terça-feira, 16 de agosto de 2011

Uma saída para hospital irregular

Abre aspas para o jornal O Tempo, de Belo Horizonte, edição de hoje:
Depois de oito anos praticamente sem nenhuma serventia, o Hospital Municipal de Araguari pode, finalmente, oferecer atendimento médico para os moradores da cidade do Triângulo Mineiro. Isso porque a prefeitura acionou o Ministério Público Federal (MPF) para transferir o pronto-socorro local para o prédio que hoje abriga o hospital.
A unidade de saúde contou com um investimento de R$ 4,5 milhões do governo federal, foi inaugurada três vezes, mas nunca internou um paciente sequer. O problema é que toda vez que o Ministério da Saúde inspecionava o local - pré-requisito para seu funcionamento - encontrava problemas estruturais.
A secretária municipal de Saúde, Iara Cristina Borges, afirmou que a prefeitura não tem recursos para adequar o prédio do hospital às exigências do Ministério da Saúde - seriam necessários cerca de R$ 3 milhões. Segundo ela, a transferência do pronto-socorro para lá daria utilidade ao prédio do hospital e ampliaria o atendimento do pronto-socorro, que recebe 400 pacientes por dia.
"O pronto-socorro funciona em um prédio precário, que tem 20 anos. E, quando ele for transferido, vamos reformar o prédio onde ele hoje está e criar uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA)", prometeu Iara.
Mesmo sem falar em valores, a secretária afirma que, para receber o pronto-socorro, o prédio precisaria apenas de pequenas intervenções, dinheiro que a prefeitura teria em caixa. Para o procurador geral do município, Leonardo Oliveira, receber o pronto-socorro seria "a última chance para que a obra do hospital não fosse totalmente perdida".
Novela. O hospital - projetado para ter 60 leitos, três salas de cirurgia e ser de alta complexidade - já foi inaugurado três vezes pelo antigo prefeito, Marcos Antônio Alvim. Mas só funcionou durante seis meses, em 2007, para atendimentos de ortopedia e realização de raio X.
"O hospital foi inaugurado sem a autorização do Ministério da Saúde e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Os problemas são de toda ordem, como vazamentos, falta de tubulação para oxigênio e de uma caixa d’água compatível", disse o procurador geral do município.
O antigo prefeito foi acionado pela Justiça Federal para devolver R$ 3,7 milhões à União, já que a obra foi entregue em desacordo com o projeto original. Marcos Alvim não foi encontrado para comentar o assunto. O MPF também não falou sobre o caso.
Leia a reportagem completa clicando aqui.

Pitaco do blog
É Araguari aparecendo novamente na mídia de forma negativa. Devemos agradecer aos responsáveis pela construção e funcionamento do belo "Hospital Municipal".
Agradecimentos especiais ao ex-prefeito Marcos Alvim e a seus auxiliares, que fizeram uma obra que dignifica e honra a engenharia e a arquitetura brasileiras. Pena que os técnicos do Ministério da Saúde, da Controladoria-Geral da União e do Ministério Público não entenderam o espírito da coisa, condenando, injustamente, um prédio perfeito.
Momento ainda de enaltecer os vereadores  Jubão (líder do governo Alvim no início da obra), Eunice Mendes, Porcão e Tiboca, que exerceram eficazmente a função fiscalizatória atribuída à Câmara, evitando, assim, desvios e outras irregularidades na execução da obra.
Não podemos deixar de render homenagens também ao atual prefeito Marcos Coelho. Apesar de não ter inaugurado três vezes o hospital inacabado, ele já prometeu outras tantas vezes colocá-lo em funcionamento sem nenhum planejamento e, portanto, com pouquíssimas chances de êxito.
Será que esses senhores não irão reconhecer os próprios "méritos" pelo fato de Araguari ter se tornado notícia em um grande jornal de Belo Horizonte? Ou será que irão transferir esses méritos aos opositores ou àqueles que "não gostam da cidade"? Ora, é muito fácil afirmar que blogueiros, fotógrafos e jornalistas são os grandes responsáveis pela exposição das mazelas da cidade. Difícil é ver um político assumir a grande parcela de responsabilidade pelas ações e omissões que constantemente vêm penalizando a população araguarina.

6 comentários:

Aristeu disse...

Tudo nesta vida pode ter remédio, inclusive um hospital doente, precário, deficiente e caro.

Ianis disse...

Antônimo ri:

O Nobre Causídico se refere à Laxante ?

Faz-se necessário uma evacuação completa.

Atenciosamente,
Antônimo, em cólicas! De riso.

Ianis disse...

UAI...

O Tópico não é sobre SAÍDA irregular ?!

Ainda tem muita caquinha presa...

Atenciosamente,
Janis Peters Grants.

Anônimo disse...

Deveria existir remédio pra falta caráter...
Cansei dessa novela!!!

Sandra Lúcia Ferreira

EFGoyaz disse...

Realmente o problema do Hospital Municipal são mesmo os encanamentos de oxigênio e a caixa d'água.

garliene arts disse...

São tantas emoções .....Tomara que de fera e feridos , prevaleça o BOM SENSO. =)), pois o tempo vai desgastando mais ainda ,e ficando mais dificil a solução. =S