segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Dez minutos contra a dengue; e quanto para o povo?

Hoje li, no Jornal Gazeta do Triângulo, matéria escrita pela companheira Talita Gonçalves, sobre uma nova proposta para o trabalho de combate ao vetor transmissor da dengue. O projeto intitulado "Dez Minutos Contra a Dengue" é baseado na experiência de Singapura, país asiático, que teria diminuído os casos da doença através da parceria com a população local. A proposta seria que o morador semanalmente dedicasse dez minutos de seu tempo à vistoria de seu quintal.

A cooperação da comunidade é sem dúvida necessária para o sucesso de qualquer campanha, principalmente de combate a vetores que têm como característica fundamental a sazonalidade vinculada ao clima. Necessário perguntar qual o incentivo que se dará nessa nova campanha, pois até hoje, depois de 16 anos no combate á endemias, ainda não vislumbrei discurso que não trombasse com a realidade, restando, após os fracassos, a culpa que sempre é injustamente destinada ao servidor. Os chefes devaneiam, nós pagamos o pato.

Trazer o morador ao combate é irreversivelmente o fulcro da campanha, sempre foi. O que nunca foi levado em consideração é em que condição se deve dar a parceria. Imposta de cima para baixo ou compartilhando conhecimentos? Sabemos que impor, por mais que pareça para o bem comum, nunca é uma atitude bem vista por qualquer comunidade que recebe algo de fora. É um erro que culminará em resistência, por melhor que seja a intenção. Afinal, estamos impondo como o morador deve manter seu quintal.

Já discuti e sugeri- antes de ser banido do quadro de supervisão da dengue- projetos que resgatem a noção de coletividade do morador. O morador não deve ser responsável apenas por aquele terreno 10 x 30, cercado e dividido para fins de IPTU. Este deve sentir-se parte do entorno, de sua vizinhança. Deve-se ligá-lo intimamente à comunidade a que pertence, transformando-o num ser social responsável pela multiplicação do conhecimento e das ações necessárias ao sucesso do combate ao vetor.

Outro fator que me perturba é a falta de condições materiais que muitas comunidades carentes enfrentam. Sabemos que garrafas pet ou de vidro acumulam água, porém, devido à precariedade financeira, várias famílias vivem da digna coleta de recicláveis. Ora, se eu como agente de endemias chegar num lote desses dizendo que não se pode juntar aquele material, como agente do governo teria que oferecer alternativa de renda para aquela família, que vive da coleta. Pensar em combate à dengue é pensar em geração de renda. Alguém lá da chefia pensa em sustentabilidade? Em bem estar social? Nada disso, apenas seguem uma técnica arcaica que visa mais vigiar o funcionário que produzir resultados para a população.

Falam tanto em combate ao Aedes aegypti sem sequer conhecer a realidade do abastecimento de água em nosso município. Os companheiros sabem que em algumas localidades ainda é necessário armazenar água em tambor de 200 litros? Em boa parte da cidade ainda existe esta prática, pois o abastecimento de água em alguns bairros ainda é precário.

Novamente começaram as chuvas, sem atitudes contra dengue, aliás, em Araguari, sem atitude contra nada. Enquanto escrevo aqui, estou sendo picados por um aedes chato.

Aguardemos o desenlace dos fatos.

Wellington Colenghi
Servidor público municipal

77 comentários:

Anônimo disse...

Fiz isso no Facebook. Repito aqui os cumprimentos a Wellington Colenghi pela aula sobre História e execução de políticas públicas.

EDILVO MOTA
Araguarino genérico

Zimiro disse...

Apenas para enriquecer mais esse assunto - já estava quase indo dormir, esse horário de verão é osso - trago algumas informações importantes de direito público relativas ao trabalho de combate a dengue em nossa cidade.

Saiu os resultados do último LIRAa realizado em Araguari, esse trabalho na verdade é uma metodologia utilizada pelos municípios para o levantamento de índices larvários.

Vejamos os seus resultados:

CRIADOUROS POSITIVOS:

> 50% dos focos positivos foram encontrados em CAIXAS D' ÀGUA ao nível do solo,TAMBORES e TONÉIS;

> 33,33% dos focos positivos foram encontrados em VASOS DE PLANTAS, PRATINHOS, BEBEDOUROS DE ANIMAIS;

> 8,33% RECIPIENTES PLÁSTICOS, LATAS e LIXOS;

> 8,33% Depósitos elevados ligados a rede (CAIXA D' ÀGUA)

Bom,diante dessa informação gostaria de dizer que em certas oportunidades onde eu fazia criticas aos "Mutirões de Limpeza" eu as faziam dentro de uma lógica, isto é, extraindo fatos da realidade com a técnica do trabalho.
Os dados acima nos revelam que a maioria dos criadouros positivos o que dá aproximadamente 92% foram encontrados em depósitos não eliminados pelos mutirões de limpeza.
Os caminhões que fazem o trabalho de mutirões não levam nas suas caçambas Caixas d' àgua, tambores, tonéis, vasos de plantas, bebedouros de animais etc. Sendo estes que constituem a maioria dos focos positivos qual é o sentido então de investir em mutirões de limpeza?
Sabe-se que nessa semana um novo Mutirão de Limpeza está programado em nossa cidade com o apoio da Força Tarefa.
Pode-se dizer que tal atividade vai corresponder na prática -falo diante das informações do LIRAa - apenas aos 8,33% dos criadouros positivos, e a programação para os outros quase 92% qual vai ser?

É claro que o LIRAa pode indicar a necessidade de mutirões em certas localidades, mas o que não exclui uma programação orientada para os depósitos predominantes dentro da sua temporalidade.


Talvez fosse com esse empenho e preocupação que em 2010 mesmo diante de um quadro assustador a nivel nacional, conseguimos dentro das nossas possibilidades manter Araguari numa situação muito melhor que vários municipios do Estado, onde muitos chegaram a declarar estado de calamidade mesmo.

Anônimo disse...

De novo vocês chorando aqui?

Débora disse...

E vc lendo e fofocando aqui leiteiro kkkkkkkkkk

Anônimo disse...

Companheira Débora, o mesmo que dizer assim:"Pessoas sábias conversam sobre idéias; pessoas comuns conversam sobre coisas; pessoas medíocres conversam sobre pessoas."

Aristeu disse...

Isto é um negócio muito sério. O controle da dengue é obrigação de todos. Os agentes de combate à dengue deveriam ter como obrigação apenas fiscalizar e multar. É na dor no bolso que se resolve. Multa, multa e multa. É claro que para isto o mais conveniente seria que agentes de uberlândia, por exemplo, atuassem em Araguari e os agentes de Araguari atuassem noutra cidade, isto para evitar retaliações ou vistas grossas.

Colenghi disse...

Aristeu existe uma lei aprovada na Câmara Municipal que regulamenta o trabalho dos agentes Sanitários, legislando sobre multas, adequações em ferro-velho, questão de incidência de focos num mesmo domicílio. Porém , a mesma é "letra morta" pois segundo alguns, ela seria dura demais, o que prejudicaria eleitoralmente o governo, caso posta em prática. Não me lembro de cor o número da lei, se algum companheiro lembrar, fineza postar aqui.
O complemento do Zimiro traduz em dados aquilo que argumentei no texto. Perfeito.

Débora ferreira disse...

O anônimo fala seu nome para falar com pessoas sábias não seja medíocre medroso para conversar e trocar idéias,beijin

Anônimo disse...

Numa cidade onde já "rodou" tantos(as) Secret. Saude, prova a incompetencia dos que são colocados lá e a batuta de quem coloca. Por outro lado, se nao encontram um(a) competente para o cargo, vão encontrar mosquito da dengue? Não fiquem só nos dez minutos não... gastem mais pelo proprio bem, o novo modelo tem capitulo especifico de como fazer a população se virar sem saude. Se "ele" acha que recapiamento reelege.... ele tah muito... mais muito... enganado... ah tah...

