sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Dinheiro público no lixo


O secretário-adjunto de Saúde, Ronaldo César Borges, em entrevista à Rádio Vitoriosa, afirmou que o município, agora, está realizando os exames de mamografia por meio de uma empresa contratada em Uberlândia. Por um lado, a notícia é boa. Sinaliza que o município está atendendo à demanda da população que necessita do exame. 
Por outro, não há motivos para comemorar. O mamógrafo público, como sempre, continua parado. Durante a gestão Marcos Coelho, o aparelho funcionou por apenas um ano. Desta vez, aguarda peças para ser utilizado na Policlínica, que tem até anfiteatro.
Pois bem, o nome disso é prejuízo. Temos um mamógrafo se deteriorando com o passar do tempo. Temos, ainda, insumos (filmes, etc.) perdendo o prazo de validade, conforme comprovado em inspeção feita pela Vigilância Sanitária Estadual. Temos, também, funcionários (operadores do equipamento) recebendo salários, mas desviados de função ou, com o perdão da expressão, "coçando o saco". 
Esse, senhores, é o resumo de uma gestão que adora jogar dinheiro público fora.

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Prefeitura de Florianópolis convoca reunião após aluna reclamar da escola no Facebook


'Diário de Classe', página criada por Isadora Faber, de 13 anos, narra a rotina de problemas de escola pública e já tem 64.000 fãs

Nathalia Goulart
Isadora Faber, autora do 'Diário de Classe'
Página de Isadora Faber (foto) tem incomodado os professores (Reprodução/Facebook)
As reclamações da estudante Isadora Faber, de 13 anos, que mantém uma página no Facebook onde relata os problemas da escola pública onde estuda, em Florianópolis (SC), começam a surtir efeito. A secretária de Educação da cidade, Sidneya Gaspar de Oliveira, determinou que seja realizada, às 14h30 desta terça-feira, uma reunião com a direção da Escola Municipal Maria Tomázia Coelho, onde Isadora estuda, para analisar o teor das reclamações da aluna. Também estarão presentes no encontro os diretores de Infraestrutura e Ensino Fundamental, ambos da secretaria de educação.
Isadora, que está no sétimo ano, mantém desde julho uma página intitulada Diário de Classe, onde narra os problemas enfrentados diariamente por ela e pelos colegas. Nas últimas semanas, os conteúdos postados pela jovem circularam pela rede como um viral: a página já acumula mais de 64.000 fãs – na segunda-feira pela manhã, eram menos de 5.000. A popularidade das postagens da menina tem "incomodado" os professores, segundo ela.
Segundo a secretaria de Florianópolis, Isadora será convidada a participar da reunião desta tarde juntamente com sua mãe, Mel Faber. Porém, as duas ainda não foram localizadas pela secretaria. "A secretária tem muito interesse em conhecer esta menina", diz Ricardo Medeiros, assessor de Sidneya Gaspar de Oliveira. "A opinião geral no gabinete é que páginas como essa são bem-vindas. Agora, vamos avaliar se as reclamações são pertinentes." A secretaria estaria monitorando a página "Diário de Classe" desde o primeiro post, em julho. "Agora o caso ganhou outras proporções, e convocamos a reunião", diz o assessor.
De acordo com Medeiros, a Escola Municipal Maria Tomázia Coelho foi inaugurada há cerca de sete anos e apresenta "bom estado de conservação". Ainda segundo ele, desde fevereiro, encarregados pela prefeitura tem visitado o prédio para efetuar reparos, como a troca de maçanetas e a vistoria na fiação elétrica.
A própria Secretaria de Educação, contudo, admite que a situação poderia ser melhor. "A escola tem uma pendência junto à prefeitura, o que impede que ela faça o saque de 16.000 reais a quem tem direito para a manutenção", diz o assessor. "Isso ocorre porque a direção não prestou contas de seus gastos em 2011."
Procurada pela reportagem, a diretora da escola, Liziane Dias, disse que só vai se pronunciar após a reunião na Secretaria Municipal de Educação. 
Clique aqui e leia no site da Revista Veja.
Pitaco do Blog

Esta notícia nos obriga a fazer algumas reflexões. Fica claro que, graças às redes sociais, temos condições de melhorar a realidade ao nosso redor. Mais ainda, não precisamos ficar esperando o poder público ou a imprensa cumprirem o seu papel institucional. Podemos, sim, ser mais eficientes do que governantes e jornalistas. Enquanto o poder público e a imprensa se omitem por serem movidos por interesses políticos e econômicos, nós, cidadãos, só devemos prestar contas à nossa consciência. Não temos rabo preso. Em suma, esse tipo de notícia deve servir como incentivo para que sejamos cidadãos mais ativos em busca de um governo e de uma sociedade melhores. É um direito nosso.

terça-feira, 28 de agosto de 2012

ARAGUARI meu RERIGUERI

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Dúvidas

Segunda, véspera de feriado. Será que todos os médicos estarão atendendo nos Postos de Saúde e no Pronto Socorro Municipal? Ou será que alguns emendarão o feriado?

domingo, 26 de agosto de 2012

Eleições 2012: 2ª Pesquisa do Instituto Veritá


ARAGUARI - MG    24/08

Prefeito - Araguari/MGEleições 201229.43141.145.81.2119.4198.93.2Marcos CoelhoRaul BelémSerginho de JesusNS/NRBrancos/Nulos12 de Julho15 de Agosto0%10%20%30%40%50%60%
Se a eleição para Prefeito fosse hoje, e estes fossem os candidatos, em quem o(a) sr(a) votaria para Prefeito de Araguari? (Estimulada)
Pesquisa realizada no período: 09 a 12 de Julho de 2012 com o total de 500 eleitores. Com margem de erro: 3.03% . Registrada no TRE sob número: MG-00156/2012.
Se a eleição para Prefeito fosse hoje, e estes fossem os candidatos, em quem o(a) sr(a) votaria para Prefeito de Araguari? (Estimulada)
Pesquisa realizada no período: 22 a 24 de Julho de 2012 com o total de 504 eleitores. Com margem de erro: 4.35% . Registrada no TRE sob número: MG-00268/2012.

sábado, 25 de agosto de 2012

Concursos públicos em Goiânia e Araguari: semelhanças e diferenças

Justiça concede liminar e suspende concurso para procurador do Município de Goiânia
O juiz Sebastião Luiz Fleury, da 3ª Vara de Fazenda Pública Municipal e Registros Públicos, concedeu nesta sexta-feira (24) liminar pleiteada ontem pelo Ministério Público, suspendendo o contrato celebrado entre a prefeitura de Goiânia e o Centro Integrado de Desenvolvimento Administrativo, Estatística e Social (Instituto Cidades), e também o concurso para provimento de cargos de Procurador Jurídico municipal, que seria realizado neste domingo (26/8).

