sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Má conservação da Rodoviária


"Placa" indicando a localização dos banheiros que ainda estão
em funcionamento na Rodoviária
 O Gazeta do Triângulo de hoje noticia a interdição de parte do Terminal Rodoviário Tancredo Neves. Afirma a repórter Fabryne Obalhe que desde "o dia 1º de novembro problemas no abastecimento hidráulico têm ocasionado transtornos aos mais de 300 usuários que, mensalmente, passam pelo Terminal Rodoviário Tancredo de Almeida Neves, além de afetar o funcionamento da lanchonete existente no local.".  Leia reportagem completa clicando aqui.
Eu creio que a questão poderia ser abordada de outra forma. Na verdade, os problemas no terminal não são tão recentes nem se resumem à sua interdição parcial. Parte do 1º andar do prédio já está sem uso há tempos. É o que acontece, por exemplo, com a área onde funcionou um restaurante. Até questionamos aqui a falta de manutenção daquele espaço, que poderia ser perfeitamente aproveitado para abrigar algum órgão da Prefeitura. Mas, a Prefeitura de Araguari é assim: não cuida do que é seu, mas paga aluguel para terceiros.
Acredito que o agravamento dos problemas hidráulicos apenas serviram para chamar a atenção para a gravidade da situação. Antes, foram fechados alguns espaços não utilizados pelo público. Já o fechamento dos banheiros, essenciais num terminal rodoviário, gerou a necessidade, por exemplo, de se confeccionar uma "placa" de papelão (vide foto), indicando a localização dos banheiros restantes, bem menores que os interditados.
Além desse problema, o Terminal padece de outros. Vive cheio de pombos, que emporcalham o ambiente. O serviço de transporte coletivo urbano é péssimo (para não dizer inexistente). Os táxis não prestam serviços durante a madrugada, etc.
Bem, de uma forma ou de outra, Araguari, mais uma vez, será motivo de piada por parte daqueles que passam pela cidade. Não bastassem os buracos das avenidas que cortam a cidade, temos agora um terminal rodoviário funcionando na base do improviso e da gambiarra. Isso mostra, claramente, a falta de planejamento do governo municipal, que não consegue realizar sequer uma manutenção mínima nos prédios públicos.

5 comentários:

Anônimo disse...

Que vergonha...
Imagine quem chega pela primeira vez na rodoviária?
Qual será a primeira impressão?
Muito triste.

Odon de Queiroz Naves disse...

São nos pequenos detalhes que bons negócios são gerados. Pois a primeira impressão é a que fica.............

Edilvo Mota disse...

Como cidadão a gente fica matutando:

Em período eleitoral, pululam as críticas (às vezes justas) porém excessivamente ácidas, agressivas até, contra o governo de plantão. Foi assim em 2008, será assim em 2012 também.

O que impressiona, é a incapacidade de transformar críticas em projetos e planos de ação. A incapacidade de articular uma equipe de governo profissional e articulada e uma gestão pautada no planejamento, visando às prioridades da cidade.

A luta pelo poder, visando exclusivamente o poder e a acomodação de apaniguados em cargos vem condenando a cidade (há décadas) ao atraso, ao ranço político, ao ódio e à permanente discussão sobre quem é pior.

Os críticos de antes, são os omissos de agora. E a cidade fica condenada a assistir ao círculo vicioso da dança de cadeiras, sem objetivo claro senão os próprios interesses pessoais e de grupos.

Na campanha de 2008, nenhum dos candidatos a prefeito apresentou um plano de governo consistente, que fosse pautado numa clara demonstração da viabilidade das propostas. No geral, meras promessas, algumas delas fantasiosas, como por exemplo "ACABAR COM AS EMPREITEIRAS NO MEU PRIMEIRO DIA DE GOVERNO", ou "TRANSFORMAR A SAÚDE DE ARAGUARI", etc, etc... Deu no que todo mundo viu.

Hoje, uma das discussões (que já anda até cansando o e-leitor) é o tal hospital municipal. Concebido na lógica(?) da falta de planejamento, sem discussão de viabilidade, sem a participação dos diversos segmentos sociais, que sempre se omitem, gerou para a cidade um ônus social e econômico que é infinitamente maior que o ônus político.

Todos os que hoje criticam o "elefante branco" têm tanta culpa (por omissão) quanto os culpados por ação. Ou seja, pura hipocrisia, pois filho feio não tem pai.

Sinceramente, como cidadão, cansei disso tudo.


EDILVO MOTA
Araguarino genérico, sem pretensão alguma na área política e sem saco pra tanta hipocrisia

Aristeu disse...

A rodoviária de minha cidade. também abandonada, não pode ser manutenida pela prefeitura porque pertence ao estado. Não será o caso de Araguari?

Edilvo Mota disse...

Sábado (19/11) à noite, meu filho e eu fomos levar minha esposa à rodoviária de Uberlândia, de onde seguiu viagem para Cuiabá.

Impressionam o movimento e a organização da rodoviária, com banheiros limpos, inúmeros caixas eletrônicos de vários bancos, posto policial aberto e funcionando, lojas, lanchonetes...

Esperando pelo ônibus na plataforma, detalhe para o piso limpo. Eis que fomos abordados por uma cadelinha viralatas que resolveu brincar com o cadarço do meu tênis. Retribui o carinho e dividi com ela vários dos meus biscoitos.

Das outras pessoas presentes, a cadelinha também recebeu afagos. Nenhum gesto agressivo, nenhum xingamento, nenhum pontapé.

Cadelinha civilizada, sô!!!