sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Depoimento importante

A postagem Dez minutos contra a dengue; e quanto para o povo? recebeu diversos comentários. A maioria deles de muita importância para nos ajudar a compreender melhor o problema da dengue.
Aproveito para reproduzir um deles, subscrito por Eliete Abadia Borges Souza, do Departamento de Zoonoses da Prefeitura Municipal:

Hoje ao chegar em meu local de trabalho tive o desprazer de ser informada por um colega de serviço que estavam falando mal das educadoras no blog do observatório de Araguari. Não sou leitora do blog. Não tenho nada contra o dono ou qualquer outra pessoa que participa dele, só não gosto de perder meu tempo com assuntos que não vão enriquecer meu intelecto. Mas achei por direito e por bem esclarecer um ponto a respeito da educação em saúde. Para ser um educador sanitário do controle da dengue não é necessário ter ENSINO SUPERIOR. A exigência é que seja agente sanitário devidamente capacitado para o trabalho de educação em saúde. A quem interessar faço saber que eu, Eliete Abadia Borges, sou devidamente capacitada para o trabalho. Tenho 9 anos de experiência, curso o 7º período de PEDAGOGIA pela UFOP (Universidade Federal de Ouro Preto), tenho certificado de CURSO DE ORATÓRIA E APRESENTAÇÃO EM PÚBLICO e CURSO DE CHEFIA E LIDERANÇA pelo SENAC, certificados de 2 OFICINAS PARA EDUCADORES, certificados de 4 CAPACITAÇÕES PARA AGENTE SANITÁRIO, além de ter participado de dezenas de encontros, seminários e/ou eventos de saúde, inclusive na área de zoonoses e também de educação e pedagogia. Com relação às minhas colegas, elas também tem suas devidas qualificações, porém, cabe a elas publicarem aqui ou não. Todo mundo tem seus defeitos e problemas, mas no que se refere à minha pessoa, me esforço ao máximo em executar bem toda e qualquer atribuição que recebo. Se alguns não estão satisfeitos com o trabalho de educação em saúde em nosso município convido que me procure no departamento de zoonoses que terei o prazer em compartilhar minhas experiências ao longo desses nove anos de trabalho. Tenho certeza que chegarão à conclusão de que, apesar de todos os empecilhos, muita das vezes colocados pelo próprio SISTEMA, o nosso trabalho tem obtido sucessos. Gostaria de lembrar a meus colegas que aqui postam seus comentários, ou informar àqueles que não tomaram conhecimento, que o trabalho de Mobilização em Araguari foi escolhido um dos melhores dentre os municípios de Minas pela SES (Secretaria Estadual de Saúde) e participou de um documentário feito pela REDE MINAS sobre OS CINCO CASOS DE SUCESSO DE MOBILIZAÇÃO no ano de 2009. Se alguém quiser apreciar esse documentário é só me procurar que posso fornecer uma cópia do DVD. A situação da dengue não é difícil só em nosso município, infelizmente. O que precisamos é de UNIÃO nessa luta, e não de picuinhas e falatórios vãos. Peço a todos os que tiveram paciência em ler esse "capítulo" que escrevi, que se sensibilize com a causa de combate à dengue e compartilhe com outros seus conhecimentos sobre a prevenção. Só com a ajuda de todos é que venceremos essa luta. Um abraço a todos, boa sorte na vida e que Deus cuide de cada um de vocês.


"Otimismo é esperar pelo melhor. Confiança é saber lidar com o pior". (Roberto Simonsen) 
 
Pitaco do Blog
Prezada Eliete, não creio que os comentários postados aqui empobreçam o intelecto. Ao contrário, entendo que vários esclarecimentos importantes sobre a dengue foram trazidos pelos leitores, vários deles com conhecimento técnico e diretamente envolvidos no combate a essa doença.
Claro, um ou outro exagero acaba acontecendo. Vejo com naturalidade isso. Apesar de sermos todos civilizados, no calor das discussões, algumas palavras mais duras podem ter sido ditas por mim ou por algum leitor. Mas, encaremos isso como parte do jogo democrático e do amplo exercício da liberdade de expressão.
Por fim, quero agradecer pelos seus esclarecimentos. Eles têm a virtude de enfatizar, por exemplo,  o fato de Araguari (da equipe) ter se destacado na mobilização para combater a dengue no ano de 2009. Infelizmente, isso ficou meio esquecido em meio a tantos problemas ocorridos na área da saúde pública. Além disso, o seu depoimento é valioso quando conclama a união de todos na dura missão de controlar a doença.  Espero que, ao contrário do afirmado, não seja a sua última participação neste espaço.

11 comentários:

Colenghi disse...

Marcos;
Os esclarecimentos postados aqui por mim, infelizmente á revelia do que pretendo sempre descambam para as picuinhas pessoais. Tecnicamente falando, não concordo com algumas atitudes de outros colegas, que só postam aqui quando fere os privilégios que eles possuem. Também tenho várias capacitações na área de comabte ao vetor, inclusive algumas que a educadora citou possuir. Mesmo assim, a atual gestão não vê capacidade técnica, mas sim apadrinhamentos. Tenho 16 anos de serviço, curso superior incompleto ( faculdade pública e presencial) e condições de produzir conhecimento com quem quer que seja sem precisar bajular governos para manter-me em cargos. Alguns só postam quando levam pedarada... mas nem sempre é bem como postam.

