quinta-feira, 26 de julho de 2012

Idosa pede ajuda para diagnóstico médico



A saúde pública de Araguari não mudou nada. Aliás, se mudança houve, foi para pior.
Lembro-me que, quando criança, tinha que dormir na fila do antigo INPS (no Edifício dos Bancários) para conseguir "guia" e ser atendido por um médico público.
Durante a minha adolescência, todos os dias, via pessoas dormindo na fila em frente ao Posto de Saúde do Bairro Goiás, a menos de 100 metros da casa dos meus pais.
Agora, essa senhora diz ao repórter que, para ser atendida e tentar conter suas dores, tem que dormir na fila de um posto de saúde. Isso é desumano!
Nas mãos de quem esteve a saúde pública de Araguari nas últimas décadas? Eu tenho uma resposta. O poder em Araguari nunca mudou de mãos. Nunca foi do povo efetivamente. Esse continuísmo ocorreu também na saúde pública. Com raras exceções, vimos gestores mais preocupados com seus interesses particulares do que com o bem-estar da população propriamente dito. A falta de priorização desse setor e de um minimo planejamento colocou os araguarinos num calvário, onde cada estação é mais sofrida que a anterior.
Não há saída no curto prazo. Passar por cima dos direitos do cidadão é uma questão cultural. Um verdadeiro esporte. Precisamos ser mais cuidadosos na hora de eleger nossos representantes e mais exigentes na hora de exercer nossos direitos. Não podemos mais achar que fatos semelhantes aos retratados nessa reportagem são normais. Não são. Precisamos nos indignar.

Nenhum comentário: