sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Vigilância Sanitária suspende vistoria no Hospital Municipal de Araguari

Município não apresentou a documentação necessária para os técnicos.


Diretor da GRS diz que já havia feito a solicitação à Secretaria de Saúde.

A equipe da Vigilância Sanitária Estadual suspendeu a vistoria marcada para a manhã desta quinta-feira (1º) ao Hospital Municipal de Araguari. Os técnicos compareceram ao local no horário marcado, porém, foram impedidos de continuar o trabalho porque o município não apresentou a documentação necessária sobre a área que será utilizada pelo Pronto Socorro. O Memorial de Atividades, como é chamado o documento, deve conter a disposição e a quantidade de móveis como cadeiras e mesas, além de outros objetos que vão compor o local.

De acordo com a secretária de Saúde, Iolanda Coelho, a papelada exigida pelo órgão deve ficar pronta até esta sexta-feira (02). “Não nos disseram que deveríamos apresentar este documento durante a avaliação. Por isso não providenciamos antes”, disse.
Já o diretor da Gerência Regional de Saúde (GRS), Daltro Catani, informou que havia feito a solicitação anteriormente e obedeceu as normas técnicas.
A vistoria no Hospital Municipal foi exigida durante uma reunião nesta semana entre representantes do município, o procurador da República na região, Cleber Eustáquio e representantes da GRS. O procedimento faz parte do processo de liberação da área destinada ao Pronto Socorro.
Na última terça-feira (29), técnicos de engenharia da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) apresentaram o laudo que aprova, por tempo determinado, o uso da ala mediante adaptações do local como na parte da vidraça, instalação de cortinas e limpeza do local, além da expedição de um alvará de funcionamento pela Vigilância Sanitária.
O documento aprova o uso temporário do prédio anexo, destinado ao Pronto Socorro, no entanto, condena partes do prédio principal, como o sistema de gás e a rede de esgoto. Apesar de ter sido inaugurado três vezes, em 2003, 2006 e 2008, o hospital nunca entrou em operação.
Em entrevista ao G1 na tarde de terça-feira, o vice prefeito da cidade, Juberson dos Santos Melo, informou que o laudo não viabiliza a possibilidade de um dia o local vir a funcionar como hospital. “A justiça deve definir o que será possível funcionar no local, talvez parte administrativa da Prefeitura, por exemplo. Para ser hospital teria que demolir e construir novamente. O que conseguimos neste momento foi o amparo para usar o prédio de forma temporária”, disse o vice prefeito.
Ainda de acordo com Juberson Melo, um novo Pronto Socorro será construído onde atualmente funciona a atual unidade, que existe há aproximadamente 20 anos. “As obras devem durar cerca de 11 meses, uma vez que o prédio será demolido e depois os trabalhos temporários do Pronto Socorro que estarão funcionando no Hospital Municipal serão transferidos novamente”, afirmou.
No dia 16 deste mês o prefeito da cidade, Marcos Coelho Carvalho, se reuniu com o procurador da República no município, Cleber Eustáquio, para solicitar a abertura de parte da unidade. Em 2009, Cléber Eustáquio esteve no Hospital Municipal acompanhado de dois engenheiros da UFU, quando foi solicitada a contratação de uma equipe técnica para avaliar a estrutura do imóvel.
Em julho deste ano o procurador informou que o prefeito da cidade seria responsabilizado por improbidade administrativa se não tomasse providência para solucionar o caso da unidade de saúde, mesmo que os problemas tenham começado na administração anterior. “O hospital não é do ex-prefeito é do município, então o problema é de quem responde por ele”, concluiu Cléber.

Transcrito do Portal G1Triângulo Mineiro

Pitaco do Blog
Assim fica difícil dar notícias boas. A turma não ajuda.
Fico pensando de quem será a culpa. Deve ser da oposição...

4 comentários:

Iconoclasta disse...

A pessoa que depositar o seu voto na urna para a continuidade dessa admnistração, deve odiar muito Araguari.

Aristeu disse...

"Num hospital, Na sala de cirurgia, Pela vidraça eu via..." o mato crescer.

Eduardo disse...

Ou é uma lambança, atras da outra...e ele quer que quer isso... virou birra...
Pergunto: se nao servia pra nada, serve para PS/UPA ? se serve pra UPA/PS quem nao fiscalizou e Prefeito NÃO vão tomar mais a "fubecada"?

Anônimo disse...

Que dó... Que dó... Que dó...


Que dó de Araguari, é lamentavel, ver uma cidade que tinha tudo pra ser diferente, crescer e evoluir em todas as areas se definhando dessa maneira, parece uma roça sem dono, abandonada, só querem sugar do pouco que resta...

È uma dó...