sábado, 28 de janeiro de 2012

Copa de 2014: equação do Itaquerão

Equação para construir o Estádio do Corinthians (Itaquerão):


420 milhões de incentivos fiscais concedidos pela prefeitura de São Paulo + 70 milhões para o custeio de arquibancada retrátil pelo governo do estado + 91 milhões de renuncia fiscal do governo federal - R$ 581 milhões. Mas, pera aí, o estádio não seria feito com recursos da iniciativa privada? Claro que sim! Além desses recursos públicos "privatizados", o Corinthians irá aplicar 400 milhões obtidos por empréstimo junto ao BNDES (banco público federal). Mas, não se preocupem, caso o clube não pague a dívida, o fiador pagará. Quem é o fiador? O Banco do Brasil (outro banco público federal). Total da obra: R$ 981 milhões. Total de recursos públicos: 581 milhões (valor superior ao gasto, individualmente, na construção de outros seis estádios). Entendi quase tudo. Ficou uma dúvida. Será que tem o dedo do Lula nessa história?
Quem quiser entender melhor essa equação, basta acessar a reportagem do site UOL (clique aqui).

4 comentários:

Edilvo Mota disse...

Lulla compareceu ao lançamento da pedra fundamental do estádio, e garantiu que avalizava a seriedade do empreendimento.

Lulla é um canalha, como os demais.

Anônimo disse...

Até parece que o Itaquerão é o único estádio sendo construído no Brasil com dinheiro público para a copa do mundo, mas como é do Corinthians é único citado pela mídia do país, estranho isso.

Anônimo disse...

Quantos milhoes desperdiçados nesse estadio, enquanto o Brasil não tem hospitais e nem escolas dignas...
Deveria investir eeses milhoes em Educaçao, Saúde e Segurança,

Marcos disse...

Anônimo de 28/01, 01:28, a questão não é somente essa. Existem outros estádios sendo construídos com dinheiro público. Isso também vem sendo questionado por parte da mídia. Aqui, em Brasília mesmo, parte da sociedade está contra a construção do novo estádio (que será, após a copa, mais um elefante branco).
O problema maior que vejo no Itaquerão é o fato de se tratar de um estádio privado. Em outras palavras, os governos (nós todos) estamos jogando dinheiro numa empresa privada (os clubes de futebol hoje são empresas, sem dúvida). Então, se já é questionável construirem estádios públicos, com muito maior razão deve ser questionada a construção de um estádio privado com recursos públicos.