segunda-feira, 24 de outubro de 2011

O patrimônio histórico e os discursos fáceis

A respeito da restauração do Armazém de Cargas da antiga Estrada de Ferro Goiás, a secretária de Educação, Eunice Mendes, afirmou ao Gazeta do Triângulo (22/10):
Nada mais justo que abrir o projeto com a visitação dos servidores aposentados da extinta Estação de Ferro Goiás.Temos orgulho de nossa cidade. Araguari foi referência de desenvolvimento e progresso, graças aos feitos de homens e mulheres trabalhadores que ajudaram a construir esta história,”.
Palavras ao vento. Pura demagogia. Muito pouco tem sido feito pela atual gestão para preservar o rico acervo histórico e cultural da cidade. Aliás, se este governo tem norte, ele aponta justamente na direção contrária: a da destruição desse patrimônio. A abertura de ruas cortando os trilhos da antiga Goiás é um exemplo disso. Outro exemplo vem das palavras de um procurador municipal, que, indignado com as restrições decorrentes do tombamento do Palácio dos Ferroviários, afirmou que o prédio, por fora, é uma bela viola e, por dentro, pão bolorento.
Aqui, eu me lembro do ensinamento de Gláucio Henrique Chaves. Ele costuma perguntar: para que serve uma estação ferroviária sem os trilhos? Essa é uma questão que deveria ser respondida pelos nossos governantes, especialistas em perder o trem da história.

4 comentários:

garliene arts disse...

E de pensar que tinha um projeto de Araguari e Uberlandia ,ligando com trilhos e um trem >>>SERÁ QUE ENGAVETOU ??

Anônimo disse...

Neste governo, Patrimônio Histórico, não quer dizer nada. Pois se significasse alguma coisa a história da cidade não estaria sendo coberta por uma fina e mal feita camada d asfalto.

EFGoyaz disse...

Acham que Patrimônio Histórico é assunto de véspera de eleição. Mas infelizmente não é assim: ou o GOVERNO adota o patrimônio histórico como uma demanda/política CONSCIENTEMENTE ou não se pode falar no assunto. Calem-se; fica menos feio. Não adianta secretárias e secretários virem dizer que está em projeto, em licitação, em reajuste de planilhas. Não adianta, nada disso muda a realidade. Patrimônio e tudo relacionado a PLANEJAMENTO não é prioridade nem para a população e muito menos pra prefeitura. É visto como um mimo de luxo. Será mais um assunto pra lamentarmos no futuro, pela cegueira mental dos nossos governantes. Tivemos tudo pra tornar a colocar Araguari no mapa e deixamos escapar.
Aliás, não adianta: "Só tem futuro quem guarda sua memória" http://www.guiadebage.com.br/colunas/turismo/memoria/index.html

Aristeu disse...

O maior problema do Patrimônio Histórico é eles repassarem o imóvel às prefeituras. Aqui em Goiandira a Estação foi restaurada, reinaugurada e depois fechou as portas. Começou mal e assim vai cair de novo.