Roselane Arruda(funcionária concursada) disse...

LEI 4431
DATA DE PUBLICAÇÃO: 12/09/08...


DESTE DE ENTÃO FAZ PARTE DO PESO DE MINHA MOCHILA, E APENAS ISTO!!!!!!!

Anônimo disse...

Em Araguari,no que toca ao controle da dengue, tudo se resolve com mutirões, pelo menos parece ser essa a ideia dos nossos gestores de saúde que mesmo vendo que a maioria dos criadouros do mosquito não podem ser eliminados, insistem com essa prática obsoleta e inútil dos mutirões. Enquanto isso, as caixas d'água permanecem destampadas sem que os supervisores gerais tomem providências reais e necessárias...

Débora Ferreira disse...

tianinha tá ganhando quanto??? fala da CLI e outros desvios... até compra de votos para diretor de uma escola??vamos comprar cestas básicas e doarr melhor do que o povo passando fomeeeeeee cadê o mamógrado? sem casa sem vida????

18 de outubro de 2011 19:25

antonia arruda disse...

Sei que mutirão de limpeza, infelizment evirou uma prática nacional, sempre fui contra este tipo de ação, não tem eficcia feito de forma aleatória, po pode público pode e até deve fazer limpeza nos quintais das pessoas, porém de forma que isto aconteça apenas uma única, pois juntamente com a limpeza necessário se faz um trabalho edukcativo e até mesmo coercivo, como sugeriu o companheiro blogueiro Aristeu e também trabalhos sociais para mudar toda uma estrtura a longo prazo. Infelizmente em todas as esferas, municipal, estadual e federal falta bom senso e humildade para planejarem e elaborarem ações com aqueles vivem o dia a dia do trabalho.

Colenghi disse...

Roselane:
E pensar que com a lei LEI 4431
DATA DE PUBLICAÇÃO: 12/09/08, em mãos acreditamos que melhoraria nossas condições de trabalho. Mostramos a lei aos gestores e eles simplesmente nos ignoraram. Preferiram culpar o pessoal da ponta como fez um certo veterinário. Preferiram nos perseguir a fazer cumprir uma lei.
Quanto ao mutirão, é interessante para o governo, porque coloca muito servidor de uma vez só reunido e na rua. Mutirão tem eficiência de propaganda apenas. Propaganda eleitoeira, pois resultados são irrisórios.

Roselane Arruda(funcionária concursada) disse...

Na verdade não existe resultados para o combate ao vetor, espero que tenham entendido os números colocados pelo colega zimiro.
Porque não fazem um mutirão de EDUCAÇÃO, OU PARA TAMPAR ESSES DEPOSITOS?
A DENGUE É UMA QUESTÃO DE EDUCAÇÃO, ALIÁS TODOS OS PROBLEMAS SOCIAIS SERIAM RESOLVIDOS PELA EDUCAÇÃO.
Nós que trabalhamos em campo sabemos que no momento seria necessária duas medidas por parte do ESTADO: EDUCAÇÃO E COERÇÃO.
Educar crianças, os adutos do futuro, e aqueles adultos dispostos a uma reeducação e obrigar os adultos que não estão dispostos a se reeducarem a agir de maneira menos nociva à sociedade: aplicar a lei 4431.
Sair com caminhão limpamdo o quintal das pessoas é uma atitude politiqueira e paternalista que não tem retorno efetivo para o trabalho de combate ao vetor.


COMO DIRIA OS ROMANOS É PÃO E CIRCO.

Anônimo disse...

Pra quem ta de fora, fica ainda mais fácil palpitar. Escrever bonito p/ mostrar que sabe dimais! ô como é facil...
Ainda tem uns meses p/ aguentar chororô!

Iconoclasta disse...

Mas as perseguições do "Novo Modelo" não se reduz apenas a saúde, sendo uma das suas características fundamentais as perseguições ocorrem em vários outros setores da admnistração, como na Obras, na Educação -quem não se lembra da ex-secretária-, no Meio Ambiente, no SAE. Foram muitos os funcionários perseguidos e humilhados pela atual administração e com ampla ofensiva em praticamente todas as suas áreas.
O servidor tem que ficar unido e consciente, e não deixar enganar com falsas promessas, pois agora estão começando a pensarem a situação politicamente, assim vão buscar reatar uma boa relação com o servidor com interesse eleitoreiro, não podemos esquecer que foram quase 4 anos de puro massacre sobre o servidor público e nas próximas eleições temos que responder as ofensas nas urnas para mudar a triste realidade hj vivenciada pelos servidores públicos do municipio.

Colenghi disse...

Faço minhas as palavras do Iconoclasta. Peço principalmente à minha categoria e ao servidor em geral, que pondere sobre o que foi prometido e o que realmente foi cumprido pelo "Novo Modelo". Lembrem-se daquela reunião uqe foi feita conosco na Av. Cel. José F. Alves, naquela residência próxima à Câmara. Lembrem-se das promessas do Marcão e do Jubão. Nada foi cumprido, ao contrário, perdemos muitos benefícios que conquistamos duramente nae não sem luta na gestão Marcos Alvim. De alguns tentaram tirar até a dignidade, mas não conseguiram. Nos bombardearam com perseguições, infiltraram espões no nosso meio e ainda colocaram um veterinário na chefia que inclusive nos humilhava com seu jeito truculento e com suas grosserias.
Não devemos nos esquecer do que a ex-gestora fez conosco. Não devemos nos esquecer que uma certa vereadora e hoje secretária tem a mão nisso também. Não nos esqueçamos que em época de eleição, por sermos uma categoria numerosa e por visitarmos pelo menos 20 casas dia, somos procurados por candidatos. È hora de exigir.
Todos sabem que para vereador apoiarei abertamente o Tião, que hoje é meu amigo pessoal. Para prefeito se quiser nosso apoio, os candidatos terão de oferecer sólidas propostas e garantir que na saúde, não fique mais esse gfrupo que hoje aí está nos massacrando.

Anônimo disse...

Colenghi pra prefeito vc anota aí

Marcos Coelho
Eunice Mendes
Marcos Alvim
Werley Macedo
Mãe Preta
Odon Naves
Alfredo Paroneto
Raul Belem

pode escolher qualquer um que tanto faz é tudo igual

Anônimo disse...

Marcos Alvim sem duvidas...
Eunice, kkkkkkkkkk
Marcos Cuei, kkkkkkkkk
Werley, kkkkkkkkkkkkk
Alfredo, kkkkkkkkkkkkk
o resto é só o resto.

Iconoclasta disse...

O governador de Minas vai colocar o Rauzinho e M. Alvim juntos. Rauzinho candidato a prefeito e M. Alvim de vice e o Anastásia em Araguari para exerce influência. O PSDB está querendo limpar o PMDB e o PT das principais cidades mineiras.
Pelo visto aqui em Araguari não vão ter muitas dificuldades, pois a própria política desenvolvida pelo "Novo Modelo" é capaz de suplanta-lo por si mesmo, só fazem gol contra.

Anônimo disse...

Piada maior nao podia ter, já pensaram o Novo Modelo eleger o Marcos Alvim sem ele fazer força, depois de atacar tanto na campanha e no começo do Novo Modelo? Que ironia essa da vida e vcs vao ver montao de gente mudando de puleiro de novo

política é lugar de bandido

Agente sanitário satisfeito. disse...

