quarta-feira, 2 de maio de 2012

Pronto-socorro de Araguari poderá mudar de local novamente



Pitaco do Blog
Somos da cidade onde o Pronto Socorro Municipal é itinerante. Hoje, está aqui; amanhã, ali.
As desculpas para as mudanças não se justificam. Até o momento, não se sabe, por exemplo, por que demolir o prédio do antigo Pronto Socorro se a Prefeitura (na verdade, a população), paga pela locação de dezenas de  imóveis espalhados pela cidade. Somente o aluguel do edifício ocupado pela Secretaria de Saúde (antigo Hospital Nossa Senhora de Lourdes) consome 96 mil reais por ano dos cofres públicos. Além disso, a ocupação, sem autorização oficial, de parte do prédio do famigerado Hospital Municipal é algo cercado de mistérios. Presente em todos esses fatos, apenas a incapacidade gerencial dos governos da cidade (também) na área da saúde pública.

18 comentários:

Anônimo disse...

ue nao foi o Prefeito que falou que ia ocupar o predio do hospital mesmo sem autorização, agora botou o rabo no meio das pernas?

Anônimo disse...

AGORA TEM MAIS UMA PARENTE DO PREFEITO PRA DEFENDER ELE NO FACEBOOK DICERTO LOOGO APARECE AQUI

Anônimo disse...

Acho que foi esse mesmo homem ai que em uma reportagem na radio vitoriosa araguari o repórter Lucas Tiago disse que era um prepotente e que o prefeito tinha mesmo que invadir o HM, isso a um tempo atras coisa de dois meses mais ou menos e que inclusive ele desafiava o Ministro da Saúde a vir aqui e tirar eles de la, afirmou por mais de uma vez que o prefeito tinha feito a coisa certa de invadir sim e o sr Valmir concordou. E agora como fica essa situação se a propria radio do prefeito disse no ar e tem gente que tem a gravação desse dia. E agora José?????

Anônimo disse...

Acho que foi esse mesmo homem ai que em uma reportagem na radio vitoriosa araguari o repórter Lucas Tiago disse que era um prepotente e que o prefeito tinha mesmo que invadir o HM, isso a um tempo atras coisa de dois meses mais ou menos e que inclusive ele desafiava o Ministro da Saúde a vir aqui e tirar eles de la, afirmou por mais de uma vez que o prefeito tinha feito a coisa certa de invadir sim e o sr Valmir concordou. E agora como fica essa situação se a propria radio do prefeito disse no ar e tem gente que tem a gravação desse dia. E agora José?????

Anônimo disse...

o NOVO MODELO e os seus ANALISTAS POLÍTICOS, tudo um LIXO

Anônimo disse...

O CASO DA FAMILIA COELHO CARVALHO

O MAIOR ERRO POLITICO E ADMINISTRATIVO DA CIDADE DE ARAGUARI

Anônimo disse...

UM COELHO INCOMODA MUITA GENTE

DOIS COELHOS INCOMODAM, INCOMODAM MUITO MAIS

TRÊS COELHOS , INCOMODAM MUITA GENTE

QUATRO COELHOS INCOMODAM, INCOMODAM, INCOMODAM, INCOMODAM, MUITO MAIS

CINCO COELHOS INCOMODAM MUITA GENTE
SEIS COELHOS.................

Edilvo Mota disse...

Fiquem todos calmos.

Segundo a autoridade sanitária local, o problema "federal" vai se tornar "estadual"...

Anônimo disse...

PREFEITO ORDENA SECRETÁRIA DE SAUDE Á PROIBIR A VIGILANCIA SANITARIA DE ARAGUARI DE FAZER ATUAÇOES DEVIDO AS RECLAMAÇOES DOS COMERCIANTES SOBRE O MAU USO DA AUTORIDADE E DA FALTA DE CONHECIMENTO DO SERVIÇO PRESTADO. NO RADIO LOCAL FOI QUESTIONADO SOBRE A FORMAÇAO DOS FISCAIS, QUE SAO NA MAIORIA AGENTES SANITARIOS. ALIAS NESSE CONCUSO DEVERIA TER ABERTO VAGAS PARA FISCAIS SANITARIOS.

Edilvo Mota disse...

O agente fiscal sanitário é autoridade e, no exercício de suas atribuições não pode sofrer ingerência de qualquer tipo.

A autoridade sanitária municipal é o(a) secretário(a)que, mesmo assim, não tem poderes para interferir na atuação do agente sanitário, quando exercida nos moldes da lei.

Tampouco o prefeito (ele menos ainda) teria poderes para interferir no trabalho do agente sanitário, cujas atribuições são reguladas pelo Código de Estadual de Saúde e, via oblíqua, pela NOAS e Lei Orgânica da Saúde.

