sábado, 17 de setembro de 2011

Inversão de prioridades

Enquanto bilhões de reais estão sendo "aplicados" na construção de estádios, a saúde pública no Brasil agoniza. Vejam algumas notícias veiculadas hoje em sites da internet:

Idosa de 89 anos vai para o CTI após cair de maca dentro de hospital do RJ

Hospital da Uerj cancela cirurgias após ser infestado por moscas

Ministério Público vai investigar se hospital foi omisso no caso do paciente que morreu esperando leito de UTI

4 comentários:

Anônimo disse...

Foi contra essa inversão de prioridades que batalhei à frente da saúde pública municipal. Sem sucesso!

Além de perder a batalha, tive que tolerar sorrisos sarcásticos, descumprimento de promessas em prol do SUS e comentários jocosos de bastidores, fazendo troça da minha "ingenuidade", da falta de "jogo de cintura", da falta de visão sobre a prevalência do "interesse político" em situações de confronto entre a legalidade e reservas de mercado.

Os "vencedores" devem continuar felizes. Porém, parodiando Darcy Ribeiro "eu detestaria estar no lugar de quem me derrotou".

EDILVO MOTA
Ex-secretário municipal de saúde
Especialista em Gestão de Saúde

Aristeu disse...

...E quem procura um hospital só pensa em salvar a vida...

Anônimo disse...

Poizé, Aristeu

foi nessa lógica que tentei de todas as formas possíveis, até o limite de minhas forças e competência (limitada, claro) viabilizar o funcionamento do Hospital Municipal.

Porém, vários atores que agora voltam à cena como postulantes a cargos eletivos (prefeito e vereador) também fizeram de tudo pra impedir que o hospital funcionasse.

Uma das razões óbvias era que, entrando em funcionamento o Hospital Municipal reduziria o número de AIH's (Autorização de Internação Hospitalar) para hospitais privados, inclusive Santa Casa. Daí, também reduziria, por consequência, o faturamento.

A coisa é simples assim. E perversa assim, também. E a Saúde Pública segue à deriva, asfixiada justamente por aqueles que deveriam promover seu fortalecimento.

Que os canastrões nos poupem de discursos sobre saúde pública em sua busca por votos, pois, em contraponto, verdades serão ditas aos eleitores.

EDILVO MOTA

Dilson Martins disse...

Edilvo;

Falar de Araguari é falar do Brasil!

Corrupção, demagogia, assistencialismo barato do governo! Falta de planejamento em todos os setores, protecionismo total aos "amigos", caça aos indagadores, pirotecnia com dinheiro público em época de pobreza generalizada da máquina pública, total falta de sintonia do governo com seu povo, “escravidão” de seus empregados...

O governo que você tentou ajudar a implantar teve pontos positivos que este não tem!

O agora é que importa! E, estou certo que você está hoje mais observador, atento, exigente e experiente do que dantes. Digo isso, pois, são estes os sentimentos que o tempo revela a respeito de meu próprio ser...

Disto posto, afirmo que você não perdeu batalha alguma! Você se apresentou perante a sociedade atuando de forma bastante positiva. Mostrou e continua mostrando conhecimento e principalmente, não se escondeu para aparecer somente na véspera da eleição. Suas preocupações para com as coisas da cidade mostram-se hoje tais quais quando na época de secretário. E olha que hoje não existe a recompensa dos vencimentos e a pompa do cargo. Isto, a meu ver, torna você um cidadão especial.

Somos todos falhos e, sempre seremos! Somos também vítimas de nossos sonhos que, em se tratando de transformar a realidade ao nosso redor, necessita de muitos mais e assim, necessitamos continuar acreditando nas pessoas e apostando nelas.

E como diz a música:

NUNCA PARE DE SONHAR – GONZAGUINHA

Ontem um menino que brincava me falou
Hoje é semente do amanhã
Para não ter medo que este tempo vai passar
Não de desespere, nem pare de sonhar
Nunca se entregue, nasça sempre com as manhãs
Deixe a luz do sol brilhar no céu do seu olhar
Fé na vida, fé no homem, fé no que virá
Nós podemos tudo, nós podemos mais
Vamos lá fazer o que será