quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Vassourada

Vassouras verde-amarelas no Congresso marcam ato contra corrupção

Larissa Leite


Um ato público pelo fim da corrupção teve início às 19h de ontem, na Esplanada dos Ministérios, onde cerca de 50 pessoas começaram a fincar 594 vassouras verde-amarelas no gramado próximo ao Congresso Nacional (foto). Organizado pelo grupo Rio de Paz, o protesto contou com a parceria de outras organizações, como o Movimento Contra a Corrupção. “Queremos o fim do voto secreto e a aprovação da Lei da Ficha Limpa”, resumiu Daniella Kalil, uma das organizadoras do movimento. As vassouras serão retiradas às 15h de hoje, com o objetivo de serem entregues aos deputados federais e senadores. No último dia 19, as mesmas vassouras foram fincadas na Praia de Copacabana, no Rio. A ideia surgiu após o senador Pedro Simon (PMDB-RS) ter concedido entrevista dizendo que gostaria que a ONG trouxesse uma vassoura para ele em Brasília.
Transcrito do Correio Braziliense.

6 comentários:

Aristeu disse...

Só mesmo lavagem cerebral pra varrer a corrupção dos políticos, precedida de um bloqueio de bens.

Iconoclasta disse...

E olha que eu já tinha lido um comentário dizendo que se essas vassouras ficassem lá seriam roubadas, e não é que foram mesmo! hahahahahahahahahahahahhaa

'Vassouras contra a corrupção' são roubadas em Brasília

BRASÍLIA - Ambulantes, servidores e até mesmo seguranças dos prédios da Esplanada dos Ministérios roubaram muitas das 594 vassouras nas cores verde e amarelo que desde a manhã desta quarta-feira, 28, estavam fincadas no gramado em frente ao Congresso Nacional como protesto contra a corrupção.

Iconoclasta disse...

Link da matéria completa:
http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,vassouras-contra-a-corrupcao-sao-roubadas-em-brasilia,778746,0.htm

Anônimo disse...

Roubarem algo em Brasília, defronte ao Congresso Nacional, não é novidade alguma.

Iconoclasta disse...

"ACIA e Justiça do Trabalho vão se reunir para debater relações de trabalho em Araguari"

"Empresas protestam contra suposto rigor da Justiça do Trabalho com eventual prejuízo ao desenvolvimento econômico local"

Alguém explica isso!!! A classe patronal marca reunião com juizes do trabalho! Isso é um absurdo!
Ainda o jornaleco trata o assunto como um momento histórico. Isso é um momento vergonhoso! Isso sim!
A Justiça do Trabalho não deveria aceitar tal reunião, pois não é pelo menos em teoria uma instituição que está acima das classes sociais zelando pela imparcialidade?
Resta saber se a Justiça do Trabalho aceitaria também se reunir com um "Conselho Operário", reuniria? Evidente que não!
Mais uma amostra de nossa faceta coronealista. Já não bastava aquele episódio dos fiscais federais do trabalho nas fazendas da cidade, agora chegou a vez também dos comerciantes e empresários fazerem o mesmo.

http://www.correiodearaguari.com/correio/index.php?option=com_content&task=view&id=4696&Itemid=29

Iconoclasta disse...

E para aproveitar o ensejo, o Jubão novamente envolvido.