A ação civil com pedido de liminar foi proposta pela promotora de Justiça Fabiana Zamalloa do Prado, titular da 90ª Promotoria, com atribuições na área do Patrimônio Público (leia os detalhes). Ela argumentou que o município não realizou os procedimentos prévios para a dispensa de licitação, como, por exemplo, a verificação dos preços praticados no mercado, e nem mesmo pesquisas e estudos que permitissem chegar à conclusão da necessidade da contratação direta. Além disso, ficou constato em inquérito civil público que o Instituto Cidades é alvo de investigação em vários estados do País, inclusive em Goiás.

Para o magistrado, está claro que o contrato, no valor de R$ 3,9 milhões e feito de forma direta, sem licitação pública, fere os princípios da legalidade e, principalmente, da moralidade administrativa. “Ao que tudo indica, foi celebrado no ‘breu das tocas’ almejando interesses obscuros e imorais”, afirmou.

Ele ainda disse: “Vejo que a reputação ético-profissional do Instituto Cidades é, no mínimo, duvidosa. Assim, entendo que os fortes indícios de seu envolvimento em fraudes de concursos públicos, por si só, já não recomendaria a sua contratação, com dispensa de licitação”, observou Sebastião Fleury, para quem a realização do concurso pelo instituto pode macular a lisura do certame.

A dispensa da licitação, explica o magistrado, só pode ser adotada pelo poder público em casos excepcionais, listados no artigo 24 da Lei 8.666/93, conhecida como Lei de Licitações. O caso em questão feriu seu artigo 26, já que não trazia a justificativa do preço nem a razão da escolha da contratada.

O contrato alvo da ação foi celebrado prevendo prestação de serviços especializados em planejamento, organização, execução de concursos públicos a toda a administração municipal durante um ano, tendo um valor estimado de R$ 3.997 milhões.

Fonte: Ministério Público de Goiás.

Pitaco do Blog

Dessa notícia, podem-se ser extraídos alguns pitacos relacionados ao município de Araguari. Vejam as diferenças e as semelhanças:

I - o município de Goiânia, ao contrário do de Araguari, realiza concurso público para o cargo de procurador municipal. Aqui em Araguari, os cargos de procurador municipal só são acessíveis aos apadrinhados do governante de ocasião, ou seja, são cargos em comissão.
Pergunto:
1º por que em Araguari não é feito concurso para procurador municipal?
2º por que o Ministério Público do Estado de Minas Gerais e a Ordem dos Advogados do Brasil, Subseção de Araguari, são omissos em relação a essa ilegalidade escancarada?
3º por que os bacharéis em Direito e os advogados da cidade também não questionam essa imoralidade?

II - o concurso de Goiânia foi suspenso judicialmente por irregularidades semelhantes às existentes no concurso público do município de Araguari (falhas graves na contratação da banca examinadora).
Pergunto:
1º por que o Ministério Público em Araguari não agiu com a mesma eficiência demonstrada pelo Ministério Público de Goiás?
2º como é que um gestor tem a cara de pau de pagar 3,9 milhões pelos serviços de realização de um concurso público, cujos custos, em condições normais, não ultrapassariam 500 mil reais?
3º será que os concursos públicos e processos seletivos em Araguari também vêm sendo realizados no "‘breu das tocas’ almejando interesses obscuros e imorais"?

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Pacientes do SUS também são seres humanos



Pitaco do Blog
Os fatos estão aí. De um lado, pacientes reclamando de que estão sendo tratados como cachorros. De outro, a secretária de Saúde, Iolanda Coelho, tentando justificar as falhas no atendimento.
Os problemas da saúde pública vêm se arrastando há tempos. Todos, de uma forma ou de outra, somos vítimas dessas deficiências. Quem não conhece alguém que já foi mal atendido nos Postos de Saúde ou no Pronto Socorro Municipal?
As desculpas são as mesmas. Falta de médicos. Pacientes que, antes de irem ao Pronto Socorro, deveriam procurar os Postos de Saúde. Não justificam. Existem graves falhas de gestão na saúde pública do município. 
Os culpados? Os mesmos de sempre. Primeiro, o prefeito Marcos Coelho: por ter escolhido mal os gestores da Secretaria de Saúde e por não fiscalizar o trabalho dessas pessoas. Segundo, os responsáveis pela Pasta da Saúde. Não conseguem administrar bem os recursos humanos e materiais disponíveis no setor. Lembrando que administrar incluir os deveres de fiscalizar, de exigir tratamento humanizado, de organizar e fazer cumprir escalas de plantões, de punir profissionais que faltem ao trabalho, etc.
Infelizmente, tudo que está ocorrendo era extremamente previsível. Quando não se trata a coisa pública com seriedade, o resultado é conhecido. Como os maus gestores não chegaram ao poder por acaso, podemos dizer que, além de vítimas, somos também culpados por todas essas mazelas. 
Já passa da hora de reagirmos. Escolher melhor os gestores e fiscalizar o trabalho deles são duas medidas que estão ao nosso alcance. A saúde pública de qualidade é um direito de todos. Até quando continuaremos sendo tratados como cachorros pelos governantes? 

