segunda-feira, 8 de agosto de 2011

A segunda morte de Johnny

Araguari, 2008. Por motivos passionais, o jovem Johnny Gonçalves Alves, 20 anos, após receber várias ameaças, foi assassinado pelo seu rival. O cadáver somente foi encontrado meses depois, já em adiantado estado de decomposição.
Mesmo após o reconhecimento pela família, os restos mortais do jovem foram encaminhados ao Instituto Médico Legal de Belo Horizonte para realização do exame de DNA.
Ontem, a senhora Karina Gonçalves, irmã de Johnny, recebeu uma ligação da Delegacia de Polícia de Araguari informando que os restos mortais dele haviam chegado de Belo Horizonte. Ela deveria, então, comparecer à Polícia Civil para receber maiores informações sobre o assunto.

Hoje à tarde, chegando à Delegacia, a jovem senhora assinou alguns documentos e, para sua surpresa, recebeu os pedaços do irmão (fémur e crânio) em um saco plástico semelhante a um saco de lixo. Ao se ver naquela situação constrangedora, a moça entrou em desespero, ligando imediatamente para o seu pai.
O pai do falecido, senhor Silas, compareceu à Delegacia. Não sabia o que fazer com os restos mortais do filho. Levá-los para casa? Deixá-los no carro?
Inconformados não somente com a espera de três anos para receber os restos mortais do rapaz, mas também pela forma como a Polícia procedeu, os familiares dirigiram-se ao Ministério Público para denunciar o caso.
Via telefone, o Delegado Fernando Storti nos informou que deu todas as explicações à família sobre o procedimento a ser adotado em relação aos restos mortais do rapaz. Disse ainda que não poderia dar entrevista sobre o caso porque tinha alguns problemas pessoais para resolver.

Colaboração de Sandra Lúcia Ferreira (slferreira.lucia76@gmail.com)

5 comentários:

Anônimo disse...

ah, sei... então tá...

garliene arts disse...

Como é deprimente isto , receber assim os restos mortais. =S

Anônimo disse...

O descaso com os sentimentos da família me deixou chocada, tudo bem que para a policia isso seja normal, afinal estão acostumados com essas situações. Agora para a família receber pedaços de um ser amado em um saco preto é o fim.
Eu não conheço a família e nem o falecido e confesso que me sinto mal de pensar que dentro daquele saco que foi entregue à irmã tinha um crânio e um fêmur de um ser humano...
Espero que o Ministério publico tome uma atitude e que isso não volte a acontecer em nossa cidade
Deixo aqui meus sinceros sentimentos à família e peço a Deus que tenham forças pra enfrentar não só a perda de um ente querido mais também esquecer o trauma sofrido em ter que enterrar mais uma vez esse rapaz.
Sandra Lúcia Ferreira

Ianis disse...

UBERLÂNDIA-MG, 9 de agosto de 2011.

Prezados Srs.,

O verdadeiro sentido do termo INDIGNAÇÃO somente nos chega à mente, e nos cobra por atitudes, quando acontece algum fato dentro de nossas vidas.

Enquanto ocorrer nas vidas dos nossos semelhantes, tratamos isso apenas como mais um ABSURDO.

O fato relatado nesta postagem é BIZARRO.

Atenciosamente,
Janis Peters Grants.

Ianis disse...

UBERLÂNDIA-MG, 9 de agosto de 2011.

Prezados Srs.,

Fonte:
http://www.correiodeuberlandia.com.br/cidade-e-regiao/irma-de-ex-presidiario-recebe-ossada-do-irmao/

Atenciosamente,
Janis Peters Grants.