terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Confusão entre o interesse público e o privado

Em Araguari, o poder público age, na maioria das vezes, na defesa de interesses meramente pessoais. Dificilmente, tem por objetivo primordial o interesse público. É essa a conclusão a que se chega a partir da análise de cada ato administrativo, por mais simples que seja. Exemplos?
Recentemente, o Executivo encaminhou à Câmara o projeto de lei de revisão do plano de cargos e salários da Superintendência de Água e Esgoto. Um dos objetivos dessa revisão, sem dúvida, era equiparar o salário de superintendente daquela autarquia ao de secretário municipal. Contudo, devido a diversas falhas, o projeto foi retirado da Câmara pelo Executivo.
Agora, noticia-se que o Superintentende Hélio Alves Júnior passou a acumular o cargo na SAE com o de secretário de Governo. Esse tipo de acumulação vêm se tornando fato corriqueiro na atual Administração. Demonstra, no minimo, que temos um excesso de secretarias, uma vez que, segundo a ótica do governo, é possível a um agente público acumular até três pastas sem prejuízo da qualidade dos serviços.
Neste caso, tem-se uma particularidade. A acumulação indica que o prefeito, provavelmente descontente com a não-aprovação do projeto de lei que, entre outras medidas, aumentava o salário do titular da SAE, resolveu dar uma ajuda ao seu auxiliar, nomeando-o para ocupar, também, o cargo de Secretário de Governo, cujo salário é maior que o de Superintendente.
Em outras palavras, fica claro para este mero aprendiz de blogueiro que, por causa de um interesse ou necessidade individual, o prefeito não somente encaminhou o projeto de lei de revisão do plano de cargos e salários da SAE, mas também indicou o senhor Hélio Alves Júnior para acumular o cargo de Superintendente com o de Secretário de Governo. Cá entre nós, não é a primeira vez que isso acontece. A criação da Secretaria de Trânsito e Transportes, por exemplo, também nos causou a impressão de que o interesse do indicado para aquela Pasta foi determinante para a atuação do senhor prefeito. Talvez o chefe do Executivo ainda não tenha entendido que deve governar para todos os araguarinos e não apenas para os amigos, parentes e apaniguados.

8 comentários:

Anônimo disse...

Já prevendo um grande fracasso nas próximas eleições corre boatos que o vice prefeito Juberson já procurou o assessor do governador e pré-candidato a prefeito o senhor Raulzinho para tentar uma jogada política.
Corre Raulzinho! Corre... Vc já teve a oportunidade de vivenciar a política podre desse governo quando foi vereador. Ele traiu vc e o povo de Araguari.

Anônimo disse...

É o Novo Modelo corrigindo as distorções no plano de carreira como vem comumente afirmando. Bando de sem vergonhas!!!

Anônimo disse...

Somando o acumulo de salários do secretário e superintendente, chegamos a um valor proximo aos 8.000 reais.

A nivel de comparação, o salário de um funcionario dos cargos básicos da prefeitura gira em torno dos 800 reais, ou seja, poderiamos ter 10 funcionarios para combater a dengue, ou trabalhar nos postos de saúde, ou na limpeza urbana (que aliás, foi promessa de campanha findar a terceirização). O superintendente deve realmente ser uma pessoa SUPER para valer por 10...

Atenciosamente.
Riberto de Sousa Junior.

Anônimo disse...

Sai fora Sr Juberson, já deu o que tinha de dar em araguari, ta na hora de aposentar.

Anônimo disse...

Anonimo das 04:45AM - O vice prefeito sempre se omitiu quanto aos interesses dos Araguarinos. Aliás, se analisarmos os fatos outrora ocorridos, sua contribuição foi negativa, como por exemplo no epsódio da construção do Hospital, ele foi na pior das hipóteses omisso, pois não exerceu o dever de fiscalizar enquanto vereador.

Anônimo disse...

A resposta é para o Anonimo das 05:45. Certo!

Anônimo disse...

O Prefeito é o dono do dinheiro ele indica quem ele quer e pronto. O resto é choradeira de perdedor desses blogs.

Anônimo disse...

Prefeito é o dono de dinheiro???
Que balela é essa????
Dinheiro publico é do povo anonimo idiota.