Mapeando a cidade


A Prefeitura Municipal de Araguari pretende gastar 285 mil reais na contratação de empresa empresa especializada em aerofotogrametria para prestação de serviços de aquisição de imagens aerofotogramétricas, ortorretificadas, com restituição aerofotogrametria do novo perímetro urbano do 
Município e dos distritos de Amanhece, Florestina e Piracaíba.
A entrega das propostas ocorrerá no dia 31 de agosto. O edital está disponível no site da Prefeitura (clique aqui para ler).

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Escolha o nome da bola da Copa 2014



Serras Azuis é aqui - I


Qualquer semelhança não é mera coincidência. A vida imita a arte e vice-versa. Alguns trechos do romance Serras Azuis, do escritor Geraldo França de Lima, confirmam isso.
Em um deles, ao traçar o perfil do coronel Eleodegário, um dos mandatários de Serras Azuis, o imortal escritor araguarino afirmou:
"Eleodegário pula para todos os lados, tem de dividir o bolo com perícia e calma, sobretudo com muito cálculo. Precisa, também, conhecer os pontos fracos de suas ovelhas para dar o xeque-mate na hora exata. Harmonizar pontos de vista contrários, conciliar interesses em choque, contentar um, sem descontentar outro, furar o tumor na hora propícia: eis as qualidades que fazem de Eleodegário o chefe. Por amizade ninguém toma partido: entram na luta, só por interesse, remoto ou próximo. Há cargos que só se distribuem entre parentes: outros entre maiorais, e, outros, comuns."
Basta comparar os trechos destacados com a realidade da cidade. Araguari nunca deixou de ser Serras Azuis. 

Transformando incompetência em esperteza


Pode-se dizer que o governo Marcos Coelho comete muitos erros. Pode-se, até mesmo e sem nenhum exagero, afirmar que é um governo incompetente. Entretanto, jamais poderemos dizer que não é um governo "esperto". 
Na Bíblia, Cristo transformou água em vinho. O Novo Modelo de Desadministração transformou incompetência em esperteza. É o caso do concurso público, suspenso por diversas irregularidades pelo Tribunal de Contas. Espertamente, o governo procurou a Justiça Eleitoral e conseguiu uma autorização para realizar um processo seletivo durante o período eleitoral. Detalhe: no processo seletivo, que não terá provas escritas, apareceram diversas vagas que não existiam no concurso público, aberto em abril deste ano.
No concurso público, por exemplo, não existiam vagas para vigias, auxiliares de serviços gerais e serviços gerais. Já no processo seletivo, num passe mágica, surgiram, respectivamente, 10, 6 e 8 vagas para esses empregos (vejam no quadro acima outras vagas criadas nos últimos quatro meses). É esperteza demais para o meu gosto. O inferno é uma consequência muito branda para punir condutas tão espertas assim.

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

PSF nega atendimento por falta de médico




Pitaco do Blog
Faltam médicos. Sobram reclamações. Anda em falta também o respeito pelo cidadão que necessita do Sistema Único de Saúde.
Seja quem for, o próximo prefeito terá um imenso trabalho para tentar resolver os problemas da saúde em Araguari. Em período eleitoral, ouvimos promessas de todo tipo. Parece que todos podem nos proporcionar o melhor dos mundos. Prometer é fácil. Difícil é ter coragem de enfrentar um sistema podre, comandado por maus profissionais de saúde e por empresários inescrupulosos. 
Sinceramente, é impossível acreditar que alguém tenha capacidade e coragem de debelar esse câncer instalado na saúde pública do município. Por isso, independente de quem vier a ser eleito, continuaremos a conviver com esse tipo de notícia. Na melhor das hipóteses, se formos responsáveis na hora de votar e de fiscalizar os eleitos, poderemos amenizar o problema. Ainda assim, estaremos longe de dar a todos os cidadãos um tratamento digno.

Tapetão?

Abre aspas para a coluna Radar, Gazeta do Triângulo, 17/08:
"TAPETÃO
A coluna apurou que a assessoria jurídica do candidato a prefeito do PP de Araguari, conseguiu através de liminar na justiça, que sejam retiradas as placas relacionadas a obras da prefeitura, o que eles entendem favorecer o candidato a reeleição do PMDB."

Pitaco do Blog
Obviamente, esta é a opinião de um jornalista alinhado com o governo Marcos Coelho. Por que tapetão? O art. 5º da Constituição Federal garante a todo aquele que sentir lesado o direito de recorrer ao Poder Judiciário. De acordo com o jornalista, o  prefeito pode praticar irregularidades durante o período eleitoral, mas os cidadãos e os partidos políticos não têm o direito de questioná-las judicialmente. Na visão dele, o questionamento feito por partidos e coligações equivale a uma espécie de "jogo sujo". Desde quando procurar o Poder Judiciário é jogar sujo?Praticar irregularidades com o dinheiro público, em período eleitoral ou não, é jogar limpo? 
A propósito, há diversas condutas estranhas do governo municipal neste ano eleitoral. Exemplos? Vamos lá: doação de terra, perdão de dívidas tributárias, contratação temporária (sem prova objetiva) às vésperas das eleições, publicação e distribuição de um jornal enaltecendo a figura do prefeito, etc.

terça-feira, 14 de agosto de 2012

Remessa de dinheiro a paraísos fiscais: lutando por uma medalha

Fonte: Democracia & Política

A remessa de dinheiro a paraísos fiscais é um dos "esportes" mais praticados na atualidade. Se fosse uma modalidade olímpica, o Brasil estaria próximo de conseguir a medalha de bronze. É o que mostra  um estudo do Tax Justice Network  (rede de justiça fiscal, em livre tradução).
Brasileiros tornaram o país o quarto maior cliente de contas em paraísos fiscais, de acordo com estudos daquela instituição. 
Segundo o relatório, ainda não divulgado, brasileiros tinham depositado de 1970 até 2010 cerca de US$ 520 bilhões (ou mais de R$ 1 trilhão) nessas contas, onde se pode guardar dinheiro em razoável sigilo, sem ter de responder a muitas perguntas nem pagar imposto. 
O valor equivale a pouco mais de um quinto do PIB (Produto Interno Bruto) oficial brasileiro. 
De acordo com o estudo, o tamanho da fuga de capitais do país é maior do que a dívida externa acumulada no período, de US$ 324,5 bilhões.
Fonte: Folha on line, 23.07.2012.