Colenghi disse...

Vou deixa uma frase também:
Não há nada de ruim que não possa piorar.
Eu mesmo....

Marcos disse...

Colenghi, acho importante a participação de todas as correntes. As picuinhas, infelizmente, fazem parte do jogo. Dos males, o menor. O silêncio das ditaduras não faz bem a nínguém.
Considero interessante aprofundar essas discussões sobre os critérios para escolhas de chefias e assessores. Infelizmente, não se privilegia o mérito nesse tipo de escolha. Os políticos acabam levando ao pé da letra a expressão "livre nomeação".
Então, as discussões em praça pública são a melhor de forma de qualificarmos esse processo de escolha. Afinal, desse processo depende, via de regra, a qualidade dos serviços públicos.

Aristeu disse...

Não é preciso tanto estudo pra combater este transmissor da dengue - o problema é que dá trabalho, nem que seja de dez minutos ao cidadão comum. E também, com o aumento de casos, verbas extras aos nossos cofres que serão certamente corrompidas.

Ianis disse...

UBERLÂNDIA-MG, 21 de outubro de 2011.

Prezados Amigos,

Sou o que se pode designar por AUTODIDATA, possuo curso superior em uma área e trabalho em outra por mais de vinte anos, gosto de ler, tento aprender até a escrever, e NUNCA, mas nunca mesmo, procurei saber/tive curiosidade/necessidade de entender o que venha ser VETOR e outras terminologias aqui empregadas.

Recentemente - e aqui, neste site - sinto-me imensamente satisfeito em aprender um pouco sobre o tema em questão, agregando ao conhecimento técnico, toda parte operacional e administrativa do processo, inclusive a NOJENTA POLITICAGEM envolvida, meandros e demais pormenores sórdidos de uma Gestão Pública, em especial ao interrelacionamento estre as hierarquias do Município.

De repente, descobri que COLABORAR com o combate à DENGUE não é APENAS abrir as portas de minha residência para o Técnico periodicamente, e permitir-lhe acesso à todos os cantos dela.

Descobri que dez minutos é muito pouco para compreender tudo isso, e ainda ter que aguardar pelos resultados do que EFETIVAMENTE FOI REALIZADO, no próximo ano...

Carro fumacê pulveriza algum tipo de produto que extermina o vetor Corruptus impunis ?!

Atenciosamente,
Janis Peters Grants.

Zimiro disse...

Concordo com vc Marcos, as redes sociais são ferramentas fantásticas, pois ao permitirem a interatividade entre as pessoas elas produzem formas de conhecimento compartilhado que rompe com a estrutura da mídia tradicional onde as informações sempre passam pelo crivo daquilo que pode e não pode ser compartilhado, daquilo que pode e não pode ser exposto, geralmente obedecendo os interesses de grupos específicos, como por exemplo, grupos políticos ou econômicos.
As redes sociais como blogs, facebook,Orkut,twitter etc. ao promoverem debates com ampla participação dos indivíduos está contribuindo muito pela elevação do seu nível intelectual, pois ele deixa de ser um mero consumidor de informação para também produzir saber e compartilha-lo com os seus semelhantes.
As redes sociais hoje estão sendo capazes de mobilizar milhões de pessoas no mundo todo. Vejam os exemplos nos países árabes, aqui no Brasil as manifestações contra a corrupção na política surgiu com discussões nas redes sociais, o grupo "Fotografaço" –repúdio a mordaça – aqui de Araguari o qual orgulhosamente faço parte, se desenvolveu nesse espaço.
São exemplos mais que suficientes para mostrar o quanto as redes sociais tem um papel importante no meio social.

garliene arts disse...

Internet hoje e o instrumento mais preciso pra levar a informaçao .So nao acumula agua,sem risco de ser picado pelo mosquito da dengue.

Anônimo disse...

gente para ser educadora e so entrar em depressao e fazer fofoca saudavel nao precisa de curso algum so fica cosando kkkkkkkkkkkkkkkk

Anônimo disse...

e para ser surpevisora e so tirar leite das oxigenadas voces vira suuuupppeeerrrvvvviiinada pois esses ai nao sabe de nada nem onde fica os quarteirao

Wellington Colenhghi disse...

Aos dois anônimos acima;
Não concordo com a metodologia e as atitudes de muitos que hoje estão trabalhando no combate à dengue,porém, não sou favorável á ataques pessoais, pois isso sim, não enriquece intelecto de ninguém.
O anonimato de vocês pode prejudicar servidores que debatem aqui de maneira séria e assinando as postagens. Sou oposição ao governo, mas acredito que devemos manter um nível melhor de dscussão aqui.

Anônimo disse...

Falou e disse Colenghi! O blog virou um ninho de ataques pessoais!