quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Mudanças no trânsito

Abre aspas para Márcio Marques, da coluna Em Resumo, Gazeta do Triângulo, 31/08:
TRÂNSITO

Em colunas passadas afirmei que não falaria mais sobre as mudanças realizadas no trânsito da cidade, mas não aguentei. Percebi nestes dias que além das alterações nas mãos de direção das ruas não ficarem nada funcionais para moradores, trabalhadores, comerciantes e visitantes, outro problema grave foi o aumento do fluxo de veículos na parte histórica da rua Aurélio de Oliveira. Acho que eles esqueceram que aqueles casarões tombados pelo patrimônio histórico não aguentariam o grande número de carros, camionetes e motos que agora, devido à maravilhosa mudança, circulam por aquela via. Acredito que pensaram pouquíssimo para realizar essas alterações, pois em conversa com pessoas que utilizam as vias diariamente, a proporção de insatisfação é de quase 85%. Um verdadeiro absurdo...


Pitaco do blog
Não se sabe como essas mudanças foram feitas. Aparentemente foram inoportunas, uma vez que realizadas antes da criação da Secretaria de Trânsito. Por que não aguardar a posse do novo secretário para implementá-las? Ou será que informalmente o novo secretário já teve participação nessas mudanças? Além disso, a inconveniência das alterações parece clara, na medida em que os próprios usuários estão reclamando.
O pior da notícia é o fato do aumento do trânsito na rua Aurélio de Oliveira, no centro histórico da cidade. Surge uma grande dúvida em  minha mente. Será que essa intensificação do trânsito não foi planejada pelo governo? O motivo da pergunta é simples. É que o aumento do trânsito pode servir para justificar o asfaltamento daquela via. Como o atual governo não demonstra muita preocupação com a preservação do patrimônio histórico e cultural da cidade, eu não duvido de mais nada...

17 comentários:

Aristeu disse...

Estes administradores ainda provocarão terremoto.

Anônimo disse...

Quando o assunto é as mudanças no trânsito, encontrar pelo menos 6 (seis) pitacos já é uma proeza. Ainda bem que o blog não pensa em IBOPE.

Anônimo disse...

Ah, esqueci de me identificar...
Rodolfo Paranhos.

Alessandre Campos disse...

Lei Complementar 034/04 - Plano Diretor

Art. 33 (...)
V- rever a hierarquia viária, considerando a estrutura urbana já instalada;(...) "

"Art. 34 (...)
V- instituir o sistema de sentido único nas vias que ofereçam risco com o sentido duplo
de tráfego, nos bairros e áreas centrais da cidade."

As mudanças privilegiam o pedestre, dando-lhe mais segurança.

O sistema adotado para os sentidos de mão de direção será o binário de mão única.

Entre 400 e 600 m poderá haver uma via de mão dupla, quando a via possuir capacidade viária e for necessário para garantir a fluidez de tráfego.

Jamais iremos privilegiar o veiculo encurtando seus itinerários para satisfazer apenas o comodismo do cidadão.

Todas as críticas embasadas serão bem recebidas e avaliadas, bem como, acatadas. Os erros que porventura existirem serão corrigidos, desde que apontados tecnicamente.

Só para esclarecer, na Rua Aurélio de Oliveira não há nenhum casarão tombado pelo patrimônio histórico. Por outro lado, esta via faz parte do sistema viário da cidade e não pode ser privilegiada ou transformada em via particular. Lembrando que antes era mão dupla, com riscos muito maiores para os casarões devido a grande possibilidade de acidentes.

O "jornalista iluminado" que publicou a nota, poderia ao menos pesquisar um pouco mais quando for emitir suas opiniões.

Alessandre Campos
arquiteto e urbanista
Funcionário concursado sem rabo preso
RT responsável pelas mudanças viárias

Anônimo disse...

Alessandre,

concordo que a Rua Aurélio de Oliveira não deve ser privilegiada, deve ser tratada como as demais. Não sei se trata de casarões tombados, mas existem casarões antigos naquela via, vide a casa da Dona Marlene Rodrigues da Cunha e duas outras em frente. Devo perguntar a você que tem conhecimento técnico e é RT das mudanças: Se houvesse um aumento considerável no tráfego devido as mudanças no sentido da via da Aurélio e com isto trouxesse algum risco para os casarões, o município privilegiaria o bem tombado ou ainda assim a privilégio é apenas do pedestre? Quando se tem um comércio na via, e as mudanças afetam fortemente o comerciante, o que pode ser feito?

Rodolfo Paranhos

Alessandre Campos disse...

Rodolfo Paranhos,

Para o seu conhecimento a própria d. Marlene não deixa tombar sua casa. Se tombar ela mesmo já declarou que derruba a casa. Fui presidente do Conselho de Patrimônio Histórico e posso te afirmar que EU privilegio o patrimônio tombado ou não. Sou contra o asfaltamento das ruas de pedra no entorno da Igreja Matriz, o que irá garantir uma menor velocidade nas vias.

A via anteriormente era mão dupla e exatamente, próximo da casa de Dona Marlene onde a via é bem estreita o índice de acidente e de risco era grande, tanto para os moradores quanto para os casarões. Em caso de acidente os veículos entrariam dentro das casas.

Com a mudança para sentido único e a descentralização do fluxo posso te garantir que o impacto ao patrimônio, mesmo não tombado, será minimizado.

Ninguém tem condições de informar se houve ou não aumento de fluxo na via, tendo em vista que a prefeitura não tem levantamentos de dados anteriores neste sentido.

Com relação ao comerciante, as vias apropriadas, de acordo com o Plano Diretor, são os Corredores Comerciais e de Serviço. Para o comercio local a via não poderá ser a única responsável pela melhoria ou não de vendas, isso depende de outras variáveis, tais como, bom atendimento, produtos de qualidade, preços competitivos, comércio condizente com a necessidade dos moradores do seu entorno, entre outros.

Temos que analisar o sistema viário como um todo e a segurança do pedestre ainda sobressai sobre qualquer outro interesse. Estamos tratando de vidas.

Estarei avaliando o fluxo da rua Aurélio de Oliveira próximo aos casarões e caso necessário medidas serão tomadas para garantir a proteção deste patrimônio. O que não podemos ter é mão dupla naquelas vias estreitas.

Obrigado pelos questionamentos e espero ter respondido.

Alessandre Campos disse...

Antonio Marcos,

Quando for publicar algo sobre o transito, se quiser informações oficiais e técnicas, esteja a vontade para enviar e-mail.

Anônimo disse...

Muito benvinda as mudanças, araguari cresceu e seu transito e numero de veiculos tambem, é só questao de acostumar com as novas mudanças, está bem mais seguro, até que enfim o novo modelo fez algo de bom.

Anônimo disse...

Alessandre, agradeço pelos esclarecimentos técnicos.
Independente dos aspectos técnicos, sabemos que, muitas vezes, as decisões são tomadas por critérios preponderamente políticos. Isso muitas vezes cria mais problemas que soluções.
Não discuto o lado técnico isoladamente. Provavelmente, as mudanças foram pensadas e, por óbvio, admitem a possibilidade de correção, se necessária.
Levo em consideração a informação do jornalista, segunda a qual vários usuários estão questionando o acerto das mudanças. Como bom democrata, vc e o novo secretário devem ouvir a população. Afinal, democracia não se faz somente com critérios técnicos. Tanto isso é verdade que modificações urbanísticas costumam ser precedidas de debates públicos.
Bem, de uma forma ou de outra, creio que mudanças realmente devem ser feitas. Entretanto, os efeitos dessas modificações só produzirão os efeitos desejados se foram acompanhadas de medidas educativas. Vamos acompanhar com atenção os atos do novo gestor. Se ele tiver independência e recursos financeiros suficientes, poderá melhorar o trânsito da cidade.
Marcos

Anônimo disse...

Alessandre, obrigado por se colocar à disposição para colaborar, prestando informações técnicas sobre questões urbanísticas. Não esperava outra postura de sua parte.
Infelizmente, vc ainda é uma exceção. Não tenho obtido êxito em pedido de informações junto ao poder público araguarino. Parece que estamos diante de uma sociedade secreta.

Anônimo disse...

Obrigado Alessandre, pelas informações.

Eu ainda não havia pensado sob esse aspecto de que essa mudança no sentido da Aurélio minimizaria os riscos aos patrimônios, você tem razão. Haja vista que a via agora, pode contar um espaço "maior" para o tráfego. Vejo também que essas mudanças valorizaram ainda mais o setor imobiliário e estarão contribuindo para o amplo desenvolvimento da cidade.

Pessoalmente, como trabalho em um comércio na Rua João Peixoto, uma das vias afetadas pela mudança de mão, não fui 100% favorável, pois; por mais que ofereça um produto e serviço de qualidade e demais outros que você mencionou, não deixa de ser trabalhoso dar a volta para chegar lá. A maioria dos nossos clientes reclamaram da dificuldade de chegar ao estabelecimento e muitas das vezes dão preferência a outros por ter mais fácil acesso.

Mas no geral, vejo com bons olhos as mudanças.

Rodolfo Paranhos

Alessandre Campos disse...

Sou um servidor público. Um funcionário da cidade, não de governos.

A minha intenção é ajudar a cidade.