PC Sr. Colenghi e demais chorões:
È sabido que depois da saída de vcs da coordenação do controle do dengue o serviço melhorou acentuadamente, inclusive as relações com outros servidores. Fato que diminuiu-se o índice larvário para atualmente 0.5¨%, acontecimento nunca antes obtidos por vossas senhorias. Mutirões, como o último do Novo Horizonte foram um sucesso, e ainda nossas educadoras conseguem elaborar projetos que agora conseguem aplicar, coisa que antes vcs não concordavam.
Lembremos de que os senhores sempre criticaram quem estivesse na chefia, portanto, concluí-se categoricamente que na verdade nunca quiseram é trabalhar. Juntados no esquema de menosprezar o atual trabalho, estão ainda o Senhor Claudemir ( do qual o senhor Colenghi é fiel depositário das idéias), Antônia, que é namorada do Claudemir e Roselane, irmã de Antônia e por consequência fiel escudeira também de Claudemir. Ou seja, fora vocês, ninguém mais reclama.
Não entendo como um senhor letrado como o dono do blog abre espaço para discutir picuinhas e choramingos de agentes sanitários que pertenciam ao grupinho do Edilvo, que é outro que lastima aqui diariamente suas perdas e tenta denegrir excelente desempenho obtido na saúde. Pode ter alguns erros na secretária, mas lembrem-se que em termos de Brasil, aqui a saúde vai bem, obrigado, graças à supremos esforços e capacidade, empenho e solicitude no trato ao público.
Não temos medo quando ameaça não apoiar candidatos do governo, ou outro que mantenha pessoas da atual administração no comando. Funcionário não faz eleição e temos serenidade nisso. O que importa é o povo. Funcionário é afoito conosco porque não gosta de trabalhar e essa administração colocou cada um no seu quadrado. Estamos melhores sem vcs, isso é fato. Resta chorar e escrever textos bonitinhos, tentando parecer polido. Vão estudar para depois tentar argumentar.

Zimiro disse...

Prezado Agente Sanitário anônimo ninguém está chorando, tente interpretar melhor o próposito do tópico, qualquer dificuldade retome sua leitura novamente. Vale dizer que esse tópico foi na verdade apenas um comentário privativo do companheiro Colenghi no grupo "Fotografaço" no Facebook mas que o dono do blog achou coveniente compartilhar desse saber. Vc sabe o que significa compartilhar conhecimento?
Quanto a questão do índice larvário, esse trabalho merece algumas considerações; 1ª o fato do índice está baixo 0,5% não elimina a preocupação dos riscos de contaminação, isso porque a pesquisa larvária(LIRAa) foi realizada num período ainda de seca, ou seja, a quantidade de depósitos com àgua é bastante reduzido na seca. 2ª O LIRAa não abrange todos os imóveis da cidade, dessa forma os seus resultados são apenas uma amostragem, por isso o seu próprio nome "levantamento rápido".
3ª Pode acontecer do índice ficar baixo mas com elevados casos da doença como também o contrário, isso porque vai depender da circulação do tipo viral da doença e consequentemente da imunidade de uma determinada população quanto a esse virus circulante. Então a questão meu caro anônimo é bem mais complexa de que jogar um simples resultado aqui e toma-lo como verdadeiro e soberano.
Dessa feita, não há choro algum na minha fala, na verdade não tenho nenhum motivo para chorar, muito pelo contrário... muito mesmo.
Todas as mudanças aplicadas no serviço de combate a dengue desde então, ou melhor, desde a minha saída da supervisão não dão nenhum motivo pra mim chorar, pois está tudo saindo estritamente como analisado.
Mas apenas uma pergunta, quando fui exonerado da supervisão juntamente com os outros supervisores, outubro de 2010 já não havia praticamente casos da doença, isto é, a partir de agosto daquele ano os casos já estavam em franco declínio, mas a pergunta é a seguinte: se as mudanças foram tão saudáveis assim para o serviço o que explica o municipio não estar conseguindo cumprir suas metas, pois como é sabido há uma compactuação para entregar 6 ciclos no final do ano e pela atual data não há mais tempo hábil para que isso aconteça.
Então responda, se a estrutura que vcs mesmos montaram hoje é melhor, porque então as metas não estão sendo cumpridas?

OBS: É evidente que vc não é um agente sanitário, e nem precisa esforçar muito para saber que não é.
Ah!obrigado pelo "texto bonitinho" adoro elogios, sou vaidoso. Mas quando leio algum texto interessante não uso o termo "bonitinho" demasiado infantil, tento tecer comentários capaz de enriquecê-lo.

Marcos disse...

Agente Sanitário Satisfeito, permita-me algumas considerações. Primeiro, não sou letrado nem dono do blog. Sou um reles funcionário público graduado em Direito. Nada além. Ademais, aqui é uma praça pública onde todos podem opinar livremente. Segundo, optei por aceitar os textos de alguns funcionários a fim de fomentar o debate e trazer pontos de vista diversos sobre a saúde pública. Claro, sei que qualquer opinião (inclusive a minha) pode ser um pouco distorcida por causa de pré-conceitos. Por isso, se chama opinião. Terceiro, o espaço está aberto à qualquer representante do governo, da sociedade, de outras carreiras do funcionalismo. Basta mandar um e-mail com o texto que se quer publicar para antoniomarco@uol.com.br . Fique à vontade para pitacar. Marcos

Anônimo disse...

O Agente Sanitário Satisfeito deve ser um dos puxa sacos da coordenação que ficam no PA coçando o saco o dia inteiro ou ainda deve ser daqueles que ficam andando de carro por aí fingindo que trabalham enquanto os agentes sanitários de verdade se ferram o dia inteiro catando lixo e sendo perseguidos pela nova coordenação!

Anônimo disse...

é .. tem agentizinho sanitario que só fica dando pinta de carro, mau sabem dirigir ou conversar direito e se dizem educadoras de dengue, será que tem estudo, pois um curso superior nenhuma delas tem, fora algumas que s´o ficam dentro do PA no computador, na internet.

Maria Tereza disse...

É meu anônimo os que vêm em minha casa nunca entraram no blog mas fazem campanha ferrenha contra o prefeito... o que vc me responde?

Iconoclasta disse...

Precisa fazer propaganda contra o governo?! A sua própria política já é autodestrutiva, o "Novo Modelo" consome-se na sua própria incompetência.
Acho muito bonito e gostoso quando vejo pessoas se organizando para denúnciar as mazelas da atual admnistração. Nessa semana li no Facebook pessoas manifestando sua revolta por causa da paralisação das obras na praça Getúlio Vargas, e organizando uma representação junto ao Ministério Público da cidade. Ler isso chega brilhar os meus olhos. Maravilhoso!
Então esse governo é vitima da sua própria e inoperante política, que no máximo agrada apenas um grupinho ligado ao governo.

Anônimo disse...

Hoje ao chegar em meu local de trabalho tive o desprazer de ser informada por um colega de serviço que estavam falando mal das educadoras no blog do observatório de Araguari. Não sou leitora do blog. Não tenho nada contra o dono ou qualquer outra pessoa que participa dele, só não gosto de perder meu tempo com assuntos que não vão enriquecer meu intelecto. Mas achei por direito e por bem esclarecer um ponto a respeito da educação em saúde. Para ser um educador sanitário do controle da dengue não é necessário ter ENSINO SUPERIOR. A exigência é que seja agente sanitário devidamente capacitado para o trabalho de educação em saúde. A quem interessar faço saber que eu, Eliete Abadia Borges, sou devidamente capacitada para o trabalho. Tenho 9 anos de experiência, curso o 7º período de PEDAGOGIA pela UFOP (Universidade Federal de Ouro Preto), tenho certificado de CURSO DE ORATÓRIA E APRESENTAÇÃO EM PÚBLICO e CURSO DE CHEFIA E LIDERANÇA pelo SENAC, certificados de 2 OFICINAS PARA EDUCADORES, certificados de 4 CAPACITAÇÕES PARA AGENTE SANITÁRIO, além de ter participado de dezenas de encontros, seminários e/ou eventos de saúde, inclusive na área de zoonoses e também de educação e pedagogia. Com relação às minhas colegas, elas também tem suas devidas qualificações, porém, cabe a elas publicarem aqui ou não. Todo mundo tem seus defeitos e problemas, mas no que se refere à minha pessoa, me esforço ao máximo em executar bem toda e qualquer atribuição que recebo. Se alguns não estão satisfeitos com o trabalho de educação em saúde em nosso município convido que me procure no departamento de zoonoses que terei o prazer em compartilhar minhas experiências ao longo desses nove anos de trabalho. Tenho certeza que chegarão à conclusão de que, apesar de todos os empecilhos, muita das vezes colocados pelo próprio SISTEMA, o nosso trabalho tem obtido sucessos. Gostaria de lembrar a meus colegas que aqui postam seus comentários, ou informar àqueles que não tomaram conhecimento, que o trabalho de Mobilização em Araguari foi escolhido um dos melhores dentre os municípios de Minas pela SES (Secretaria Estadual de Saúde) e participou de um documentário feito pela REDE MINAS sobre OS CINCO CASOS DE SUCESSO DE MOBILIZAÇÃO no ano de 2009. Se alguém quiser apreciar esse documentário é só me procurar que posso fornecer uma cópia do DVD. A situação da dengue não é difícil só em nosso município, infelizmente. O que precisamos é de UNIÃO nessa luta, e não de picuinhas e falatórios vãos. Peço a todos os que tiveram paciência em ler esse "capítulo" que escrevi, que se sensibilize com a causa de combate à dengue e compartilhe com outros seus conhecimentos sobre a prevenção. Só com a ajuda de todos é que venceremos essa luta. Um abraço a todos, boa sorte na vida e que Deus cuide de cada um de vocês.

"Otimismo é esperar pelo melhor. Confiança é saber lidar com o pior". (Roberto Simonsen)

P.S.: Essa foi a primeira e última participação minha nesse blog. Se alguém quiser qualquer informação com respeito à minha pessoa ou meu trabalho é só ligar 3690-3101 ou me procurar no departamento de zoonoses. Bjs.

Eliete Abadia Borges Souza

Colenghi disse...

Marcos;
Os esclarecimentos postados aqui por mim, infelizmente á revelia do que pretendo sempre descambam para as picuinhas pessoais. Tecnicamente falando, não concordo com algumas atitudes de outros colegas, que só postam aqui quando fere os privilégios que eles possuem. Também tenho várias capacitações na área de comabte ao vetor, inclusive algumas que a educadora citou possuir. Mesmo assim, a atual gestão não vê capacidade técnica, mas sim apadrinhamentos. Tenho 16 anos de serviço, curso superior incompleto ( faculdade pública e presencial) e condições de produzir conhecimento com quem quer que seja sem precisar bajular governos para manter-me em cargos. Alguns só postam quando levam pedarada... mas nem sempre é bem como postam.

Anônimo disse...

Já que a educadora ` Eliete resolveu esclarecer seu ponto de vista, temos o direito também, nós que trabalhamos no campo, de contar nossa versão, que aliás, é bem mais dentro da realidade. Justamente por serem concursadas como agentes sanitárias e terem medo de um dia ter que exercer a função para qual prestaram concurso, fazem de tudo para manter privilégios de ``educadoras``. Horários flexíveis, não necessitando de trabalhar no campo debaixo de sol escaldante. Trabalham no escritório confortavelmente, segundo elas, fazendo projetos.
Acontece que para a execução destes projetos, é necessário que o agente de campo execute os trabalhos mais penosos, como coleta de lixo nos mutirões debaixo de sol ou chuva. As mesmas não se preocupam com a condição do agente de campo, pensando sempre em receber as glórias dos projetos que elas planejam, mas quem executa somos nós. Ainda por cima, as educadoras`` não conhecem a realidade das localidades a serem trabalhadas, pois não tem contato com o pessoal de campo. Elas consideram funcionárias com cargos superiores, portanto, não interagindo com o pessoal de campo. Esse blá blá bla´de união nunca foi posto em prática por elas.
Enquanto fazemos trabalho pesado, elas desfilam em carros para cima e para baixo, dando ordens como se fossem da chefia do trabalho. Não se enxergam como agente sanitário, para o qual são concursadas. Enxergam no agente somente um braço para conseguir fazer andar seus projetos.
Projetos, aliás, repetitivos e infantis, que sinceramente não atingem um objetivo. A infantilização no controle do dengue vai desde os projetos elaborados à maneira de como tratam os servidores. Aproveito a oportunidade para perguntar o motivo pelo qual as mesmas não foram trocadas junto com todos os supervisores que saíram ano passado, já que os projetos delas também não impediram o alarde dos casos de dengue ano passado. Aí me falam que não foi perseguição contra os supervisores? Se não fosse, elas teriam de ter saído também.
Ainda por cima, fala-se por aí que elas ganham gratificação para ser educadoras. Um absurdo, pois já possuem um trabalho mais leve que o nosso e ainda ganham gratificação? Aliás, o governo devia era fazer concurso para educador sanitário e acabar com desvios de função. Ainda entra aqui e dá uma de intelectual... Menos minha cara, quem a conhece sabe que você não é essa coca-cola toda, e para falar sobre intelecto deveria estar no mesmo nível, coisa que sabemos que não é realidade. O controle do dengue está um caos: contratado dirigindo, contratado que ameaça supervisor concursado, contratado ganhando função gratificada que é destinada apenas ao servidor de carreira, ex-supervisor que ainda ganha gratificação.
Fora isso tudo, o programa atrasado, metas não serão cumpridas e o verão chegando. Vírus tipo 4 assolando o país. Insatisfação total entre os servidores. Resolvi postar esse esclarecimento aqui porque achei um absurdo a arrogância dessa pessoa que de tudo faz para não sair do escritório. Concurso já para educador em saúde.
Postem mesmo aqui, postem. Se novamente postarem ficção, contaremos toda a realidade que está acontecendo na dengue. Temos mais para contar. MUITO MAIS.

Anônimo disse...

Falar até papagaio fala
blá blá blá blá...

Anônimo disse...

Realmente, o controle da dengue em Araguari anda um caos, graças à Deus que não estamos vivendo uma epidemia como aconteceu em anos anteriores debelada graças ao trabalho dos agentes sanitários que trabalham de verdade e dos antigos supervisores que viam fazendo um ótimo trabalho, mas não foram reconhecidos de forma que os ''louros da vitória'' acabaram caindo no colo da nova coordenação que fica por aí se gabando de ter diminuído o índice larvário de ter melhorado o serviço, ledo engano. Os agentes nunca estiveram tão insatisfeitos e nunca foram tão perseguidos e desprezados como hoje! Para piorar, tem contratado indicado por vereador deitando e rolando no trabalho e curtindo com a cara de servidor concursado, isso é o cúmulo do absurdo!

Anônimo disse...

Realmente é insatisfaçao total, e ...
Qual o criterio de escolha dessas tal educadoras?
Concurso deveria ter sim pra esse tipo de profissao, nao é tirar do nada, a base do puxa saquismo e apadrinhamento nao., por isso que tá essa maquina que nao engrena.

Anônimo disse...

E no tal laboratorio da dengue, será que quem trabalha é um funcionario concursado para tal?
Se nao me engano chamado Marcos que é quimico?
ou é uma agente sanitaria que faz esse papel que nao é seu?

Anônimo disse...

Como não foi feito concurso para ser educadora em saúde foi estabelecido o seguinte critério: Apresente um atestado médico mostrando que vc não está apto a trabalhar na rua como agente sanitário, um atestado confirmando que vc possui um problema de saúde que seja FÍSICO ou PSICOLÓGICO. Pronto, suas chances são enormes.

Anônimo disse...

