quem foi chorar na verdade foi o trio lá capital federal? Acho que deveriam realocar aquela ex-secretária de saúde, aquela das CLI's do TFD e PS lembram? No comando da saúde, pois essa brandava de peito estufado que era técnica.
Será que apenas agora a administração viu sua incompetência? Tarde demais...

Anônimo disse...

%arlos Machado na radio do Walmir dando entrevista. Com aliados igual a esse Machado, Raul nao precisa de inimigos.

Anônimo disse...

Preocupa-me muito o fato de pessoas intimamente ligadas ao futuro governo de Raul Belém, possuírem o discurso da austeridade orçamentária. Carlos Machado em entrevista ao Walmir Brasileiro hoje, disse que o governo tem o piso salarial dos servidores para cumprir e ainda tem o " funcionalismo achando que ganha pouco" e qu epor isso não sabe se Raul terá condições de aumentar salários. Analisando o discurso de Carlos Machados podemos perceber que se ele usou essas palavras é por que já sabe de algo. Enquanto isso, os mebros do SINTESPA vão amarrando o rabo com a futura gestão, sendo que se for necessário o sindicato agir,ele não o fará, pois o vereador sindicalista e a presidente da entidade estão correndo atrás de cargos. A solução? Desfiliação em massa seguidos de protestos e exigimos eleição para nova diretoria do Sintespa que já deveria acontecer esse ano.

Anônimo disse...

a tal de politica é suja, da nisso eleger um pelegão que nem esse pulha do Carlos Machado, servidor municipal se prepare você vai sofrer com vereador de naipe

Anônimo disse...

SINTESPA

SINT-o ES-tou P-aparicando a
A-dministração

Anônimo disse...

Todos devem se lembrar que Werley Macedo, quando da base Alvinista, fez de tudo para procastinar e impedir a revisão de plano de cargos e salários que já estava defasado no próprio governo Alvim. Werley não é simpático ao funcionalismo e Carlos Machado em entrevista ontem, já sinalizou que a desculpa de não haver orçamento para o funcionalismo será novamente usada. Preparem e apertem o cinto. Desfiliação sindical Já.

Anônimo disse...

Weley e Machado dois parceiros de picaretagem

Anônimo disse...

Mesmo antes de me tornar funcionário público descobri que essa SINTESPA não era sindicado dos trabalhadores e sim da administração. Me tornei funcionário e comprovei que estava certo.

Anônimo disse...

Desfiliação já!!! Vamos desfiliar em massa dessa bosta de sindicato!!!

Anônimo disse...

S.....omos
INTE..grantes do
S.....istema de
P.....ilantragem da
A.....dministração municipal

Anônimo disse...

Não sejamos burros, se desfiliarmos agora, se caso houver interesse, não pode disputar elição sem estar filiado. Tentemos mudar o quadro, se não o conseguirmos tirar o poder da mão do Tiãozinho deliquente e seus cupinchas, aí sim, desfiliemos todos.

Anônimo disse...

Voltando ao assunto da saúde, se os funcionários Marcelo e Mara forem pressionados, muita coisa virá à tona.Conversem com os dois os interessados e garanto-lhe que a questão do TFD será esclarecida.

Anônimo disse...

Acesso este site porque acho que nos trazem informações interessantes sobre nosso município ,mas tem gente que não sabe o que se passa e só dá palpites sem lógica e usando de palavras tão baixo nível , porque não vai procurar um trabalho ao invés de tentar detonar pessoas de bem; e que com certeza VOCÊ mesmo anônimo já correu atrás do Tiãozinho pedindo um favorzinho ; certamente em janeiro está com as trouxinhas debaixo do braço (cargo de confiança ,querendo barulho)...

Anônimo disse...

Num sei se conto...si num conto....afinal, "mais tarde vai tá no blog mesmo"....
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Anônimo disse...

mais em cima falam do machado, e pensar que ele foi eleito e o cabo carvalho não foi é pra matar. eu não votei no cabo carvalho mas torci por ele. tomara que ele seja aproveitado nesta nova administração poi meus filhos adora ele. fez e faz muito pelo esporte.

Anônimo disse...

A entrevista do Carvalho, Leonardo Borelli falando em choque e gestão, na saúde pelo jeito teremos chefes truculentos, Paroneto, Fernanda Debs perseguindo a gente.....mudança? Onde? E o Tiãozinho marrando o rabo com a administração. Kd o Dilson, tão combativo antes?
Montemos uma chapa, o SINTESPA tem de ser do servidor e não da administração e do Sebastião.
Renovação só com a gente pessoal, esquece o resto.

Anônimo disse...

pelo que eu to escutando por ai, o carvalho é de fácil trato. ele ta visitando algumas secretárias e esta agradando o pessoal. é pagar pra ver!

Anônimo disse...

Po caras, Udi já tem todo o secretariado, Araguari fica essa coisa de especulação... Uma cidade bem menor como é Araguari em relação a Udi, não poderia anunciar antes dela o seu secretariado? Mesmo que seja pra acabar com este disse me disse chato que tá existindo...

Anônimo disse...

ALÔ, ALÔ MOÇADA DA SAÚDE, DIA 02 DE JANEIRO UM PRESENTÃO PRA VOCES O DR. ALFREDO PARONETO, SE COM IOLANDA JÁ ERA RUIM IMAGINA AGORA COM ESSE MAL EDUCADO

Anônimo disse...

Paroneto é homem de atitude. Pelo menos dará apoio às mudanças necessárias na Vigilância e em outros setores que necessitam de mudanças urgentes.

Anônimo disse...

Logo logo a cidade vai conhecer as "atitudes" e vai espantar com a arrogância e falta de educação

Anônimo disse...

Luciano Mazao Leite disse: o cargo de secretario de saude nao pode ser enfiado goela abaixo, fazer pressao pra se auto-entrar e sim a pessoa tem que saber , ser técnica e ter contato direto com o povo.A pessoa a quem me refiro alem de subir em palanque faz parte de um grande partido influente e está fazendo pressao pra entrar si, essa pessoa so nao entrou muito na campanha pq senao com certeza o prefeito eleito perderia muitos votos. A minha maior preocupação é que, ao que parece, o novo governo irá optar por um secretário que encontra altíssima rejeição dentro da própria área da saúde pública.Se eu fosse uma pessoa indesejada como esse senhor, pegaria meu banquinho e sairia de mansinho.Agora uma pergunta que nao quer calar: Pq mesmo sendo rejeitado em todos parametros esse senhor quer o poder mais que tudo??Reflitam onde há fumaça ha fogo.Até quando a politica dominara e influenciará PESADAMENTE na saude de araguari?Pq o governo de marcos coelho nao foi pra frente na saude: simplesmente porque 2 vereadores mandavam e desmandavam na saude.E agora o governo da esperança deixa a pessoa com maior indice de rejeição se auto enfiar e o prefeito eleito aceita?Faça-me o favor.Como diz meu companheiro gigante: orai irmaos

Anônimo disse...

agora quem vai mandar na saude é o PSDB e a Unipac, agora vai fica legal

Anônimo disse...

TSC! TSC! TSC!
Disputas, egos....
O que mudará, independente de quem for o secretário, se for Luciano Mazão ou Paroneto, quem seja. Não muda.
Por médico na saúde...? Pra quê? Eles tem conhecimento pra administrar?
Querem fazer a coisa andar? Procurem administradores de verdade.