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Fábrica de automóveis elétricos em Araguari

Reproduzo abaixo comentário enviado pelo arquiteto e funcionário público Alessandre Campos acerca da possível instalação da fábrica de carros elétricos no município pela empresa Tazzari Group:

"Recebi hoje (13/08) a visita do Sr. Alessandro Fideli, representante da Tazzri no Brasil onde me demonstrou por documentos o seu vínculo com a empresa e disse que a motivação da implantção da fábrica no Brasil é estratégica e em Araguari por questões logísticas.

Ele disse também que a única coisa que interessa a empresa Tazzari é o business e não a política.

Espero que a concretização do negócio, tendo em vista que a empresa, conforme disse o representante da Tazzari, já está negociando o aluguel de um galpão para iniciar as operações da fábrica, porém, não deixou claro a data de início.

O primeiro encontro com o governo municipal não foi registrado por foto, conforme disse Alessandro Fideli, por um pedido seu, o que foi respeitado.
Ele disse, também, que o fato da empresa não colocar informações sobre suas representações em outros países é uma questão cultural da Itália e que isso não é feito na internet mas me mostrou documentos que comprovam o vínculo dele com a empresa italiana.

Agradeço a visita de Alessandro Fideli e desejo boa sorte na implantação da fábricca em Araguari e que a empresa possa trazer desenvolvimento social, ambiental e tecnológico para a cidade.

Agradeço ao meu mais novo amigo Alessandro Fideli pelo respeito, consideração e a disponibilidade em me procurar para entender as condições que me levaram a fazer a postagem do dia 08/06 e peço-lhe desculpas por qualquer mal entendido.

Peço a publicação desta nota como retificação da nota do dia 08/06.".


Penso que a publicação como postagem atende ao pleiteado pelo ilustre leitor Alessandre.
No mais, espera-se seja confirmada a instalação da fábrica. Que ela venha contribuir para o desenvolvimento do município. A cidade de Araguari merece.


domingo, 12 de agosto de 2012

Impunidade


O Superior Tribunal de Justiça (STJ) tem 35 processos contra governadores parados à espera de autorização das assembleias legislativas estaduais para que sejam julgados. Nestes estados, há dispositivos das constituições locais que exigem autorização prévia das casas legislativas, em votação por dois terços, para que o tribunal possa examinar as denúncias, processar e proceder ao julgamento. Os pedidos não foram respondidos pelas assembleias estaduais desde setembro de 2003. O dado foi divulgado pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), que vê nas normas uma blindagem aos governadores por crime de responsabilidade.
Fonte: Diário do Comércio e Indústria, 23.7.2012

Secretaria de Planejamento esclarece inscrições para casas em Amanhece

Queimando dinheiro público

No dia 22 de agosto de 2011, a Prefeitura de Araguari comprou gasolina a R$ 3,28 (três reais e vinte e oito centavos) o litro.


Enquanto isso, a trinta quilômetros daqui, a Prefeitura de Uberlândia adquiria a mesma gasolina por R$ 2,77 (dois reais e setenta e sete centavos).


Trocando em miúdos, a Prefeitura de Araguari pagou R$ 0,51 (cinquenta e um centavos) a mais por litro do combustível. Ao encher o tanque em Araguari, o abastecimento feito de acordo com a nota fiscal acima custou R$ 180,52 (cento e oitenta reais e cinquenta e dois centavos). A Prefeitura de Uberlândia colocaria os mesmos 54,95 litros de gasolina por R$ 152,21 (cento e cinquenta e dois reais e vinte e um centavos). Diferença de R$ 28,31 (vinte e oito reais e trinta e um centavos). Em suma, a Prefeitura de Araguari comprou a mesma gasolina 18,41% mais caro que a de Uberlândia. 

sábado, 11 de agosto de 2012

Canteiros sem meio-fio deixam trânsito perigoso




Pitaco do Blog
Esse tipo de fato é corriqueiro em Araguari. Jogam asfalto. Esquecem dos meios-fios. A população também contribui. Cria seus atalhos na omissão deixada pelo poder público.
A propósito, a cidade vive um surto de súbito asfaltamento de ruas. Período eleitoral. Tentativa de reeleição. Agora, convém ficarmos atentos à qualidade dos serviços, inclusive quanto à construção desses meios-fios nas vias que estão sendo asfaltadas. Sabem como é, obras apressadas e eleitoreiras costumam apresentar falhas.

Falta de transparência


Fazer um blog sobre a gestão pública não é fácil. Em Araguari, então, nem se fala. O meu trabalho está sendo extremamente dificultado pela falta de transparência dos gestores municipais. Com isso, sou forçado a reduzir o número e a profundidade dos temas abordados e, por conseguinte, o número de postagens. Também, os meus seletos leitores, a quem agradeço pela confiança, são privados de informações que deveriam ser públicas. Afinal, todos nós temos o direito de saber para aonde vai o dinheiro dos nossos impostos.
A Prefeitura Municipal  e a Câmara de Vereadores não respondem aos meus requerimentos. As informações sobre a gestão pública, quando lançadas em seus sítios eletrônicos, são insuficientes e obscuras. Não nos permitem saber como o dinheiro público está sendo gasto. Com isso, são descumpridas a Lei de Responsabilidade Fiscal e a Lei da Transparência. Isso prova que a culpa pelas mazelas do país nem sempre é do Congresso Nacional. Senadores e deputados, nesse caso, fizeram  leis boas, elogiadas até fora do país. Quem as descumpre são políticos que, ao contrário dos parlamentares federais, estão bem próximos de nós. Mais precisamente, na Câmara de Vereadores e no Palácio dos Ferroviários.
Pois bem, diante dessa omissão, fui forçado a denunciar o fato ao Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais. É ele um dos guardiões da transparência na gestão pública. Espero que o processo a ser instaurado a partir dessa denúncia surta os efeitos desejados, obrigando o município de Araguari a  divulgar informações que, por lei, deveriam ser públicas.
Por fim, quero lamentar, e muito, a conduta dos atuais ocupantes da direção do Executivo e do Legislativo araguarinos. Esse tipo de omissão nada republicana apenas provoca dúvidas nos cidadãos quanto à lisura da atuação pública dos gestores. Afinal, administradores honestos não teriam motivos para esconder atos públicos dos seus eleitores e dos demais cidadãos.