O desconhecimento da lei, a prepotência e a certeza da impunidade são ingredientes letais para a execução das ações primárias de saúde e, por consequência, podem colocar em risco a saúde coletiva.

Eventuais interferências/ingerências configurariam abuso de poder e, salvo melhor juízo, improbidade administrativa.

Anônimo disse...

Ingerência proibir agente sanitário de fiscalizar eu concordo. Mas ocorre que na atual equipe de vigilância sanitária há prepotentes e despreparados para o cargo, sem curso na área e muitas vezes desviados de função. Não é incomum figuras da vigilância andarempelos corrredores da saúde gritando : vamos lá, vamos fechar, nós somos maus. È uma falta de respeito com o comerciante.

Edilvo Mota disse...

Este relato anônimo (10 de maio de 2012 15:45) também é preocupante.

Aí, sim, compete ao(à) gestor(a) da saúde interferir para colocar ordem na casa.

Da mesma forma que sua (do agente sanitário) autoridade deve ser respeitada, o agente sanitário tem deveres legais a cumprir.

Dentre eles, manter uma postura recatada e serena, observando os limites que a lei impõe às suas ações e respeitando a liturgia do cargo de do serviço público.

A forma de atuação de uma equipe costuma, em geral, reproduzir o exemplo de postura da chefia.

Consta que desatinos, desmandos, desvarios e xiliques vêm marcando os últimos tempos nos corredores e salas da secretaria de saúde.

O resultado não poderia ser diferente.

Lamentável...

Anônimo disse...

Os agentes sanitários são mal treinados até para fazer o trabalho básico do controle da dengue, que atualmente se resume a catar lixo em residências e terrenos baldios pela cidade, imagine de repente serem desviados para fiscalizar estabelecimentos comercias, o resultado são estas reclamações!

Anônimo disse...

O Edilvo tem razão, se tem uma Secretária despreparada, que passa oito horas gritando nos corredores com subalternos, o que esperar do servidor?
A secretaria diz " opaciente vai morrer? Não posso fazer nada".
O Fiscal sanitario Diz: "Vamos fechar, vamos fechar..."
E como nós ficamos enquanto contribuintes?

Anônimo disse...

Temos uma secretaria despreparada e uma vigilancia tambem despreparada,temos que exigir pessoas mais competentes para tais cargos.

Anônimo disse...

o agente fiscal teria que ter autoridade se fossem realmente fiscais, mas sao agentes sanitarios despreparados para a funçao, e irresponsaveis, a começar pelos motoristas que fazem mais serviços particulares do que para a vigilancia mesmo, é um do fiat uno 7212 que leva e tras filho na escola e mulher no serviço, e o outro que tambem transporta sua mulher pra baixo e pra cima, e ninguem vê nada. é um novo modelo de fiscalizaçao.

Anônimo disse...

Prezados:
Sou agente sanitários e apesar de entender suas preocupações, a maioria aqui toma o rumo de atacar a categoria toda, o que não deve ser feito. Atuo no comabte á dengue e nunca quis cargo dentro da vigilância sanitária. O cargo de agente sanitário engloba funções de fiscalização sim, está no contrato de trabalho.
O que acontece é que a meu ver, alguns espertalhões que eram agentes sanitários do comabte á dengue deram um jeitinho, puxando o saco para ir para dentro da vigilância, ou seja o criterio de escolha foi bajulação ( nem todos, claro) por isso a deficiência no serviço. Neguim entrou ontem no combate à dengue, bajulou secretário, nunca trabalhou na rua e ja ganhou cargo de supervisor. depois essa mesma pessoa bajulando, vai pra vigilancia sem nunca ter feito um curso, foi só pq bajula mesmo. Portanto a culpa não é da categoria de agentes sanitários, mas da chefia que gosta de bajuladores.

Anônimo disse...

ISTO NÃO É UM ATAQUE AOS AGENTES E SIM AOS FISCAIS DESPREPARADOS, SER AGENTE É UMA COISA, SER FISCAL EXIGE UM PREPARO BEM MAIS AMPLO, PQ ABRANGE MUITAS ÁREAS, NÃO É SÓ BUTECOS NÃO, ABRANGE HOSPITAIS, FARMACIAS, LABORATORIOS, ESCOLAS, COMERCIOS, VEICULOS QUE TRANSPORTAM PESSOAS E UM MONTE DE COISAS, TEM QUE HAVER UM CERTO PREPARO E CONHECIMENTO DE CADA ÁREA A SER FISCALIZADA, E É O QUE NAO ACONTECE.