sexta-feira, 18 de novembro de 2011

MEC corta dez vagas do curso de Medicina da Unipac Araguari

O Ministério da Educação (MEC) deu início ao processo de supervisão dos cursos com baixo desempenho nas avaliações da pasta, anunciado ontem (17). No Diário Oficial da União desta sexta-feira (18) foram publicadas as medidas cautelares que suspendem 514 vagas de 16 cursos de medicina que tiveram nota 1 ou 2 no Conceito Preliminar de Curso (CPC). Entre os 16 cursos está o da Universidade Presidente Antônio Carlos (Unipac), Campus Araguari, que terá que reduzir dez vagas. A universidade teve conceito 1 em uma escala de 1 a 5, que é calculado com base no desempenho dos alunos no Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade) e em outros critérios como a infraestrutura e o corpo docente da instituição. A Unipac de Araguari, que antes oferecia 50 vagas para o curso de Medicina, terá que reduzir para 40 vagas.
Os cursos que sofreram o corte determinado hoje são todos de instituições privadas de Minas Gerais, de São Paulo, do Rio de Janeiro, do Maranhão, de Rondônia, do Tocantins e de Mato Grosso. O ministério pretende suspender até o fim do ano 50 mil vagas em graduações na área da saúde, ciências contábeis e administração que tiveram resultado insatisfatório nas avaliações de 2009 ou 2010. Os dados do Enade 2010 divulgados ontem (17) mostram que 594 dos 4.143 cursos avaliados tiveram CPC 1 ou 2. A nota 3 é considera satisfatória e os CPCs 4 e 5 indicam que o curso é de boa qualidade.
O percentual de vagas reduzidas em cada curso variou entre 20% e 65% do total, de acordo com o desempenho no CPC. A redução no número de vagas de ingresso passa a valer para o próximo processo seletivo de cada instituição. Elas passarão por um processo de supervisão e terão o prazo de um ano para cumprir um termo de saneamento de deficiências para melhorar a qualidade da oferta. Se as exigências não forem atendidas, o MEC poderá abrir um processo administrativo para encerrar a oferta do curso. A partir da notificação, as instituições têm 30 dias para informar o ministério sobre as providências que serão tomadas.
A reportagem do CORREIO tentou falar com a responsável pela Universidade Presidente Antônio Carlos (Unipac) Campus Araguari, mas segundo um funcionário da Unipac, ela está viajando e só vai falar sobre o assunto na terça-feira (22).
Transcrito do Correio de Uberlândia

12 comentários:

Leandro Cezar Maniezo disse...

Então o curso de medicina da UNIPAC teve classificação 1 no ENADE. Daí pode-se tirar várias conclusões, pra quem tem a crítica apurada é claro. Pq 90% dos araguarinos juram que a UNIPAC e o curso de medicina trouxe o maior desenvolvimento que a cidade já teve nas últimas décadas. Pior ainda é a pressão que a UNIPAC faz sobre a prefeitura, requerendo abertura de canteiros centrais pra estacionamentos, investimentos em hospital-escola, deterioração do patrimônio histórico. E dá-lhe investimentos públicos em uma instituição privada que não dá o devido retorno à população (cursos de qualidade, valorização da cidade e dos bens públicos, dignificação do ser humano, INVESTIMENTOS E INCENTIVOS EM PESQUISA E EXTENSÃO). Não estou falando que a UNIPAC não é importante em Araguari, pelo contrário. Mas os órgãos públicos deveriam ser mais exigentes e o MEC não deveria permitir a abertura de cursos que não ofereçam o devido suporte tecnico e científico para funcionarem e dar a máxima qualidade aos formandos. Penso que a redução de apenas 10 vagas no curso é pouco, medidas mais eficazes deveriam ser tomadas!

Aristeu disse...

Deixe as dez vagas abertas e formem açougueiros.

Anônimo disse...

Unipac é uma maquina de vender diplomas, basta pagar que o diploma vem, é uma lastima ver tantos profissionais despreparados que ela (UNIPAC) desova todos os anos. E pior que um profissional despreparado é um medico despreparado, muitas vidas serao perdidas ate que eles aprendam na pratica ou na marra, se é que vão aprender.
UNIPAC comercio de diplomas.

Anônimo disse...

