quarta-feira, 13 de julho de 2011

Situação do Hospital Municipal é discutida em Brasília

Abre aspas para o Gazeta do Triângulo:
Uma comitiva composta pelo prefeito Marcos Coelho de Carvalho (PMDB), a secretária municipal de Saúde, Iara Cristina Borges e o procurador geral, Leonardo Henrique de Oliveira, tem viagem agendada para amanhã, dia 13, com destino ao Distrito Federal onde, com o apoio do deputado Paulo Piau (PMDB), irão se encontrar com Edson Pereira de Oliveira, assessor especial do Ministro da Saúde. Mais um importante compromisso que pode finalmente render bons frutos para os cidadãos araguarinos.

Clique aqui e leia o restante da matéria.
Pitaco do Blog
Este é mais um passo do governo na tentativa de colocar o Hospital Municipal em funcionamento. O objetivo das tratativas é tentar politicamente liberar a utilização do prédio do HM.
Vale lembrar que, por causa  de irregularidades na realização da obra, o município terá que devolver os recursos recebidos do governo federal, importância superior a 3, 5 milhões de reais. Assim, o primeiro passo é negociar formas mais suaves de devolução desses valores à União.
Os próximos passos não serão menos complexos. Dependerão do ingresso de novos recursos estaduais e/ou federais. O município terá que adequar as instalações do prédio para o uso como hospital. Além disso, terá que assegurar recursos suficientes  para o funcionamento e manutenção do hospital.
É preciso que a sociedade acompanhe com atenção essas tentativas. O funcionamento do HM pode amenizar parte dos problemas de saúde do município. Além disso, não poderão ser cometidos novos erros que venham a onerar futuramente os cofres públicos.

15 comentários:

Ianis disse...

UBERLÂNDIA-MG, 13 de julho de 2011.

Prezado Marcos,

Aqui nos alfarrábios:

(...)
Diante de um problema a resolver ou de uma não-conformidade, muitas vezes ficamos em dúvida sobre o que é uma ação imediata, preventiva ou corretiva.
(...)


A ISO9000 identifica claramente três tipos, a Ação Imediata, a Ação Corretiva e a Ação Preventiva...

Ação Comitiva ?! É pode ser. Pode ser.

Ação Punitiva, nem sonhar né ?!

Eu pagarei, tu pagarás, ele continuará apropriando.

Nós pagaremos, vós pagareis, e eles continuarão apropriando.

Essa conjugação é uma mamata.

Atenciosamente,
Janis Peters Grants.

Anônimo disse...

Mais um feito do Sr. Ex Prefeito Marcos Alwim, para os cofres da prefeitura!!!

Grande prefeito este Marcos Alwim que deve estar com os bolsos cheios de dinheiro, melhor do nosso dinheiro e nós sem um local digno para atendimento hospitalar.

Iconoclasta disse...

Não podemos esperar muita coisa de uma comitiva formada por um ogro e uma analfabeta política.
Se vão até a capital federal no intuito de fazer funcionar o Hospital Municipal, com a capacidade de articulação política dessa turminha ai, vai correr o risco do prédio do Hospital Municipal não poder ser usado nem mesmo para um Pronto-Socorro como já almejam.

Aristeu disse...

Comissão, eles vão querer comissão!

garliene arts disse...

"Nós pagaremos, vós pagareis, e eles continuarão apropriando.
Essa conjugação é uma mamata".(Janis Peters Grants.)

E já adiantando os numerários continua circulando e todos na mamata. Rummmmm =S

MARIA DO CARMO disse...

A historia da abertura do hospital municipal vai além da sua abertura.
Caso o nosso dignissimo prefeito consiga a liberação e o não pagamento da divida que ele diz ser de R$4.000.000,00.
Com que recursos humanos ele conta?
Na época, o ex prefeito não tinha recurso para contratação do quadro de funcionários. O que se pretendia era conveniar-se com a UNIPAC.
Hoje a UNIPAC faz campo de estagio na Santa Casa.
Será que teriamos a UNIPAC como parceira
Duvido!

Anônimo disse...

Em 2007, como secretário de saúde, participei do grupo de trabalho que elaborou o plano de gestão do Hospital Municipal, inclusive com o cronograma físico-financeiro de custeio. Éramos 6 membros (2 da secretaria de saúde, 3 da Unipac e 1 da UFU). O projeto foi elaborado a CUSTO ZERO para o Município.

A UNIPAC seria co-gestora, participando inclusive com professores médicos, enfermeiros e nutricionistas nas atividades hospitalares.

Mesmo com esse apoio, o Município dependeria de uma dispêndio mensal da ordem de R$ 230.000,00 para atingir o ponto de equilíbrio (Receitas - Despesas = 0).

