quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Criticando os críticos

Voltou a circular recentemente, a coluna do Dr. Dejair Flávio de Lima no Correio de Araguari.
Na edição de hoje, o colunista, que também é procurador do município, teceu algumas considerações a respeito da saúde pública e das críticas feitas à qualidade desse serviço público em Araguari. Leiam e tirem suas próprias conclusões:
A emissora do Paladino da oposição em reiteradas vezes tem criticado a saúde pública de Araguari, fato que eu também gostaria que ela fosse melhor, sem dúvida alguma! Entretanto é de se reconhecer que ela é o reflexo da saúde do País que tem como administração central, com repasses de verbas carimbadíssimas o Ministério da Saúde e que para o confronto, seria muito bom perguntar, aonde e em que lugar deste País a saúde vai bem? Em São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte, Goiânia, ou em qualquer outro lugar? Confira por gentileza os mais diversos meios de comunicação e, Araguari, com certeza não foge a regra, aliás, se retirarmos este espírito destruidor da crítica, vamos verificar que a Saúde de Araguari, que sem dúvida alguma é ruim e que precisa melhorar, é melhor do que em muitos lugares.

Vamos parar de achar que só a galinha do vizinho é gorda e que lá é melhor do que cá. Vamos deixar de ser pessimistas... Vamos tentar ajudar com trabalho e incentivo, porque as críticas só destroem, e ademais não é justo criticar uma administração que luta sozinha, porque lhe falta apoio nas esferas estadual e federal por falta de representação, onde todo o débito nos pertence, devido a um cem números de candidaturas a deputados, que só foram candidatos com o intuito único de estorvar, sendo lamentável ser lembrado.
O Brasil gasta mais do que a média dos países da América Latina, entretanto, a participação do setor público é menor. Isso tem levado ao programa público de saúde, o Programa Único de Saúde (SUS), a atender quase que exclusivamente as pessoas mais pobres, visto que até mesmo a grande maioria das pessoas que trabalham em fábricas e em empresas em geral está cobertas por algum plano de saúde privado.
Esse é o principal motivo pelo qual a saúde pública é tão caótica em nosso país, ou seja, as nossas autoridades brasileiras e a sociedade não dão a atenção devida para as pessoas que precisam dos atendimentos médicos do setor público.
Quando as próprias pessoas que utilizam a saúde pública se organizarem de forma eficaz e sistemática, criando um movimento firme e forte, então os gastos com a saúde irão aumentar significativamente e a qualidade e a quantidade dos serviços de saúde pública no Brasil aumentaria bastante e as pessoas seriam atendidas com muito mais dignidade e respeito nos hospitais e postos de saúde públicos em todo o nosso país.
Neste contexto, apesar da insanidade das críticas, em Araguari a saúde pública apesar dos pesares, continua de razoável para bom dentro do cenário nacional, e, que se nós ajudarmos, melhor será, porque criticar por criticar, como fazem por absoluta falta de assunto com certeza é a mesmice da mesmice de quem não tem assunto.

5 comentários:

Ianis disse...

UBERLÂNDIA-MG, 20 de outubro de 2011.

Prezados Críticos,

Entendimento equivocado o meu, ou a área da SAÚDE está deixando de ser - INVICTA e IMPUNE - o maior filão de presepadas, conlúios, conchavos e ABSOLUTA CORRUPÇÃO, e cedendo a vez à área dos ESPORTES ?!

A qual cenário me refiro? Tem diferença ?!

IMORAL !!!

Atenciosamente,
Janis Peters Grants.

garliene arts disse...

Por dinheiro fazem de tudo ,ate espremer a galinha chocadeira pra sair o ovo pelo bico. =S

Zimiro disse...

Engraçado como manipulam as informações conforme seus interesses.
Quando estava sendo exonerado das minhas funções de supervisor na dengue, eu e os demais ex-supervisores tentavam mostrar para os gestores que o problema da dengue naquele ano era um problema nacional, o país todo estava vivenciando um alto numero de casos da doença, e que Araguari mesmo diante de um quadro reverso nacionalmente ocupava uma posição até privilegiada em relação à muitos outros municipios -basta recorrer aos dados- mas infelizmente transformaram um problema que era NACIONAL em LOCAL para se sentirem a vontade no ataque ao grupo de supervisores.
Mas agora deparo com essa matéria do Correio justificando os problemas da saúde da nossa cidade com o que ocorre em ambito nacional, isto é, fazendo dos problemas da saúde do municipio um simples reflexo do que acontece na saúde do Brasil. Porque essa mudança de ótica?
Ou a dengue não era um problema nacional ou a dengue não era um problema de saúde pública?
Se considerarmos a dengue no ano de 2010 como um problema que acometeu o país todo, foi um erro acusar os ex-supervisores, da mesma forma se afirmarmos que a dengue é também um problema de saúde pública, a matéria do Correio nos "salva" já que considera os problemas decorrente da saúde local como reflexo nacional.

Colenghi disse...

Realmente Zimiro; quando foram nos perseguir usaram o argumento de que os casos de dengue estavam alarmantes e não aceitaram ( ou melhor Iara Borges não aceitou, juntamente com as sus diretoras) o fato de que o Brasil todo passava pelo problema, jogaram a culpa em nosso trabalho. Agora à favor deles podem usar o argumento de que a saúde vai mal em todo o Brasil.

Anônimo disse...

nova secretaria vai dar jeito em tudo.
rumo a reileiçaõ.

vote 15 vc tmb.


juliano