quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Produtores rurais ou senhores de engenho?!


A reunião aconteceu na sede da Gerência
Regional do Trabalho em Uberlândia
No mês de julho, fiscais do Ministério do Trabalho (MT) visitaram seis propriedades, dentre elas uma cujo proprietário é o prefeito Marcos Coelho de Carvalho . Foram observadas principalmente questões legais relacionadas ao trabalho rural, assim como condições de salubridade.

Durante a fiscalização, foram constatados menores de 13 anos trabalhando nas lavouras, empregados sem carteira assinada, embalagens de agrotóxicos descartadas de maneira inadequada, além da ausência de material específico para o uso de agrotóxicos, como botina, luva e máscara de proteção.
Segundo o vereador Aladino, o MT fez algumas exigências, dentre elas, a construção de um refeitório, banheiros, água e copos individuais para os trabalhadores, bem como a formalização da contratação através da carteira de trabalho. Para ele, a fiscalização foi rígida e abusiva. “Os fiscais ofenderam alguns trabalhados que não tinham carteira assinada. Informamos isso ao gerente Reis. Pedimos um pouco mais de respeito,” salientou.
De acordo com o vereador, nem todos os trabalhadores preferem assinar a carteira, optando pelo serviço de diarista. Outro problema é a mudança constante no local de plantio, que inviabiliza a construção de refeitórios. “Queríamos uma flexibilidade com os produtores para que eles possam continuar trabalhando na área de plantio de tomate, pois da maneira que está sendo pedido é praticamente impossível,” completou.
Para o vereador Luiz Lopes, o Ministério do Trabalho tem influenciado as pessoas a deixarem de plantar. “Devido a essa rigidez, denúncias, e a lei que tende a ser paternalista, houve a diminuição do plantio dessa cultura nos municípios. Os produtores tentam se adequar o máximo possível, mas nem sempre conseguem cumprir com todas as exigências,” concluiu.
A fiscalização foi definida no último evento Grito da Terra Brasil (GTB), promovido pela Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura em parceria com os sindicatos em maio. Os produtores que não se regularizarem estão sujeitos ao recebimento de multas.
Fonte: Gazeta do Triângulo, edição de 18/08/2011

Pitaco Revoltado do Blog
As normas de proteção ao trabalhador mudaram há tempos.  Mas, parece que, para alguns coronéis araguarinos, inclusive o honestíssimo prefeito da cidade, a ficha ainda não caiu.
Esse é mais um dos episódios que envergonham a população araguarina. De quem seria a culpa? Dos fotógrafos? Dos neófitos? Dos blogueiros? Do Gazeta do Triângulo? Dos fiscais do trabalho? Ah, já sei! Os culpados são os próprios trabalhadores, que não querem ter a carteira assinada e amam trabalhar em condições penosas e insalubres.
Agora, o que mais me impressiona, além da conduta criminosa de quem ainda acredita que seus empregados são escravos, é a cara-de-pau desses políticos que foram ao Ministério do Trabalho defender aqueles produtores rurais que solenemente ignoram a lei e os direitos humanos. Pior: entre os "advogados" dos empregadores escravocratas, temos o senhor vice-prefeito, que ainda se diz professor do curso técnico de segurança do trabalho. É mole? Depois, ainda dizem que Araguari não é a terra da piada pronta.

24 comentários:

Ianis disse...

UBERLÂNDIA-MG, 18 de agosto de 2011.

Prezado Marcos,

Mea maxima culpa

( Começo a achar que trata-se de uma estratégia tipo "... fotos não provam fatos ..." )

Atenta e atenciosamente,
Janis Peters Grants.

Anônimo disse...

Apenas para lembrar:
Código Penal Brasileiro:
"Art. 149. Reduzir alguém a condição análoga à de escravo, quer submetendo-o a trabalhos forçados ou a jornada exaustiva, quer sujeitando-o a condições degradantes de trabalho, quer restringindo, por qualquer meio, sua locomoção em razão de dívida contraída com o empregador ou preposto:
Pena - reclusão, de dois a oito anos, e multa, além da pena correspondente à violência.
§ 1o Nas mesmas penas incorre quem:
I - cerceia o uso de qualquer meio de transporte por parte do trabalhador, com o fim de retê-lo no local de trabalho;
II - mantém vigilância ostensiva no local de trabalho ou se apodera de documentos ou objetos pessoais do trabalhador, com o fim de retê-lo no local de trabalho.
§ 2o A pena é aumentada de metade, se o crime é cometido:
I - contra criança ou adolescente;
II - por motivo de preconceito de raça, cor, etnia, religião ou origem."

Marcos

Anônimo disse...

se JUBÃO, PORCÃO e ALADINO não der conta de resolver...............


chama a MIRIAAAAANNNNN, IOLANDAAAAAAA, NICINHAAAAA

Anônimo disse...

JUBÃO, ALADINO, PORCÃO, ZÉ VITOR, ODON QUEIRÓS, MARCÃO

que timaço...

Iconoclasta disse...

Foram constatados menores de 13 anos (EXPLORAÇÃO INFANTIL); empregados sem carteira assinada (SEMI-ESCRAVIDÃO); embalagens de agrotóxicos descartadas de maneira inadequada (DEPREDAÇÃO AMBIENTAL).
O que mais falta para que o latifundiário seja colocado na cadeia?

Iconoclasta disse...

Segundo os nobres vereadores as exigências tais como: construção de um refeitório, banheiros, água e copos individuais para os trabalhadores, bem como a formalização da contratação através da carteira de trabalho foram rígidas e abusivas. JURO QUE NÃO LI ISSO! JURO!

Dilson Martins disse...

Imaginem caros senhores, o que vém passando, nós,empregados públicos da prefeitura de Araguari?!

Anônimo disse...

Iconoclasta.........

VOCÊ LEU SIM!!!!!

Agora eles (Jubão, Porcão, Aladino, Marcão) querem que você ENTENDA!!!!!!!!!!!!!!! e deixe de pegar no pé deles por causa dessa bobagenzinhas de tratar trabalhador como gente. QUE MANIA EIN? hhhhhhhhhhhhhhhh

Anônimo disse...

Acho melhor nós não aprofundarmos nesse assunto, lembram daqueles fiscais que foram assassinados na cidade de Unaí por terem detectado as mesmas situações de maus tratos com os trabalhadores? E o Jordão? É uma realidade nossa.

Anônimo disse...

olha a cara de satisfação do JUBÃO!!!!!

Anônimo disse...

CLI na Saúde que é preciso nada né?

Iconoclasta disse...

O povo araguarino quando não é refém de políticos ligados aos grandes comerciantes e empresários da cidade, torna-se refém de latifundiários.

garliene arts disse...

Seria a ignorância acima indicada explicação suficiente para nossa inércia política, a apatia ou indiferença com que todos os dias ouvimos, lemos e vemos as notícias rotineiras sobre a desonestidade dos políticos, tão previsível e frequente quanto a luz do sol e a água da chuva?
(Professor de sociologia na Universidade Federal de Pernambuco.Fernando da Mota Lima)

P.S = O trabalho infantil é toda forma de trabalho exercido por crianças e adolescentes, abaixo da idade mínima legal permitida para o trabalho,O trabalho infantil, em geral, é proibido por lei. Especificamente, as formas mais nocivas ou cruéis de trabalho infantil não apenas são proibidas, mas também constituem crime.=S

Ianis disse...

UBERLÂNDIA-MG, 19 de agosto de 2011.

Prezados e-Leitores Araguarinos,

(...)
Todos expondo seus projetos e batalhas para o engrandecimento de Araguari. A impressão que eles me passaram foi a de que estão trabalhando e muito em prol do município. Parabéns e que este exemplo seja seguido por todos.
(...)

Fonte da Sementinha da Discórdia:
http://www.gazetadotriangulo.com.br/novo/index.php?option=com_content&view=category&layout=blog&id=26&Itemid=289

Favor não me seguir. Estou perdido!

Atenciosamente,
Janis Peters Grants.

Iconoclasta disse...

Mais verbas perdida pelo "Novo Modelo"

Mais uma vez Araguari ficou fora da listagem do ICMS Solidário Critério Esportes. O município, pelo jeito, não enviou qualquer tipo de documento para a Secretaria de Estado de Esportes e novamente não vai receber nenhum tipo de benefício do Estado. No site do governo de Minas Gerais Araguari encontra-se com sua situação da seguinte forma: Município: Araguari; Status do Conselho: sem informações; Status do Inventário: sem Informações; Ofício Representante: não encaminhou ofício; Declaração Assinada: não recebida. Ou seja, Araguari está completamente fora para o recebimento desses recursos. Fica a pergunta: porque não formalizar tal documentação e receber essa verba? De quem é a culpa?

http://www.gazetadotriangulo.com.br/novo/index.php?option=com_content&view=category&layout=blog&id=26&Itemid=289

Anônimo disse...

