sábado, 16 de junho de 2012

O Dr. Borelli vítima de repressão política?


O senhor Eldio Borelli teve vida difícil de caminhoneiro, pouco parava aqui devido às viagens. Frete de preço ruim, precisava rodar, ficar menos na cidade.

Em andanças e ocupações atrasou a taxa de água, como muita gente. Os tempos andavam e andam bicudos, pneu subindo e o posto cobrando o combustível cada vez mais caro. Na rua dele, como em toda a cidade, ele e muitos estavam atrasados com a SAE.

Foi inexplicavelmente escolhido o único da rua, para o corte da água, sem qualquer aviso. Homem simples, pouco recurso, padece do pecado de ser pai do advogado Leonardo Borelli, este que era Secretário do atual governo, quando arrepiou e caiu fora. E é o mais prestigiado coordenador do pré-candidato Raul José.


O caminhoneiro Eldio reservara um pouco da aposentadoria para pagar parte do que devia, parcelado, como muitos fazem e é normal, quando, sem qualquer aviso, se começou a furar o buraco para deixar sua casa sem água. Que Partido domina a SAE?

Resíduos dos tempos do coronelismo?

Transcrito da coluna de Miguel de Oliveira, do Gazeta do Triângulo, 16/06 (clique aqui para ler)

Pitaco do Blog
Cortar o fornecimento de água dos inadimplentes, desde que observados os princípios da legalidade e da razoabilidade, é uma medida correta. Pode-se interromper o fornecimento desde que haja lei prevendo essa possibilidade. Além disso, a medida deve ser feita com bom senso. Não se pode cortar o fornecimento indiscriminadamente. Deve ser a última medida de coerção possível. Não pode atingir, por exemplo, uma residência ocupada por pessoa idosa, inválida e reconhecidamente sem renda.
Agora, a conduta de usar o corte de um serviço público essencial como forma de retaliação individual, como noticia o colunista, é grave. É uma seletividade perversa. Se confirmada, mostra a pequenez do caráter de alguns integrantes do atual governo. Deveria ser investigada pelo Ministério Público, pois pode-se caracterizar como improbidade administrativa e crime.
A propósito, como não fujo da raia, acredito que o fato seja realmente verdadeiro. Isso já aconteceu com um repórter da Rádio Vitoriosa, quando a emissora era independente ou oposicionista, como queiram. Conheço outras pessoas que, por questionarem irregularidades no governo, já receberam ameaças de retaliação. Infelizmente, em pleno século XXI, ainda existem pessoas que insistem em retornar à época da barbárie, à "idade das trevas". Pior: fomos nós que colocamos essas pessoas no poder.


Um comentário:

Edilvo Mota disse...

Nada a estranhar, vindo de onde veio.

Tudo a lamentar, pela pequenez e pela discricionariedade do ato.