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Sinalização de trânsito não satisfaz moradores

Asfalto sem esgoto gera polêmica no bairro Goiás






Pitaco do Blog
Asfaltar ruas antes de instalar as redes coletoras de esgoto ou de ligá-las às residências é sinônimo de falta de planejamento. Aliás, vai além. É "política" eleitoreira mesmo. Como disse um dos moradores, estão tentando tapear a população com o asfalto. Depois das eleições, vêm as máquinas da SAE e rasgam as ruas para "terminar o serviço". Aí, fazem aqueles remendos maravilhosos com o "selo de garantia" da SAE.
Sinceramente, enquanto esses gestores não forem punidos por essas burrices, a cidade não irá melhorar. É preciso que a população denuncie os responsáveis para que, quem sabe, sejam processados e punidos pelo Judiciário ou Tribunal de Contas. Esse quadro só irá mudar no dia em que esses senhores forem multados ou tiverem que devolver aos cofres públicos o dinheiro mal gasto.

Mercado de Opiniões


O comportamento da imprensa ou de parte dela é indicativo claro da existência de infiltrações de integrantes do poder público nos meios de comunicação social. O cidadão precisa estar atento a tudo que ouve, vê e lê. Necessário identificar o que é informação séria e o que a opinião de um jornalista amestrado. Focas não recusam sardinhas.
Em Araguari, há sinais cristalinos de que as linhas editoriais de alguns veículos de comunicação social estão sendo extremamente generosas com o governo municipal. São feitos furos de reportagem até para mostrar pinturas de meio-fio ou capina de ruas. É algo contrário aos princípios éticos do bom jornalismo. Passa ao largo do interesse público, que deveria ser buscado também pela imprensa. Por vezes, expõem-se profissionais da mídia ao ridículo em reportagens e comentários com fins de bajulação explícita aos detentores do poder.
Mas não existem só santos nessa história. Se há compradores de opinião, há também, do outro lado, pessoas dispostas a vendê-la. É uma via de mão dupla. A exposição ao ridículo, por vezes, pode ser consentida e muito bem remunerada. 
Reitero o alerta. Cidadão, fique atento a tudo que ler, ouvir e ver, sobretudo neste período eleitoral. Muitas vezes, as notícias veiculadas na imprensa serão tendenciosas, fruto da relação espúria entre os veículos de comunicação social e os governantes. Conhecendo melhor esse relacionamento podre e nada republicano, é possível concluir que somos governados e "informados" por bandidos. São quadrilhas que cultuam a imagem de governantes e adoram o dinheiro público.

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Quadra de esportes precisa de melhorias




Pitaco do Blog
Abandonada pelo setor público, essa quadra terá o mesmo destino daquelas existentes nas Avenidas Mato Grosso e  Belchior de Godoy. Para se ter uma ideia da situação, as quadras daquelas avenidas estão abandonadas há décadas. Na minha adolescência, eram espaço de convivência. Hoje, ruínas.
Em vez de gastar recursos com projetos mirabolantes e nomes pomposos, o município deveria fazer o básico: cuidar do que já existe. A preservação e efetiva revitalização desses espaços de convivência é essencial, inclusive, para o combate ao consumo de drogas.

Falta de água irrita moradores do bairro Miranda



Pitaco do Blog
Os serviços prestados pela SAE não são de boa qualidade. Não é correto moradores conviverem com a falta de água em suas residências. O fornecimento deve ser contínuo.
Os serviços de fornecimento de água e de esgotamento sanitário em Araguari precisam, urgentemente, de melhoramentos. A cidade cresce e, em breve, teremos sérios problemas. Aliás, já temos. Basta lembrar que mais de 90% dos esgotos sanitários da cidade correm a céu aberto, ceifando a vida do córrego Brejo Alegre e fazendo o ribeirão Jordão agonizar.
É preciso mais seriedade nesse setor. Politicas públicas efetivas e planejamento seriam muito bem-vindos. 

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Bosque de Araguari passa por reforma



Pitaco do Blog
O Bosque foi abandonado por diversas administrações. Antes, espaço de convívio social. Hoje, abrigo de traficantes e usuários de drogas. A ausência do município contribuiu muito para isso.
Os mais antigos se lembrarão daquela época em que o bosque abrigava diversos animais de pequeno porte (aves, macacos, etc.). Era um pequeno zoológico, que atraía a criançada e as famílias nos finais de semana e feriados. Até hoje, não se sabe ao certo por que o minizoo foi fechado. Hoje em dia, é extremamente fácil abrigar animais silvestres com o apoio do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (IBAMA). Até mesmo cidadãos comuns podem ter criadouros conservacionistas em suas residências. Por que o município de Araguari não conseguiu manter o mini zoo no Bosque? Por que a volta desses pequenos animais não faz parte desses tais projetos de "revitalização" do local?

Vereadores voltaram a "trabalhar"


A Câmara de Vereadores voltou a "trabalhar" ontem. Mas, não temos motivos para comemorações. Com o retorno dos edis, aumentam, automaticamente, os gastos com cafezinhos, internet, telefone e outas despesas republicanas ou não.
Mas não para por aí. A principal matéria a ser discutida neste período eleitoral trará mais despesas do que benefícios para o contribuinte. Apesar de muito bem remunerados, os vereadores já estão discutindo o aumento salarial para a próxima legislatura (os próximos quatro anos).
É um verdadeiro contra-senso. Em vez de apresentarem projetos para reduzir os gastos, cortando salários, verbas indenizatórias e outras despesas ilegais, os vereadores caminham sempre na contramão da moralidade. Nessas horas, não existem briguinhas partidárias. Oposição e situação, unidas na defesa dos próprios interesses.
Precisamos repensar o papel da Câmara. Para isso, necessitamos de ser mais seletivos na hora de escolher os seus ocupantes. Pessoas com deficiência de caráter não deveriam ocupar cadeiras naquela Casa. Não têm condições de nos representar. A não ser que padeçamos do mesmo déficit de caráter que os eleitos. Acorda, Araguari!

domingo, 5 de agosto de 2012

Usuários questionam atendimento em posto de saúde




Pitaco do Blog


E se fosse a mãe de algum gestor da Prefeitura ou da Secretária de Saúde?!

Irregularidades em pesquisa eleitoral


Eu tenho evitado postar temas relativos ao processo eleitoral. Entretanto, quando há indícios de envolvimento de dinheiro público, até pela própria finalidade do blog, sou obrigado a falar do assunto. Pois bem, estamos diante de um desses casos.
Uma decisão da Justiça Eleitoral, ainda que provisória, mostra que o dinheiro público pode estar sendo usado para favorecer o candidato à reeleição, prefeito Marcos Coelho de Carvalho. A Juiza Eleitoral da 16ª Zona Eleitoral, Dra. Juliana Faleiro de Lacerda Ventura, proibiu a divulgação de uma pesquisa eleitoral feita a pedido da coligação ÉTICA - Experiência, Trabalho, Integridade, Trabalho, Credibilidade e Ação -, que apóia a candidatura à reeleição do atual prefeito. A pesquisa teria sido contratada pelo Jornal Informe do Comércio de Araguari Ltda. junto à empresa COMPET- Pesquisa, Marketing e Treinamentos.
As alegações da denunciante, coligação Araguari Merece Mais, foram, provisoriamente, acolhidas pela Juíza, que suspendeu a divulgação do resultado da pesquisa com base nos seguintes argumentos:

- o Jornal Informe do Comércio estaria se utilizando, de forma criminosa e ilegal, da empresa COMPET- Pesquisa, Marketing e Treinamentos para a realização de pesquisas eleitorais fraudulentas;
- o trabalho de pesquisa de campo não foi realizado pela empresa COMPET- Pesquisa, Marketing e Treinamentos, mas sim pelo próprio Jornal Informe do Comércio, que recebe recursos da Prefeitura Municipal de Araguari para a realização de pesquisas para o Prefeito Municipal,
- a empresa contratada para realizar a pesquisa, sediada a aproximadamente 2.500km de Araguari, não teria como enviar funcionários à cidade para realizar a pesquisa, uma vez que os gastos seriam muito superiores ao valor pago pelo serviço contratado;
- os formulários de pesquisa continham erros grosseiros.
Após a suspensão da divulgação do resultado da pesquisa, o processo terá seguimento, sendo permitido aos representados (réus) exercerem o direito de defesa.
Pois bem, estamos diante de um procedimento que, se devidamente comprovado, é repugnante, beirando ao crime. É por isso que tanto questionamos os gastos e as relações do município com certos veículos de comunicação social (jornais, emissoras de rádio, etc.). Cada dia, me convenço mais de que estamos lidando com pessoas de caráter duvidoso que, com incrível frequência, traem a confiança do eleitor. Lamentável!
Clique aqui e leia a decisão judicial referida no post.

sábado, 4 de agosto de 2012

Criatividade marota

Esta Prefeitura de Araguari, se não existisse, precisaria ser inventada. A criatividade marota do atual governo é impressionante. No concurso público aberto em março deste ano, não existiam vagas para os empregos de vigia, auxiliar de serviços gerais e serviços gerais. Agora, em agosto, lançou-se um processo seletivo, disponibilizando 24 vagas nessas áreas. Claro, no concurso os candidatos teriam que realizar uma prova objetiva. Agora, no processo seletivo, passarão apenas pela análise de currículo. 
Penso que está na hora de os governantes serem um pouco mais transparentes com a população da cidade. Não há explicação lógica para o surgimento de tantas vagas em tão pouco tempo. Pode até não ser mais caso de desonestidade dos governantes, mas é, no mínimo, uma demonstração de extrema incompetência e falta de planejamento. 
Além disso, não me parece lícito realizar um processo seletivo em período eleitoral e com um concurso público em andamento. Enfim, coisas de uma cidade que nunca foi governada de acordo com a vontade e o interesse dos seus moradores.

Em Araguari, a Constituição Federal não vale.

Estou vendo aqui nos meus papéis. Em 2010, pedi ao Ministério Público para questionar a constitucionalidade da lei araguarina que permite a contratação temporária em várias hipóteses contrárias à Constituição Federal (falta de necessidade temporária e excepcional). Dois anos depois, vejo que nada mudou. Ao que tudo indica, o Ministério Público não agiu, considerando normal aquilo que o Supremo Tribunal Federal já se cansou de dizer que é inconstitucional. Hoje, vemos a Prefeitura com 2.844 funcionários, sendo que a metade deles deve ter ingressado sem concurso público, de acordo com a vontade pessoal dos governantes de ocasião. Uma pena que o Ministério Público ache isso legal em Araguari. Até quando os araguarinos sem padrinhos ou parentes importantes terão que se mudar da cidade para conseguir um emprego estável na Administração Pública?