(1)
“ Os dados acima nos revelam que a maioria dos criadouros positivos o que dá aproximadamente 92% foram encontrados em depósitos não eliminados pelos mutirões de limpeza. “
“ Então a questão meu caro anônimo é bem mais complexa de que jogar um simples resultado aqui e toma-lo como verdadeiro e soberano.”
É tanto falatório que às vezes até se contradizem. O mutirão de limpeza feito não tem como justificativa o último resultado do LIRAa. Em algum momento foi falado isso? Não!
Justamente porque foi realizado em um período ainda de seca e também por não abranger todos os imóveis da cidade, inclusive terrenos baldios infestados de inservíveis que são criadouros (lixo em geral, recipientes plásticos, latas e etc). A ação foi muito mais preventiva do que corretiva, porque começa agora o período chuvoso e é sabido que em Araguari o maior problema para dengue sempre foi a grande quantidade de lixo. É óbvio que sem chuvas a quantidade de focos encontrados no lixo em geral (de terrenos e residências) é mínimo, apontando claramente para o aumento de focos em outros tipos de criadouros como caixas d’água, tambores e tonéis.

Anônimo disse...

(2)
E a programação para os outros quase 92% qual vai ser? Isto mesmo, o agente de controle da dengue também deve ficar atento às programações, fazer sim cobranças, mas ser realmente preocupado e não ficar apontando erros e torcendo contra. Torcendo para que haja em Araguari uma epidemia para que culpem a Coordenação da Dengue como um dia foram culpados. Vocês na verdade querem culpar, criticar e difamar alguém só porque foram exonerados. Três supervisores de turma estão de volta. Já se perguntaram por que?!
Mas então, e os outros 92%? Tampar caixas d’água? Dá vontade rir para não chorar. Se tem alguma coisa “furada” no Controle da dengue, são essas tampas. As tampas fabricadas não vedam totalmente as caixas d’água, são muito pesadas e na maioria das vezes permanecem onde são deixadas pelo agente que as leva. Já foram encontrados focos em caixas d’água com esta tampa. Isso sem falar que pode passar despercebido pelo agente por supostamente não apresentar risco para focos de dengue. As pessoas que trabalham no local de fabricação destas tampas, se forem do interesse deles, podem esclarecer mais sobre isto para vocês. Focos em tambores e tonéis contam com o péssimo hábito e a necessidade dos moradores. Tudo isto é indicativo para tomada de medidas de saneamento domiciliar (controle mecânico e físico) e regularização do abastecimento de água potável para moradores de bairros da periferia. Além da educação em saúde que o agente deve fazer rigorosamente a cada visita e a cada constatação de problemas e também o trabalho realizado pelas Educadoras em Saúde.

Anônimo disse...

(3)
Municípios infestados devem cumprir 6 ciclos anuais de visitas domiciliares. Não poderíamos ter escolhido fazer 3, 4 ou 5 ciclos. Araguari é considerado um município infestado. Realmente os agentes que sofrem em baixo de sol, chuva, poeira e ventania nunca estiveram tão exaustos, com saúde debilitada e insatisfeitos. O não cumprimento de metas e a insatisfação dos agentes se dão principalmente pela carga horária cumprida no controle da dengue. A carga horária que hoje esta sendo cumprida inviabiliza muito os trabalhos.
Quanto à educadora Eliete e a responsável pelo Laboratório, além de serem pessoas muito, mas muito capacitadas para as funções a elas designadas, provavelmente não precisarão “puxar saco” de ninguém futuramente para continuar onde estão. Só digo provavelmente e não com certeza porque o sentimento que se instalou hoje na dengue é que nas próximas administrações certas pessoas virão/voltarão para ameaçar e devastar o que lhe incomodaram, independe se está funcionando bem ou não. Ambas são pessoas que colocam sempre críticas construtivas e não destrutivas como muitos fazem aqui. Elas estão sempre ajudando como podem e entendem muito do que fazem e de todo e qualquer tipo de trabalho no Combate a Dengue. Vocês estão de parabéns por tudo o que fazem para ajudar.

Anônimo disse...

(4)
Não sei exatamente quem são todos os agentes que postam aqui, mas percebe-se que alguns realmente entendem sobre o combate a dengue e sabem sobre todo o trabalho. Mas como não saber? Seria até cômico não é mesmo?! São anos e anos e anos e anos e anos e anos e anos e anos e anos e anos trabalhando no Controle da Dengue e querem voltar para ficarem mais anos e anos e anos e anos e anos. Ganhou na experiência! HE HE HE Fazer o quê!?
Achei engraçado! “Mas quando leio algum texto interessante não uso o termo "bonitinho" (???????????????) Custei a entender, mas entendi! He He
“Não dão nenhum motivo pra mim chorar, pois está (...)” Índio fazer barulho.
“ Foi realizada num período ainda de seca (...)” Em um, fica mais formal não é mesmo? Já que gostam tanto de mostrar polidez com o português e mostrar a todo custo intelecto. Todo mundo já entendeu e já sabe que você entende sobre o assunto, não precisa ficar atacando as pessoas sobre como elas escrevem. Principalmente se, como você pode perceber, qualquer um pode ser vítima de erros em um debate em um blog que no meu ver é bem formal. Incluindo pessoas bem próximas a você. (PAUSA) Se todos que criticam aqui são realmente preocupados com picuinhas (é, você mesmo!) procurem no que escrevi, erros. Certamente terá, e vários, pensei por um momento em ficar me preocupando com isto, mas com certeza não é essa minha intenção aqui. Não preciso provar nada a ninguém.

Anônimo disse...

(5)
Ops. "que no meu ver é bem informal..."

Anônimo disse...

Essas Educadoras se denominam "AS EDUCADORAS SUPER PODEROSAS" !!!!!!!!!!!! KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK QUE PODER É ESSE???

Agente Sanitário insatifeito e contestando mentiras disse...

Os tres supervisores de turma que estão de volta são os mesmos que quando foram exonerados ficaram chorando que trabalhar na rua é um inferno. São incapazes de fazer cobranças e sempre foram paus mandados. Esses querem apenas manter 40% de gratificação.
Engraçado que o anonimo acima cita saber que os agentes estão exaustos e com a saúde debilitada, mas não comenta que atestados médicos aumentaram depois que as novas coordenadoras assumiram. Elas inclusive tiraram da rua agente contratado para dirigir, apadrinharam alguns, pagam função gratificada ara agente contratado que hoje é supervisor, preterindo os concursados.
Não vou me ater mais a escrever. È só os internautas pensarem: As coordenadoras que estão no cargo fazem parte da administração mais caótica que a Saúde já teve, então saõ parte do Novo Modelo. As educadoras, laboratoristas e outros desviados de função também. Resta aos prejudicados, quando esse governo perder as eleições anoque vem, contar a situação ao novo governo, isso se o candidato que apoiaros não ganhar eleições. Aì sim, é hora de trabalhar com pessoas de nossa confiança, que pensam em Araguari e na acoletividade. Que tenham consciência de que todos estão num só barco e que o pessoal que trabalha na rua eve ser valorizado e não usado para elencar nomes de pseudo educadoras e pseudo coordenadores.
melhoria de serviço para esse pessoal se baseia no seguinte:fazer cursinhos banais de motivação para ver se os agentes produzem mais se produzirem seguram os carguinhos delas.

Anônimo disse...

È senhora secretária Iolanda, pelo visto sua entrada não mudou nada na saúde né? Você deveria controlar seus subalternos e impedir que postem aqui. Está ficano feio para o governo.

Zimiro disse...

1-Os resultados do LIRAa deveriam sim orientar as ações de campo, e não vimos nenhuma programação que obedecesse os seus resultados. Mutirão de Limpeza corresponde a eliminação mecânica de criadouros enquanto os resultados atuais do LIRAa apontam para outras medidas, as quais pra mim não foram discutidas e nem planejadas.
Outro dado importante é que em Araguari nem sempre o lixo enumerado por vc foi um fator de predominância, até porque em Araguari existe uma cultura de armazenamento de água em grandes e pequenos depósitos de uso dos moradores, essa cultura existe até hj mesmo com o regular fornecimento de água, mas tal hábito nasceu no passado com a carência de água e persiste até hj.


2-Vc disse que o agente dever ficar atento às programações, mas quais?...

3-“Torcendo para que haja em Araguari uma epidemia para que culpem a Coordenação da Dengue como um dia foram culpados. Vocês na verdade querem culpar, criticar e difamar alguém só porque foram exonerados.”

Vc deveria ser mais responsável nas suas colocações, eu aceito criticas sobre o eu trabalho desde que elas sejam pautadas dentro de uma lógica, coerência técnica, agora acusar que estou torcendo para uma epidemia de dengue na cidade só porque não pertenço mais ao quadro de supervisor, vc está sendo leviano, tenho minha mãe cuja saúde é debilitada, vc acha que gostaria que diante de uma epidemia ela corresse esse risco de contaminação só por causa de uma supervisão na dengue?
Apenas para esclarecer, em outras gestões já foi me proposto inúmeras vezes pra mim assumir a SUPERVISÃO GERAL do programa e eu não quis, tome cuidado com a forma que vc afirma as coisas.
Questiono apenas a forma que fomos exonerados, faltou transparência no procedimento e planejamento na reestruturação das equipes. E tenho argumentos sólidos para discutir tudo isso com qualquer um. Não obstante, considero que alguns que assumiram a supervisão mereciam realmente a oportunidade, mas diante de um quadro melhor planejado e que não fosse caracterizado uma forma medíocre de perseguição. Tenho muito respeito e consideração pelos supervisores que retornaram o Márcio e a Keila.
Outra pessoa que não conheço muito, mas que já mostrou interesse em saber sobre o trabalho, como é aplicada a técnica no campo e que viu de perto como é o dia a dia do agente sanitário foi a Amanda.

Zimiro disse...

4-“As tampas fabricadas não vedam totalmente as caixas d’água, são muito pesadas e na maioria das vezes permanecem onde são deixadas pelo agente que as leva.”

As tampas vedam bem sim desde que suas medidas estejam de acordo com a caixa d’ água em questão. Agora se elas são deixadas pelo agente isso foi um problema que a administração disse sanar com a criação de uma turma especifica para entregas e vedação dessas caixas d’ água, cabe a atual coordenação do programa cobrar não só a criação da equipe como também fornecer todo o material de EPI para resguardar a saúde do servidor.

5-“ ...não precisa ficar atacando as pessoas sobre como elas escrevem.”
Vc está invertendo a situação, respondi o post do Colenghi enumerando os últimos resultados do LIRAa, pronto! logo abaixo aparece um comentário ofensivo a minha pessoa e no final ainda manda eu ir estudar. Pô! Apenas respondi conforme o merecimento da ofensa. Sem falar que fui bem mais brando ao retrucar.

Zimiro disse...

Prezado anômimo das 11:29 vc sugere a castração do livre exercicio da opinião, ao dizer que a gestora deveria impedir que os seus subalternos discutem aqui. O que deveria fazer é filtrar comentários ofensivos, mas nunca cercear o individuos de expressarem os seus pensamentos. Afinal se vc não sabe, a Constituição de 1988 nos confere esse direito:

"IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;"

A democracia tem como uma das suas peças fundamentais o conflito de opiniões, o pluralismo de idéias. E uma sociedade democrática só pode efetivar-se como democrática se os seus membros estão preparados para lhe dar com essas convergências, qualquer censura configura-se a supressão do Estado democrático.
A sua sugestão de suprimir o elemento caracteristico de uma sociedade democrática, que é a da Liberdade de Expressão conduz o homem à uma regressão no seu convivio social.

Anônimo disse...

E qual seria Sr. Zimiro uma ação que o Controle da Dengue deveria fazer na tentativa de acabar ou até mesmo diminuir os casos em que os moradores tem o costume de armazenar água em depósitos como tambores e tonéis, e etc?
Controle químico? Educação em Saúde?

Colenghi disse...

O companeiro Zimiro enfatizou muito bem a situação, elucidando de maneira clara e diadática os acontecimentos. Gostaria apenas de enfatizar meu repúdio ao tendencioso comentário da anônima que começou seus 5 posts. Prezada, sua afirmação de que o surto de dengue ocorrido em 2009 - 2010 ter nossa culpa é leviana, pois todos sabem que o Brasil todo passou pela situação de epidemia com a re-introdução do vírus tipo 1. Não explanarei mais sobre esse dado, pois aqui mesmo já se deram amplas discussões acerca do fato.
Anônima, não questiono ter saído do quadro de supervisão, tenho o entedimento claro de que o cargo é livre nomeação dogoverno. Apenas revolta-ma a forma como foi feito o processo pela ex-gestora. Foi truculento e traumatizante. Porém, nunca fui atrás de ninguém para reverter a situação, e através de minha mãe, tive oportunidade e tentar até com vereador da situação que é amigo de meu padrasto. Resolvi que nessa gestão não quero nada,só paz para esperar esse governo acabar. Acabo de chegar da prova do ENEM, vou voltar para a faculdade que falta pouco para concluir, não penso em votar para supervisão de nada, não nessas atuais condições.
Quanto aos supervisores que voltaram, cada um, cada um. Eu não voltaria.
Quanto ás tampas de caixa-dágua, o processo de fabricação nos foi repassado pela FUNASA em 2001, e até hoje não fomos informados se houve mudanças no processo. Cabe ao município informar-se de novos procedimentos que dão origem à tampas mais leves. Já demos várias sugestões, nunca atendidas, nessa e em outras gestões.
As tampas realmente são pesadas, mas esse fato não é culpa nossa. Mas não sou responsável pela oficina de saneamento, só trabalho lá.
quanto ainda a questão da supervisão, creio que os companheiros que estão lá tem direito de estar no cargo, desde que mostrem competência. Bem as chuvas chegaram, melhor hora para se testar a competência deles.
Lembro ainda, que essetexto, foi uma discreta publicação no facebook, na comunidade Mobilização Nacional dos Agentes de endemias, o Marcos pediu-me para publicar e eu permiti. mas está gerando discussões...isso é bom.

Anônimo disse...

Sr. Colenghui em momento algum afirmei que o surto de dengue acontecido em 09/10 foi culpa de vocês. Em nenhum momento.
Só disse que o que vocês querem é culpar alguém como um dia já foram culpados, caso isso aconteça. Quem culpou exatamente? Não sei. E vocês ja falaram muitas vezes aqui sobre este fato. Ponto final.
Também não disse em nenhum momento que o fato de as tampas serem pesadas e que elas não vedam era culpa sua.Mas como você trabalha no local, e como entende sobre todo o trabalho, pensei que pudesse falar sobre o fato destas tampas não vedarem corretamente. Não vedam. Achei que vocês soubessem disso. E também não é a solução para focos em caixas d´água, porém é a única alternativa que se tem.
Sr. Zimiro, bom saber que você realmente não torce contra e muito menos para que se tenha um outro surto em Araguari, mas as vezes é o que você deixa transparecer.
E o LIRAa feito neste último momento, sinceramente não quer dizer quase nada. Ponto final. Porém são resultados que devem ser divulgados, principalmente o índice de infestação. Cada um fica com o seu entendimento.
Os supervisores que retornaram são pessoas que enfrentam as dificuldades de uma outra maneira, e da maneira mais adequada, nenhum dos três precisou ir até alguma pessoa para isso. Foram chamados de volta pela veterinária. Eles esperam assim como vocês outras administrações que entendam mais o trabalho e a situação dos agentes de endemias. São pessoas com a cabeça feita, de opinião e entendimento e não "pau mandado" como alguém afirmou aqui.
Realmente percebe-se que a maneira como vocês foram exonerados foi traumatizante. Eu não culpei ninguém aqui por nada. E ja se sentiram como se estivessem sendo culpados. Só disse que vocês estão a todo momento torcendo contra. É o que parece.

Zimiro disse...

As tampas dentro das medidas corretas vedam sim. O que ocorre é que as vezes uma caixa d' água com capacidade muito grande de armazenamento, a fabricação da tampa tem que ser dividida em duas partes, porque ela inteira torna-se frágil pelo próprio peso e dificultando muito o seu deslocamento. Então quando a caixa é vedada em duas partes pode acontecer de ficar um vão, espaço entre as partes, oferecendo assim riscos. Mas caixas que comportam tampas inteiras só não vedam por erros de medidas ou quando encontra caixas de fabricação caseira que por não ter sido usado forma com medida padrão para sua fabricação provoca desnível. Mas caixas d' água com essas caracteristicas é raro encontrar.
Mas pelo menos essas tampas que estão sendo fabricadas não viram criadouros como aquelas tampas de plásticos, que expostas ao sol amoleciam formando um colo, ali parava água e no lugar de eliminar um criadouro em pouco tempo vc tinha outro. O único ponto positivo daquelas tampas de plásticos era sua facilidade de transporte e vedação por serem bem leves.

Anônimo disse...

Apenas para informar, fiquei sabendo que o Colenghi, Zimiro e o Dilson estão fazendo reuniões juntamente com o vereador Tiãozinho, o qual vai dar apoio a esse novo grupo para concorrer as próximas eleições do SINTESPA. Pelas informações o Dilson vai sair como candidato a presidência da entidade.
Só esperamos que eles não se vendam! Hoje observo que eles são mt participativos, vão a câmara, discutem, interessam pelos acontecimentos em outros setores... Mas vai saber amanhã né. Mas temos que acreditar.

Anônimo disse...

Acredito que DILSON será um bom representante do funcionario no SINTESPA, pelo menos é o que ele transparece...

Anônimo disse...

Quem deveria ser coordenador do programa da dengue era o Zimiro, q além de conhecer a fundo o trabalho, é uma pessoa tranquila, carismática, nunca ficamos sabendo de ter ofendido um guarda seu. Infelizmente ele nunca quis ser supervisor geral ou coordenador. A eleição do Ginásio para a escolha do coordenador a maioria dos agentes sanitários queriam votar no nome dele para ser o coordenador do programa mas ele não quis dar o nome para concorrer ao cargo.
Zimiro te admiro muito, vc é uma pessoa maravilhosa e Deus vai fazer justiça, pois o que fizeram com vcs foram uma grande injustiça. Todos nós perdemos. Abrç...

Não posso falar o meu nome senão me trocam de setor.

Colenghi disse...

Anônimo do dia 22 de outubro de 2011 22:33
Como já lhe disse, a técnica de produção de tampas, assim como a de trabalho de campo foi fornecida pela FUNASA. realmente são pesadas, sei disso foi sou um dos que as fabricam> Creio que se há dificuldades pelo tamanho e peso a coordenação obrigatoriamente deveria correr atrás de novas soluções, o que nesse caso, ainda não foi feito.
Cito ainda, que é perigoso para a saúde e segurança do agente colocar essas tampas, pois não é oferecido nenhum equipamento de segurança para fazê-lo pelo nosso empregador. Eu fabrico, mas devido às condições de risco não subiria em telhado de ninguém para colocar, pois graças à um antigo coordenador que não se preocupava com a segurança do servidor, já presenciei acidentes. PENSO QUE DEIXAR A RESPONSABILIDADE PARA O MORADOR VEDAR, DEIXANDO A TAMPA COM ELE AINDA É O MAIS INDICADO.
iNDO DE NOVO FAZER O ENEM.

Colenghi disse...

EM TEMPO:
Anônimo do dia 23 de outubro de 2011 00:12
Jamais me venderia. Se eu não tivesse lutado por melhorias para os agentes sanitários estaria na chefia até hoje.
Não sou covarde à esse ponto. Lutei e caí, mas valeu a luta. Se um dia resolver entrar no SIntespa, certamente estarei levando a bandeira do servidor. Prezo à honra e o companheirismo e quem me conhece sabe que tento andar por caminhos corretos.

Anônimo disse...

DEBATE: eis o grande benefício do Observatório de Araguari.

Antonio Marcos merece nosso reconhecimento pela dedicação de manter este espaço virtual.

Li outro dia um artigo primoroso de Eugenio Bucci sobre a internet, sem dúvidas um marco na história da humanidade. Não é rádio, não é televisão, não é jornal e não é nada parecido.

Dos servidores municipais da saúde que aqui postam, os conheço da convivência profissional, os reconheço no comprometimento com o trabalho de combate à dengue, cada um na sua função. Penso que não devem ceder às provocações de quem torce justamente pelo confronto entre colegas e a desagregação do funcionalismo.

Dia desses, noutra postagem aqui no blog, alguém se referiu a alguns servidores (talvez Colenghi, Zimiro, Antonia) como "a turminha do Edilvo". Ledo engano: não são minha turminha; o que de resto é uma pena, pois seria deveras honroso para mim tê-los como da "minha turma".

São ex-colegas de trabalho aos quais respeito e admiro, tanto no nível profissional quanto pessoal, pela coragem de expor seus pontos de vista e não se renderem ao medo imposto por quem está (temporariamente) no poder.

Democracia e liberdade de expressão: talvez a internet seja o único lugar onde, de fato, isto seja realidade.

EDILVO MOTA
Araguarino genérico

Colenghi disse...

Somente à título de informação, ainda não coloquei meu nome à disposição de chapa alguma para o SINTESPA. Ainda não pensei sobre o assunto. Em reuniões que tive com o Tiãozinho, Zimiro e Dìlson, pretendíamos colocar nosso serviço à disposição do Sindicato, oque não foi possível, pois esbarra na legislação e não faremos nada ilegal.
O companheiro Dilson, por já ter participado do Sintespa adequa-se às normas legais e com certeza tentará motivar o funcionalismo para a luta. Confio nele e tem meu total apoio.
Por isso antes que outros pré-candidatos venham aqui anonimamente falsear fatos, já esclareço que ainda não soucandidato à nada, dependerá de mina situação acadêmica no próximo ano.

Colenghi disse...

Edilvo,
A redação do ENEM teve como tema a internet.
Usei como argumento na minha dissertação, O facebook derrubando ditaduras e blogs como meio de dinâmica interativa da notícia com receptor superando a midia tradicional. Aproveitei para afirmar e lembrar que apesar de mais democrática a internet está ligada às grandes corporações e que se não filtrarmos o conteúdo, ela se torna mais um aparato para o consumo. Enfim, internet só será realmente democrática quando todos que a usam exercerem a pelna cidadania.
Como leio sempre o blog e posto aqui sempre, não precisei gastar muito meu INTELECTO graças ao debate com todos vocês.

Anônimo disse...

Tá vendo?

Não somos tão inúteis assim, quanto pensam alguns.

EDILVO MOTA

Zimiro disse...

Já que o tópico está sendo bastante visiualizado vou aproveitar o espaço e divulgar o Fotografaço no Distrito de Amanhece por meio da criação de um albúm digital. Rsss...

http://www.youtube.com/watch?v=iW4cLaqP_DQ

Iconoclasta disse...

Esse ENEM já está valendo para o vestibular da extensão da UFU aqui para Araguari como já afirmou pessoas ligadas ao governo municipal?

Colenghi disse...

Iconoclasta;
Mas È NEM!

Anônimo disse...

rs Boa Colenghi..
Alias ''È NEM'' é o novo bordão do novo modelo...

Iconoclasta disse...

Prezado Colenghi é o que já imaginava...