A CULPA É DO GLÁUCIO..........................

Anônimo disse...

O que deixa Araguari, a desejar no cenário nascional e o fato que o Galucio, fotografa tudo, enquanto isso a corte faz tudo debaixo dos panos.
Por isso a culpa é sempre do Gláucio. kkkkkkk

Irene disse...

Esse Marcos Coelho é só decepção, tanto nos seus negócios particulares como sugere o tópico quanto na esfera pública. Esse senhor está destruindo a nossa cidade, sua eleição significou um dos episodios mais lamentavéis na nossa história.
Conto os dias para vê-lo fora da prefeitura.
Mas vamos com calma, falta pouco. Deus vai nos abençoar com pessoas compromissadas com a nossa gente.

Anônimo disse...

a foto da matéria é estarrecedora: três marginais pagos com dinheiro público reunidos com um servidor público pra defender interesse privado

num país sério os quatro já estariam na cadeia!!!!!!!!

Anônimo disse...

o JUBÃO defende sim a segurança do trabalho: DO PATRÃO

JUBÃO picareta agora tá organizando outro grupinho político com JOSÉ VITOR, ODON NAVES DE QUEIRÓS e outra renca de gente

Anônimo disse...

Márcio Marques no jornal GAZETA DO TRIÂNGULO

"VISITA
Na tarde de ontem, os vereadores Luiz Porcão e Aladino Costa, estiveram na redação da Gazeta em companhia do vice-prefeito Juberson dos Santos Melo, o Jubão. Na visita, um papo tranquilo e extremamente interessante no que tange à política e nossa querida Araguari. Todos expondo seus projetos e batalhas para o engrandecimento de Araguari. A impressão que eles me passaram foi a de que estão trabalhando e muito em prol do município. Parabéns e que este exemplo seja seguido por todos."

FAZ DE CONTA QUE A GENTE ACREDITA VIU Márcio Marques?

José Vitor disse...

Não sei se deveria responder ao "anônimo" aí. Gosto de acompanhar os debates, as ideias, as críticas e sugestões. No entanto, não sei por qual motivo o cidadão citou meu nome duas vezes de modo irônico.

Mas, respeito opiniões, mas quando se referem a fatos verdadeiros. Por isso, amigo anônimo, onde você encontrou essa informação que eu e o Odon estamos nos unindo ao Juberson?

Enfim, isso é apenas um questionamento, ok?

Mas sejamos íntegros, e pautemos pela verdade e sinceridade. Especulações, divagações e achismos não contribuem muito, não é mesmo?

Antônio Marcos, parabéns pelo blog.

Att.

José Vitor

José Vitor | emaildojosevitor@yahoo.com.br disse...

Enfim, depois de refletir, faz bem argumentar:

Eu não poderia concordar com esta situação do Governo, onde vivemos à mercê da tempo e ao sabor da sorte. Posso até rimar aqui: estamos sem Norte!

Sinto que o prefeito e seu vice se desentenderam, esbravejarem isso por aí, e, agora, se reaproximam sem explicações. Afinal, o que houve antes? O que aconteceu depois? O que mudou? Que fato ocorreu que os reconciliou?

Sinto, anônimo e todos os outros, que o grupo que deveria se formar e se levantar é aquele de pessoas de caratér, de princípios e de coragem (inclusive de mostrar a cara).

Não dá para mudar ou esperar mudanças com as mesmas peças, os mesmos nomes, as mesmas cabeças... Podem sim mudar o comportamento (coisa que não acredito, mas torço para que aconteça).

Não torço para que o Governo Marcão e Jubão se ferre, pois, convenhamos, quem se ferra de verdade somos nós.

Sobre grupos e possibilidades, só tenho que acrescentar que espero que tenhamos a oportunidade de nos encontrarmos, de nos conhecermos, de construir juntos um projeto, não apenas um grupo.

Um forte abraço,

José Vitor

Anônimo disse...

quem gosta muito de falar de projeto é sua excelência ALFREDO PASTORI