Quem necessitar de informações ou querer entender as mudanças no trânsito e contribuir para as melhorias, estou a disposição para atender qualquer cidadão na Secretaria de Trânsito, sempre no horário matutino (das 7:30 as 11:00h) a Rua Esplanada, s/n (antigo prédio da RFFSSA).

Anônimo disse...

Alessandre...

sobre sua postura como servido público, prestando esclarecimentos (que esclarecem) deixo aqui a antológica frase de Vinícius de Moraes:

"Se todos fossem iguais a você..."

EDILVO MOTA
Araguarino genérico

Anônimo disse...

Bom dia, pessoal

Recentemente fui vítima de uma colisão devido a a mão dupla da Rua Dom Pedro II, e estou satisfeita com as mudanças, porém não sei se é o caso mas o Dep de transito deveria avaliar o estacionamento de apenas um lado da via pois mesmo com a mudança ainda observo que há risco de acidentes, pois estas ruas são muito estreitas.
PS. meu carro estava estacionado corretamente na via e um caminhão que estava passando levou meu retrovisor e arranhou o carro na lateral e não sou a primeira que passa por isso.

Mariana

Anônimo disse...

Pelo que se vê nos comentários, as mudanças podem ser benéficas. Acho que, após um tempo de maturação e com alguns ajustes, a situação ficará melhor.
A propósito, trago as explicações do Coronel Wilson ao jornalista Márcio Marques, do Gazeta:
"Márcio,
Boa tarde!!!!
Inicialmente parabéns pela coluna “Em Resumo” publicada no Jornal Gazeta do Triângulo pelo seu conteúdo ético e transparente.
A amargura acontece porque a solução para os nossos anseios não acontece na rapidez dos nossos pensamentos.
Com relação ao trânsito no entorno da praça da Matriz, assim que assumi a pasta da SETTRANS no último dia 22/Ago/2011 visitei o local, colhendo a demanda de algumas pessoas, inclusive junto aos comerciantes situados ao final da travessa Sete de Setembro, mais precisamente junto àquela bicicletaria e à empresa de arquitetura.
Visitei pessoalmente a residência da Sra. Marlene Rodrigues da Cunha, moradora de um casarão secular na rua Aurélio de Oliveira colhendo todos os seus anseios.
Certo é que sob o alicerce da gestão moderna, a partir de inovações deve ser feito o devido acompanhamento e o monitoramento corretivo, caso o assunto exija.
Assim foi feito.
Nesta semana mudamos a mão direcional da travessa 7 de Setembro, permitindo que os veículos que descem pela rua Coronel Lindolfo França e adentrem à praça da Matriz tenham a opção de subir ou descer a travessa ou seguir pela rua Dom Pedro II, desafogando assim o trânsito na rua Aurélio de Oliveira.
Toda a sinalização vertical e horizontal estão prontas no local.
Estamos, ainda, avaliando, a possibilidade de instalar na rua Aurélio de Oliveira um redutor visando diminuir a velocidade dos veículos que por ali transitam.
A resolução dos problemas afetos ao trânsito local necessita da participação efetiva e ativa de toda a população.
Colocando-me à disposição, despeço-me,
Atenciosamente,
José Wilson, Coronel PM
Secretário Municipal de
Trânsito e Transportes"

Fica o questionamento por que, enquanto uns agentes públicos procuram a imprensa para dar explicações, outros fazem o impossível para ocultar os fatos?

Marcos

Anônimo disse...

Alessandre, de modo geral sou favoravel as mudanças realizadas, mas em especial sobre a rua Aurélio de Oliveira no trecho anterior ao casario antigo, creio que a mudança foi um equivoco e não trouxe beneficio pratico.
Ali o maior fluxo de veiculos sao os vinculados ao Sindute e a UNIMED, e assim sendo, hoje quem chega para estacionar por ali vindos de qualquer direção, precisarão contornar pela Rua Rio Branco, em um trecho movimentado por causa de dois hospitais sendo um deles utilizado pelos alunos da UNIPAC que estacionam seus carros no trecho. Ainda havemos de observar que em breve no mesmo trecho será inaugurado um prédio residencial de médio porte que acrescentará um fluxo consideravel no trafego e que certamente trará transtornos ainda maiores para o trecho da Rua Rio Branco já citado.
O trecho que cito da rua Aurélio de Oliveira, certamente há muito necessitava do sentido unico de trafego, mas creio que teria sido mais util se o sentido fosse o inverso.

Atenciosamente.
Riberto de Sousa Junior.

Alessandre Campos disse...

Estarei avaliando todas as sugestões.
Todas mudanças necessitam de um tempo de acomodação do tráfego e avaliação.