Anônimo disse...

oi

Anônimo disse...

olha nao sei por qual motivo falam mal da Amanda e tambem da Melissa, no meu caso as admiro como profissionais, a Melissa é muito capacitada e sabe ver o lado dos seus funcionarios, coisas q outros coordenadores nao fizeram, ja a Amanda tambem com um excelente gabarito tecnico como profissional, sabe na verdade o que passamos dia a dia no campo, nao ponho a culpa nas duas e sim em todos nos! pois somos um time e acho q deviamos trabalhar mais ao inves de ficar aqui trocando esfarpos!

Anônimo disse...

A realidade é que a carga horária no controle da dengue não é adequado para as ações. Metas não serão cumpridas enquanto nao houver também funcionários em quantidade suficiente (hoje existe muitas zonas desguarnecidas). Acho que não é preciso diminuir a carga horário e sim fazer adequações no horário de serviço...mas isso conta com a colaboração dos agentes em aceitar para o melhor do serviço. O ex secretário adjunto tinha dado carta branca para a Amanda para ela adequar o horário da melhor forma, em cima das 8 horas diárias...mas teve uma meia dúzia de agentes que já diziam que nao iriam aceitar. O intuito não e servir a população? É exaustivo trabalhar toda a parte da tarde em baixo de sol escaldante. Graças a Deus ela nunca me tratou com falta de respeito e má educação, nem a melissa

Anônimo disse...

Anônimo acima:
A opinião de contratados baba-ovo e desviado de função não nos interessam. As duas coordenadoras são desprparadas para o cargo que ocupam, aliás, se fossem éticas, não teriam aceitado esses cargos nessas condições. Enquanto vc dirige u carro é fácil bajuar, sendo que vc não foi contratado para dirigir.
A questõ da cargo horária so aceitamos o que lei permitir seu puxa-saco.

Anônimo disse...

Apenas sei o seguinte: disseram que o ex-supervisores eram incompetentes e que as mudanças feitas trariam resultados satisfatórios e provariam para esses ex-supervisores como a nova estrutura do trabalho tornariam as tarefas bem mais produtivas. Mas onde está os resultados positivos? Alguém aventura pontuá-los por favor?
Já estão desesperados, o municipio vai perder importantes repasses por não cumprir suas metas, dizem que já ficariam satisfeitos se pelo menos entrassem no 5ª tratamento!!! Como assim?! Explica isso por favor! O numero de imóveis fechados compromete ainda mais a qualidade do serviço, nem a cobertura de 80% estão conseguindo manter em cada ciclo. Diversas turmas não conseguem concluir TPVE's dentro da mesma semana, sendo muitos bloqueios perdidos, etc...etc...etc...
Então que melhora foi essa?!
Todos esses fatos são reflexos da arrogância, prepotência e ignorância da senhora Iara com o trabalho. O futuro mostrou o quanto essa senhora estava despreparada para assumir a saúde, no entanto não suportou a pressão após colher tantos resultados desastrosos na saúde, e cada um pior que outro, sempre expondo a admnistração de forma negativa na imprensa.

Agente Sanitário perseguido e oprimido pelo Novo Modelo e Iolanda Coelho disse...

Prezado anônimo do dia 29 de outubro de 2011 Comentam no campo que a Sra. Amanda tem interesse em aprender o trabalho e é mais humilde, ao contrário de outros, ela não veio dizendo que estava chegando para "arrumar a bagunça que deixamos". Bagunça que até hoje não provaram existir.
Voltando ao assunto da carga horária, um dos motivos pelo que fomos perseguidos pela Sra. Iara Borges, Iolanda Coelho e Lúcia Hirono foi que defendíamos a carga horária de 6 horas, que se adequa ao trabalho de campo, evitando vários deslocamentos durante o dia. Tanto a secretária na época, quanto as diretoras recusaram nossos argumentos e ainda disseram que nós é que não conseguíamos organizar o trabalho de maneira adequada. Bem a prova que estávamos cero está aí na sua fala anônimo.
Quanto a uma nova carga horária, ou dão 6 horas novamente ou então deixem como está, afinal que vantagem o agente tem em trabalhar pesadas 6 horas corridas e depois voltar para trabalhar novamente? Só para segurar cargo de coordenadora
Engraçada é que hoje em dia, elas tem até mais recursos, força tarefa, fumacê a hora que querem e mesmo assim não terminam os ciclos no prazo?
Aí anônimo você vem aqui desgraçadamente falar que a culpa é de meia dúzia de agentes?
A culpa é inclusive da Iolanda que hoje é secretária e agora tá falando pra todo mundo que nada teve a ver com nossa saída. Perseguiu a gente e agora não tá dando conta do serviço. È Iolanda, o tempo tá passando e você tem poucos meses pra arruma a saúde.

PMDB SEMPRE! disse...

Pedimos, que mesmo bem intencionados, membros do governo evitem postagens nesse espaço viciado e redundante. Fazemos o pedido tendo em vista que quando informamos verdades de beneficíos, não só na saúde, mas em todas as secretarias, torna-se, via de regra por parte dos frequentadores deste blog, deturpar e transformar a notícia em desfavor do governo, expondo a imagem da mais talentosa e humana administração que Araguari teve o privilégio de eleger.
Neste espaço encontram-se apenas frustrados e uma meia-dúzia de servidores insatisfeitos e adestrados pelo vereador Tiãozim do sindicato. Aqui não há apreço pela democracia e nem pelo direito ao contraditório. Evitem comentários. Sendo assim, nada mais.

Anônimo disse...

falou bonito PMDB!!!!!!
vms trabalha GENTE!!!!!

Anônimo disse...

Finalmente apareceu alguém neste blog para falar algo de útil.O nosso amigo PMDB SEMPRE está coberto de razão.Vamos usar o blog para coisas mais importantes que ficar um ofendendo o outro.Essa briga dos funcionários do controle do zoonoses com a administração já virou palhaçada.Vamos trabalhar mais e criticar menos afinal,brigam,falam,criticam e nada se resolve.Sou concursada,mas,penso que de nada resolve ficar atacando funcionário contratado ou coordenação.Temos é que nos unir e fazer nosso trabalho bem feito.Quem sabe assim conseguiremos bons resultados.Não estou aqui para defender nem acusar ninguém.Apenas acho que ficar trocando insultos via internet não resolverá nossos problemas.

Anônimo disse...

Anônimo dia 4 de novembro de 2011 08:50
Palhaçada é voces entrarem aqui e tentarem minimizar a situação. A briga contra a administração é de todo o funcionalismo concursado que foi desprezado, desvalorizado e teve seus vencimentos carcomidos nessa administração podre, mentirosa e que usa somente de sofismas para enganar a população.
Vamos trabalhar mais e criticar menos...o duro é que muitos trabalham para que poucos tenham vida de rei nessa administração. Coordenações, independente de qualquer área, tem culpa sim, pois coadunam com esse modelo arcaico e vulgar de administrar, oferecendo tudo aos amigos e esquecendo o braço forte que faz a prefeitura andar, que é o funcionário de carreira.
Existe pessoas nesta administração que está mais interessadas em mostrar decotes e silicones que trabalhar para o povo.
temos que nos unir sim, mas contra o governo, espalhar o que sofremos e lutar pela não reeleição dessa trupe, que nada fez, nada fará e só mentirá.
Passar batom em avenida não adianta. Vcs tem nosso eterno ódio.
PMDB sempre? PMDB nunca mais e viva a honestidade. E ainda tem pastor que é secretário do PMDB e fala pros trouxas de seus fiéis que não se envolve em política.

Anônimo disse...

Uma pessoa que comenta com nick de PMDB já não deveria ser levado em consideração. Se isso tivesse um pouco de massa encefálica tinha alguma chance ou possibilidade para o entendimento sobre política, entendimento pelo menos razóavel para não usar tal apelido.
Adoraria discutir política com um tipo desse, meu sonho era ser colocado de frente a esse tipinho.