sábado, 11 de fevereiro de 2012

Araguari está mais bonita

Caros leitores, trago um belo artigo publicado hoje no Gazeta do Triângulo, falando sobre a nossa Araguari:
Araguari está mais bonita
Anderson Rosa Vaz*
Em sua opinião, Araguari é uma cidade feia ou bonita? Já experimentou observar sua cidade com atenção e tentar responder se o que você vê é agradável ou desperta sensação de lugar esquecido e abandonado? Em qualquer pesquisa popular, os assuntos tidos como mais importantes são recorrentes: segurança pública, saúde, educação e emprego. O cidadão, contudo, tem dificuldade de perceber que esses assuntos dependem de um fator essencial, sem o qual nada se faz: meio ambiente. Os direitos sociais, essenciais à vida digna – saúde, educação, moradia, alimentação, cultura etc. – somente se concretizam se há um espaço apropriado para sua efetivação progressiva e contínua. O ambiente no qual se faz a vida humana é complexo. Envolve aspectos naturais (fauna, flora, recursos natos), artificiais (espaço urbano edificado), culturais (bens materiais e imateriais que emprestam identidade a um povo), ambiente de trabalho e até mesmo patrimônio genético. Neste contexto todo, o aspecto estético de onde vivemos não pode ser ignorado.

Pois bem. Em minha opinião, Araguari sempre foi uma cidade muito feia. Suja, tem ruas estreitas, trânsito desorganizado, calçamentos de pedra em vias de acesso ao centro, péssimo sistema de transporte coletivo, passeios de terra e cacos de meio-fio que dificultam mobilidade e acessibilidade. É uma cidade que não valoriza áreas verdes e praças nem tampouco seu patrimônio cultural. Despreza totalmente seu potencial turístico e gastronômico. Araguari negligencia aspectos básicos com uma tolerância irritante. Por exemplo: o prédio da secretaria municipal de Saúde é um local inapropriado em todos os termos que se observa. A última vez que o vi, no final do ano passado, estava literalmente caindo aos pedaços. Um lixo. E a Rodoviária? É inacreditável, mas ela está abandonada. Como o ônibus que minha visita estava atrasou duas horas, me irritei contando os cachorros: dezessete! Parte dela está “cercada” com fitas plásticas, os banheiros são nojentos. Acreditem: é uma cidade com mais de cem mil habitantes e tem mato dentro da Rodoviária. Passei pela praça Getúlio Vargas: ela está praticamente destruída e, pelo que vi, não tinha ninguém trabalhando nela. O que significa aquilo? Falta a Araguari a cultura da reivindicação e do movimento social. Não há, ainda, ambiente universitário de articulação. E os políticos têm pouca ou nenhuma capacidade de articulação regional e por isso, dificilmente se elegerão para mandatos estaduais e federais.

Mas se é assim, o que justifica o título desse artigo? Esse texto, obviamente, é uma provocação. Mas visitei Araguari essa semana e, realmente ela está mais bonita. Percebi mudanças bem intencionadas no trânsito, pinturas de faixa e placas de sinalização. Observei que estão construindo meio-fio em vários pontos e as horrendas ruas de pedras foram cobertas com asfalto. Passei na porta do novo pronto socorro e é evidente o avanço em relação ao antigo. O Palácio dos Ferroviários está lindo, apesar de ter seu potencial sub-utilizado. Uma das principais tarefas da Prefeitura é deixar a cidade bonita, agradável, aconchegante. Há muito que fazer e abrir o diálogo crítico é o primeiro passo. Pelo que vi, as lideranças municipais aí estão no caminho certo. A beleza da cidade é fundamental.

* Mestre e Doutor em Direito. Professor da Universidade Federal de Uberlândia. Procurador do Município de Uberlândia

10 comentários:

Aristeu disse...

E aí eu pergunto: Falou mal ou falou bem? Mestre e Doutor em enrolação.

Anônimo disse...

Sem falar que na concepção do autor desse artigo Araguari teve uma evolução praticamente instantânea. Na sua visita no final do ano passado Araguari estava destruída, agora no inicio do ano está bonita. Araguari não consegueria atingir uma mudança tão signficativa e modernizar-se nem com uma administração que não fosse a atual. Percebe-se que o douto deixou-se intimidar diante da sua própria crítica que elaborou no início do texto, depois buscou temperá-la com uma gratidão em elementos superficiais que merecem uma melhor analise, cito como exemplos; mudanças em alguns pontos do trânsito que não deixou de provocar descontentamento em muitos moradores, as ruas de pedras onde o asfalto não apenas encobre a nossa história como também muito mal feito, sendo perceptivel que em vários pontos nasce mato, O Pronto Socorro está descentralizado -fora da área central- e adaptado em um ambiente que deveria funcionar como Hospital Público, escapando do seu objetivo.

Leandro Cezar Maniezo disse...

Não conheço o autor do texto. Mas é evidente que o Mestre e Doutor (as pessoas adoram arrotar títulos... rsrsrsr) apresenta argumentos rasos, sem fundamentos. São meras palavras ao vento sem bases aprofundadas de raciocínio. Sobre "as horrendas ruas de pedra" o Doutor deveria entender mais e ver que o patrimônio da cidade foi dilapidado, sem contar nos aspectos fisicos de drenagem pluvial. E tem muita coisa inconsistente tb, pois primeiro ele diz que "os políticos têm pouca ou nenhuma capacidade de articulação regional e por isso, dificilmente se elegerão para mandatos estaduais e federais" e finaliza deu texto dizendo: "Pelo que vi, as lideranças municipais aí estão no caminho certo."

Anônimo disse...

o doutor deve ter visitado outra cidade

Igor disse...

Araguari é maquilada... não adianta passar batom e esconder as cáries e os canais. #fikadika

Anônimo disse...

artigo estranho, não somou nada. Fala mal e fala bem. Sem base

Dilson Martins disse...

O Doutor certamente de tanto cansaço por, mentalmente, vagar por nossa cidade, adormeceu. Hoje ele ainda encontra em profundo sono e certamente, ao acordar irá se assustar ainda mais. Maquiagem é sempre superficial e sai fácil.

Particularmente eu falaria e falo das belezas naturais de nossa região, isto, não significa que nossas autoridades façam jus à condição de guardiões desta riqueza. Ao contrário continuam a ignorá-la e destruí-la.

Anônimo disse...

É verdade, Araguari é feia!!! Sou daqui, moro aqui e fico com vergonha quando recebo visitas porque poucas cidades são tão mal cuidadas como aqui, só discordo de uma coisa, as ruas não são nem um pouco estreitas, pelo contrário, umas das cidades do país com ruas mais largas!! Mas é feia!!

Leonardo Pesi

Anônimo disse...

Na secretaria de saude entao é que se arrotam titulos,
principalmente cargos de confiança, todos viram doutores da noite para o dia.

antonia arruda disse...

Este mestre, douror e tudo mais deve odiar as cidades historicas brasileiras, falar de rua estreita e de pedra ainda bem que ele não tem o poder de asfaltar Tiradentes, Ouro Preto, Damantina e tantas outras..............