Tudo indica que o ENADE foi feito de forma amadorística, com grande ambição, mas
por pessoas com pouco ou nenhum conhecimento das metodologias adequadas para este tipo de trabalho. Avaliações em grande escala são procedimentos difíceis e complexos, e é normal que ainda exista muita coisa a ser feita para aperfeiçoar o ENADE. Os resultados teriam sido melhores se os ensinamentos adquiridos nas
diversas rodadas do Provão tivessem sido aproveitados, e se o Ministério tivesse
buscado pessoas com conhecimento técnico e estatístico apropriados, na área de
avaliação, para preparar e validar as provas.
O Ministério da Educação tem reiterado que os resultados do ENADE não têm muita
importância neles mesmos, e precisariam ser vistos em conjunto com outras
avaliações sobre as condições do curso, que estão prometidas para o futuro. Em parte,
esta afirmação está relacionada com a idéia de que não se deve avaliar um curso
somente pelos seus resultados, mas também pelo processo que levou a este resultado.
Isto depende, no entanto, do que se pretende com a avaliação. Fazendo uma metáfora
com a medicina, é possível dizer que, para o paciente, o que interessa é se o hospital é
bom e trata bem os doentes, e não se as instalações são ruins, ou se a verba é pouca,
ou se os médicos não puderam ser bem formados. É claro que, para o médico que
trabalha no hospital, é importante poder entender porque o tratamento não foi tão bom
quanto poderia ser, e as autoridades de saúde devem ter o mesmo interesse, para
melhorar a infra-estrutura e os processos que produzem os resultados. O Provão era
um exame de resultados, para informar o público, enquanto que o ENADE é uma
mistura, e a sua combinação com informações sobre processos e recursos, quando
houver, vai obscurecer ainda mais a informação que o público e a sociedade
necessitam, inclusive para poder apoiar as demandas por mais recursos e mais apoio
pelos quais as instituições de ensino clamam.
No campo minado que é o debate sobre a educação no Brasil, muitas pessoas se
opõem, por princípio, a medidas quantitativas em geral, e ao ordenamento de cursos
em hierarquias de qualidade e desempenho em particular. Não foi fácil para o governo
federal vencer estas resistências e dar continuidade à idéia de um Exame de Cursos,
herdada do governo anterior, com a promessa de importantes aperfeiçoamentos. O
risco é que as dificuldades de interpretação dos resultados do ENADE, ao invés de
servir para aperfeiçoá-lo, acabem dando argumentos aos que nunca quiseram que ele
existisse.

fonte:O enigma do ENADE
(Simon Schwartzman)
http://www.schwartzman.org.br/simon/enade.pdf

Anônimo disse...

Infelizmente o ENADE não é uma forma de avaliação fidedigna, pois avalia um todo e não individualmente, portanto bons alunos e consequentemente bons profissionais acabam sendo julgados erroneamente. Nesse caso os bons estão pagando por um boicote de alguns alunos. E em relação a UNIPAC em Araguari concerteza trouxe um grande avanço para cidade e fez girar a economia, alem de aumentar o atendimento na area da saude, o que falta é a população araguarina compreender que hospital escola funciona da forma que esta funcionando.

Marcos disse...

Eu concordo com afirmação a respeito das falhas na forma de avaliação do ENADE. De fato, mesmo em faculdades mal avaliadas, temos excelentes alunos.
Entretanto, se não é perfeita, é a forma de avaliação que temos no momento. Logo, temos que considerar esses dados em nossas análises.
Além disso, existem outras informações que nos permitem confirmar, infelizmente, a baixa qualidade do ensino em alguns faculdades. Em outra reportagem transcrita em outro post, trouxe justamente a informação de que o MEC sofre fortes pressões políticas para abertura de cursos. Vale dizer: os critérios para abertura e manutenção de cursos não são estritamente técnicos.
Volto à realidade araguarina. Tinhamos duas faculdades de propriedade de políticos. Muitas vezes, essas instituições foram usadas para fins políticos (por exemplo, sei de um caso em que um político da cidade prometeu facilidades de ingresso na antiga Unitri em troca de vantagens indevidas). Ademais, nenhuma dessas instituições veio à cidade com a pretensão de definitividade. Nenhuma delas imobilizou capital na cidade, investindo na construção de campus próprio. A forma como se deu o fechamento da Unitri confirma o afirmado.
O objetivo do post, então, é mostrar que, por maior que seja a sensação de progresso trazida pela Unipac, a cidade ainda está longe de ter o ensino superior com a qualidade merecida.

Anônimo disse...

Por tras de td serviço existem outros interesses, principalmente politico. E com a faculdade não foi diferente, teve inicio com alguns propositos, porem com o passar dos anos e o crescimento do curso, e principalmente com a nova direção que são profissionais capacitados para alvancar e melhorar o curso esse proposito passou a ser outro. acredito que até mesmo o boicote de alguns alunos no ENADE e consequentementemente nota 1, servirá para que o crescimento e melhoria do curso. E tenho certeza que dessa faculdade sairão exelentes profissionais que ainda vão calar a boca de muita gente.

Anônimo disse...

E a cara de pau do Astério do jornal Correio de Araguari ( ou deveria dizer Jornal Correiuoda UNIPAC, Prefeitura) quem pagar mais é assim que funciona. Ele publicou tanta idiotice para tentar tapar as besteiras e incopetencias entro da UNIPAC que é vergonhoso. Mas sabe-se que ele sai de lá todo mês com um poupudo cheque assinado pelo BONIFACIO. E dai-lhe mentiras no seu jornaleco de quinta categoria que so fala bem da PREFEITURA E DA UNPAC pois os dois bancam seus passeios e sua vida mundana.