LMG 748 terá 4 quilômetros duplicados

Foto: Gazeta do Triângulo
A duplicação era uma reivindicação antiga
por parte do Executivo araguarino

Foto: Gazeta do Triângulo

REDAÇÃO, Araguari - Finalmente a sonhada duplicação no trecho da LMG-748, principal via de acesso ao Distrito Industrial de Araguari até o setor de transbordo será anunciada pelo governo do estado na próxima semana. A informação foi do secretário de Obras Sílvio Póvoa que destacou a importância da duplicação deste trecho que era uma antiga reivindicação da administração. “Serão duplicados 4 quilômetros e duzentos metros de pista que poderão resolver parte do congestionamento de carretas às margens desta rodovia estadual. Sem contar as vidas que ali foram ceifadas em virtude até de estrutura da pista de rolamento. Essa obra vai também, com certeza, beneficiar e muito o nosso setor industrial que hoje abriga grandes empresas que precisam desta estrutura”, comentou o secretário.   

A duplicação deste trecho era uma reivindicação antiga por parte do Executivo araguarino  visando principalmente oferecer segurança aos motoristas que diariamente utilizam a mesma que recebe um fluxo pesado de carretas desde a chegada da Selecta e a instalação da Vale também no mesmo setor.

Nos últimos anos, diversos acidentes foram registrados no trecho entre o Distrito Industrial e o trevo de acesso à Araguari. Em 2009, o vereador Luiz Antonio Lopes - Porcão (PSD), liderou um movimento entre os empresários solicitando urgência do governo do estado para a prometida duplicação que agora terá sua ordem de serviço assinada na próxima segunda-feira pelo governo do estado.

Transcrito do Gazeta do Triângulo, edição de 4/8/12.

Pitaco do Blog
Esta obra tem uma importância muito grande para a cidade de Araguari. Melhora as condições de acesso ao Distrito Industrial e às diversas empresas instaladas à margem da ferrovia. Com melhores condições logísticas, a tendência é o surgimento de novas empresas naquele local, gerando mais empregos e uma sensação de bem-estar econômico.
Agora, maior que a importância da obra é a briga pela sua paternidade. Em época eleitoral, filho bonito tem vários pais. Falta apenas os candidatos recorrem ao programa do Ratinho, no SBT, para fazer o exame de DNA e descobrir quem é o verdadeiro pai desse benefício. Infelizmente, a preocupação dos nossos políticos reside apenas na busca de dividendos eleitorais. Preocupar-se com a cidade e a população é algo que passa ao largo.

sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Por que estão derrubando nossas árvores?

Praça Milton Fernandes de Melo (Praça do Aeroporto)

Denúncia de corte indiscriminado de árvores pela Prefeitura, encaminhada por uma cidadã ao senhor Promotor de Justiça do Meio Ambiente e Patrimônio Cultural, Dr. Sebastião Naves de Resende Filho:

Sabemos que o percentual de pessoas que se dizem preocupadas com o meio ambiente aumentou consideravelmente nos últimos tempos. Autoridades respeitáveis do mundo inteiro fazem campanha de conscientização em prol do meio ambiente, alertando os indivíduos, numa tentativa de sensibilizá-los sobre a importância de cuidar da natureza, para que as futuras gerações possam gozar de seus recursos. Lamentavelmente os representantes legais do Município de Araguari parecem não se dar conta do incalculável e irreversível estrago que estão fazendo nas ruas, avenidas e praças, tornando menos verde a própria cidade que os acolhe.  É que essa questão ambiental, de vital importância para o planeta, parece que ainda não conseguiu tocar e sensibilizar alguns órgãos gestores desse Município. Vemos frequentemente derrubadas inconsequentes de árvores centenárias em vários pontos distintos da cidade, que chamam de “revitalização, restauração, modernização”. Será que os profissionais não sabem que se pode modernizar, transformando e unindo o antigo com o novo? Podem adaptar de acordo com o que já existe, e não destruir bens preciosos que Deus nos oferece gratuitamente, por mera vaidade ou sabe-se lá por que. Eles deveriam zelar pelas riquezas naturais da cidade e, ao contrário, mostram-se inconsequentes, destruindo o que a natureza demorou dezenas e dezenas de anos para formar, evidenciando que a consciência de preservação do meio ambiente, ainda está muito longe de ser realizada em prol do interesse coletivo. Mentalidade tacanha das autoridades que nos representam. A conta chegará, cedo ou tarde, e bem elevada. A natureza retribui, de modo implacável, em revide aos golpes aplicados pelo homem, na exata proporção de nossas atitudes e falta de respeito com aquilo que não criamos. Infelizmente a consequência irá inevitavelmente atingir a todos, culpados ou inocentes. 