CARLOS BERNADES disse...

pois é amigo anônimo, o Asterio é pago pela UNIPAC a instituição montal seu jornal não foi a toa. Esta ai a resposta, calar a boca de jornais sérios que mostram a verdade dos fatos A PÉSSIMA QUALIDADE DE ENSINO NA UNIPAC DE ARAGUARI. E onde estão os fatos reais, vamos jogar para baixo do tapete? tem vestibular em janeiro. Mas a internet é uma ótima aliada , vamos mandar os comentários pelo Brasil afora via net e ver se vai aparecer candidatos. Claro que vai AÇOGUEIROS OU ESCULPE, MEDICOS.....KKKKKKKKKKKKKKKKKK

Anônimo disse...

Com a palavra Jorge Bedran , afinal ele não é o porta voz do Bonifacio ou seria capacho, tapetinho ou coisa parecida.

edu500ac disse...

Todas as formas de DESTAQUE deveriam ser valorizadas. O curso de medicina da UNIPAC de Araguari é considerado o pior do Brasil. Na lista de classificação por CPC, o curso está em último lugar. Não é fácil conquistar essa posição de destaque. Tenho certeza de que ninguém se lembra de escolas de medicina que estão perdidas lá pelo meio, como a UNIVASF, Universidade Estadual da Bahia, Universidade Federal de Pelotas, UNIRIO ou FAMEMA. Para falar a verdade, a maioria das pessoas não presta atenção nem ao primeiro lugar da Universidade Estadual de Maringá; afinal, esse primeiro lugar é discutível; primeiro lugar com a USP fora do jogo parece não ter validade. Contudo, quem não sabe do último lugar da UNIPAC?

Qualquer um que visite escolas de medicina em Alagoas, e encontre estudantes que nunca prepararam uma lâmina, ou que não sabem medir o potencial de membrana de um neurônio, perguntará: "Como a UNIPAC pode ser pior do que isso?" Quem vai até a Universidade Federal de Pernambuco e vê o lixo hospitalar acumulado como se fosse lixo comum, fica curioso: "Como a UNIPAC consegue superar (para pior) essa situação?" Quem observa a Universidade Federal de Tocantins com menos de 30% de doutores no corpo docente quer saber: "Será possível que a UNIPAC tem professores mais mal preparados do do que esses? Será que a UNIPAC não tem nem 10 doutores no corpo docente?" Quem vê alunos da UFSCAR fazendo internato em outra cidade por falta de hospital escola comenta: "Pelo menos hospital escola a UNIPAC deve ter; será possível que os alunos dessa instituição precisam de fazer internato em outra cidade?"

Em resumo, a UNIPAC pôs Araguari no mapa. O Brasil inteiro sabe onde fica a cidade sede da pior faculdade de medicina do país! O curso de medicina da UNIPAC é como Chuck Norris, tão ruim, que é bom! Um médico diz: "Formei-me em Catanduva." Todos perguntam: "Onde é isso?" Algum outro médico disser: "Fiz o curso de medicina da UNIPAC de Araguari!" Aqui não vai pairar dúvidas.

O curso de medicina da UNIPAC de Araguari destacou-se! É isso que interessa.

edu500ac disse...

Todas as formas de DESTAQUE deveriam ser valorizadas. O curso de medicina da UNIPAC de Araguari é considerado o pior do Brasil. Na lista de classificação por CPC, o curso está em último lugar. Não é fácil conquistar essa posição de destaque. Tenho certeza de que ninguém se lembra de escolas de medicina que estão perdidas lá pelo meio, como a UNIVASF, Universidade Estadual da Bahia, Universidade Federal de Pelotas, UNIRIO ou FAMEMA. Para falar a verdade, a maioria das pessoas não presta atenção nem ao primeiro lugar da Universidade Estadual de Maringá; afinal, esse primeiro lugar é discutível; primeiro lugar com a USP fora do jogo parece não ter validade. Contudo, quem não sabe do último lugar da UNIPAC?

Qualquer um que visite escolas de medicina em Alagoas, e encontre estudantes que nunca prepararam uma lâmina, ou que não sabem medir o potencial de membrana de um neurônio, perguntará: "Como a UNIPAC pode ser pior do que isso?" Quem vai até a Universidade Federal de Pernambuco e vê o lixo hospitalar acumulado como se fosse lixo comum, fica curioso: "Como a UNIPAC consegue superar (para pior) essa situação?" Quem observa a Universidade Federal de Tocantins com menos de 30% de doutores no corpo docente quer saber: "Será possível que a UNIPAC tem professores mais mal preparados do do que esses? Será que a UNIPAC não tem nem 10 doutores no corpo docente?" Quem vê alunos da UFSCAR fazendo internato em outra cidade por falta de hospital escola comenta: "Pelo menos hospital escola a UNIPAC deve ter; será possível que os alunos dessa instituição precisam de fazer internato em outra cidade?"

Em resumo, a UNIPAC pôs Araguari no mapa. O Brasil inteiro sabe onde fica a cidade sede da pior faculdade de medicina do país! O curso de medicina da UNIPAC é como Chuck Norris, tão ruim, que é bom! Um médico diz: "Formei-me em Catanduva." Todos perguntam: "Onde é isso?" Algum outro médico disser: "Fiz o curso de medicina da UNIPAC de Araguari!" Aqui não vai pairar dúvidas.

O curso de medicina da UNIPAC de Araguari destacou-se! É isso que interessa.