Sabemos que uma das maiores belezas naturais das cidadezinhas de interior está na conservação de sua área verde. É o patrimônio natural englobando a biodiversidade, com sua fauna e flora, tanto no meio físico natural quanto na beleza cênica e paisagística proporcionada por esse conjunto. Praças arborizadas e bem cuidadas, que constituem um espaço para o lazer contemplativo e para o contato com a natureza, cada vez mais raro no meio urbano. Como ensinar as crianças a plantar árvores se os adultos as derrubam? Como ensinar a nova geração a cuidar do planeta se os dirigentes da cidade em que moram maltratam a natureza? Temos que formar uma sociedade consciente da importância de preservação do patrimônio natural. O que os órgãos gestores desses espaços estão fazendo por Araguari?
É inadmissível o que está ocorrendo, uma verdadeira devastação nas preciosidades naturais da terra. Homens que usam e abusam da autoridade que o povo concedeu a eles. Parecem se esquecer de que, muitas das árvores derrubadas, possuem valor histórico e sentimental para os seus moradores, árvores que compunham o cenário do local onde foram retiradas. 
Duas árvores foram abatidas da Praça do Aeroporto no último sábado (21/07/2012) pela equipe da Construtora Naves.  Eram árvores antigas, saudáveis e belas. Será que havia licença necessária para tal ato? 
A alegação da Secretaria do Meio Ambiente é a de que as árvores estão quebrando as calçadas e precisam ser cortadas. É a desculpa pelo descuido da cidade, pois as raízes das plantas, pelo que pude observar, estavam elevadas sim, na grama da praça. 
Até a moradia das aves, por consequência, está sendo prejudicada, mas eles infelizmente “não podem fazer nada”, mas nós podemos.  Será que realmente a solução está na retirada do que julgam ser problema? Não dá para aliar a “modernização” das praças com a preservação do meio ambiente? Será que as árvores sacrificadas estavam no lugar errado? Ou as atitudes dos homens é que estão erradas?
Dizer que outras mudas serão plantadas para substituir as que foram retiradas, a meu sentir, é o mesmo que dizer: “estou tirando a vida desses dois filhos problemáticos, mas não se preocupem, vou conceber outros para ocupar o lugar deles”. Além disso, mudas novas levarão, no mínimo, o mesmo tempo para atingir a mesma estatura, considerando a espécie. E pra que? Para mais adiante repetir o mesmo ato de devastação?
A população sente-se impotente para impedir tantas atrocidades. Ouve-se dizer que, em um dos pontos da cidade, os moradores conseguiram impedir a derrubada de uma árvore centenária. Isso na Praça São Vicente. Verdade ou mentira o fato é que a árvore ainda está lá, portanto, ainda dá tempo de impedir futuras sandices. 
Homens uniformizados, da Construtora Naves, com uma motosserra em punho, sacrificavam árvores da Praça do Aeroporto no último sábado, alegando que estavam apenas “cumprindo ordens” e ainda na segunda-feira, dia 23 de julho, o caminhão fazia a retirada dos tocos de madeira que restaram da cruel ação praticada por eles e que não se sabe qual o destino. Na semana anterior o mesmo ocorreu na Avenida Santos Dumont. Foi um ato de covardia, eram árvores centenárias. Arrancar árvores já adaptadas por décadas às outras companheiras, que fazem parte da formação vegetal de uma cidade e do patrimônio público, é inadmissível. Entendo que se trata de um crime ambiental. Precisamos lutar pelo direito de sobrevivência das árvores e, consequentemente, das aves e seres humanos, antes que seja tarde demais. Precisamos dar exemplo de cidadania procurando preservar as espécies centenárias e deixá-las de herança para as futuras gerações.
Em 2011, na Praça Manoel Bonito, com o argumento de “revitalização e restauração” do local, foram arrancadas dezenas de árvores (em sua maioria sibipirunas), muitas delas plantadas na década de 60. Sei que o MPE de Araguari foi acionado na ocasião, onde instaurou inquérito para apurar responsabilidades, mas ainda que a consequência tenha sido o replantio de árvores, multa e outras medidas compensatórias, nunca há de abrandar a monstruosidade gigantesca que cometeram. A praça “restaurada” foi entregue à população, com apresentação de banda e toda a pompa, porém com menos área verde.
Na Praça Getúlio Vargas, com a frágil desculpa de “revitalização” da praça, várias árvores frutíferas (mangueiras) foram retiradas do local.  A praça foi inaugurada recentemente, menos ajardinamento, menos área verde.  
E o rumoroso episódio do caso do corte dos eucaliptos na Granja Mauá pertencente à municipalidade? Ninguém mais fala sobre o assunto, mas o que foi mesmo que aconteceu com os responsáveis pelo estrago? Foram punidos? 
Cito esses fatos que vem à minha memória, mas imagino que outros estragos ambientais ocorreram e ocorrem, já que quem pratica parece sentir-se livre para fazê-lo. 
Até quando teremos que suportar ver a nossa querida Araguari ser alvo de chacina ambiental por parte de pessoas tão inescrupulosas? A herança para as futuras gerações será os tocos das árvores nas praças? É triste demais ver que o verde da cidade aos poucos se esgota!
Fotografei, em vários pontos distintos da cidade, o que ora relato, ou seja, a poda de várias árvores que compunham o nosso patrimônio: Avenida Santos Dumont, Avenida Minas Gerais, Avenida Mato Grosso, Praça do Rosário, Praça Juvenal Alves de Melo, Praça Farid Nader. Como pode ser constatado, pelas fotos que seguem, parece que se tornou um ato comum demolir árvores na cidade.
Segue também cópia de um texto de autoria de Gláucio Henrique Chaves (Perguntar não ofende), bem como cópia de algumas fotos tiradas por ele na Praça Manoel Bonito.
Tenho ciência que o Ministério Público do Estado, quando acionado, procura adotar medidas para investigar a questão ambiental. Peço, contudo, que esses novos fatos sejam apurados antes que outras árvores sejam sacrificadas na Praça do Aeroporto já que faz parte do projeto da Prefeitura, segundo informações dos trabalhadores da Construtora Naves, a destruição de outras árvores naquele local.


Araguari-MG, 26 de Julho de 2012.
Débora de Castro Ferreira

"Cabide de empregos"?



Patos de Minas, com 140 mil habitantes, possui 2.006 (dois mil e seis) funcionários públicos. Araguari, com 110 mil moradores, tem 2.844 (dois mil, oitocentos e quarenta e quatro) servidores (veja foto acima). Vale dizer: mesmo com 30 mil habitantes a menos que Patos, Araguari possui 838 funcionários a mais. Como explicar isso para a população, que paga os salários de toda essa turma? Será que a Prefeitura de Araguari virou "cabide de empregos"?


Clique aqui e acesse a informação sobre o número de funcionários públicos de Araguari.
Clique aqui e veja o número de funcionários públicos de Patos de Minas.

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Demora no Raio-X


Em Araguari, um paciente tem que esperar quase três meses para realizar um simples exame de raio-X. Isso é normal? Claro que não. Qual a resposta (digo: desculpa) para essa demora? Dirão que a saúde pública vai mal em todo o país. É sempre assim. Resposta de político é igual à de marido pego com mancha de batom no colarinho. Explica, mas não justifica.
Ainda bem que não são necessários exames de raio-X para se constatar que os políticos têm cara de pau ou coração de pedra. Se fosse, eles furariam a fila do exame, aumentando ainda mais a demora para o cidadão comum.