O projeto foi entregue ao prefeito. Sugeri gestões junto ao governo do Estado, para financiamento das operações. Inclusive elaborei o ofício que foi entregue, em mãos, ao então secretário de Estado da Saúde (hoje deputado federal) Marcus Vinícius Caetano Pestana, no dia 17.11.2007, em evento na AMVAP-Uberlândia.

O Município estava com o Alvará de Funcionamento, expedido pela SES-MG, em mãos. Porém, não houve esforço político junto ao governo estadual.

Este é um breve "resumo da ópera".

Desde sua concepção, o Hospital Municipal padece de DESCASO e OMISSÃO, tanto nas hostes políticas quanto no seio da sociedade civil organizada.

Neste episódio há mais culpados (alguns por ação e muitos por omissão) que se imagina.

Os culpados por ação devem responder, civil e criminalmente, na forma da lei.

Os culpados por omissão devem rever seus discursos oportunistas e pensar duas vezes antes de posarem de arautos da cidadania; inclusive antes de se lançarem candidatos a prefeito pra 2012.

EDILVO MOTA

Anônimo disse...

Edilvo, importante essa informação sobre a existência de um projeto de parceria com a Unipac. Acredito que, se o prefeito conseguir remover os entraves políticos e técnicos, a parceria com organizações privadas pode ser uma saída para colocar o HM em funcionamento.
Às vezes, eu sou chato batendo na tecla da legalidade. Mas vejam. Para licitar o HM, era preciso demonstrar a existência de disponibilidade orçamentária para colocá-lo em funcionamento. O ex-prefeito não fez isso. No entanto, todo mundo fingiu que não viu. Deu no que deu.
Estou vendo o filme se repetir. O governo atual vem construindo alguns ESF's e uma Policlínia. Fala-se, inclusive, na construção de uma UPA (que não é nenhuma brastemp, conforme já estamos vendo em Brasília). Pois bem: como colocar essas unidades para funcionar? Não basta estourar champanhe e cortar fita de inauguração. Sem médicos e outros profissionais de saúde, nada funciona.
Marcos

Anônimo disse...

Marcos... é por aí.

Mais que siglas e prédios, a Saúde Pública precisa de orçamento adequado, investimentos em pessoal (contratação via concurso e qualificação) e GESTÃO eficiente, comprometida com os princípios elementares da Administração Pública e do SUS.

Gestores submissos, apaniguados e sem luz própria condenam o sistema a permanecer inerte.

Não existe mágica para solucionar todos os problemas da Saúde, como geralmente imaginam nas campanhas políticas. Porém, é possível minimizá-los, adotando condutas coerentes com a boa prática gerencial, dentro das premissas e dos limites da lei.

EDILVO MOTA

Iconoclasta disse...

"a Saúde Pública precisa de orçamento adequado" Com essa turma que nem faz as devidas prestações de contas. Vishe!

"investimentos em pessoal (contratação via concurso e qualificação)" Vishe! Não serve processo seletivo não?


"GESTÃO eficiente" Vishe! Ai vc está exigindo demais!

Iconoclasta disse...

Alguém ai sabe do retorno do ogro e da analfabeta politica da capital federal? Segundo informações o ogro reuniu-se como o deputado Tiririca para aprender como tornar um político carismático, e quanto isso a analfabeta política foi ter aulas de política com a mulher do Roriz. Que tragédia!!!

Alguém lembra?

http://www.youtube.com/watch?v=zkKMlkjNrTw&feature=related

Anônimo disse...

uberlãndia cometeu o mesmo erro de araguari em tempos passados construiu um prédio que foi embargado pela ministério da saúde -de lá até os dias de hoje se encontra instrumentos cirurgicos em processo de deteriorização mas-o prefeito muito esperto construiu outro bem sofisticado com tecnologia de ponta e deixando o embargado eentregue as traças pq o marcão não faz o mesmo

Mirian disse...

Ô Edilvo, não se esqueça que sua turma está com processo no Ministério Público Federal!!! o bicho vai pegar! vai demorar mas vai pegar!! já fizeram o penhor dos bens! como o ilustre marcos alvim tem laranja de montão, escapou ileso por enquanto.

Anônimo disse...

Mais uma vez, algum dos vários desocupados da prefeitura escreve asneiras. Utilizando como pseudônimo o nome de duas grandes servidoras públicas com as quais convivi.

Vai continuar no anonimato, como sempre. De beiço caído, de cara fechada, morrendo de vontade de tirar o rabo do meio das pernas, mas sem autonomia, preso(a) que está à coleira do chefe (ou da madrinha).

Essa mania de quem frequenta pocilga política, varando madrugada esparramando panfleto pra "fazer parte da turma" acaba contagiando. Vira neurose crônica

Não faço parte de turma alguma. Nem antes, nem agora. E tive o prazer de recusar fazer parte da turma da "Mirian" também.

Espero que este e todos os processos no Ministério Público Federal seja esclarecidos. Inclusive os que logo, logo por lá aparecerão. Novíssimos!!

Apenas sugiro aos incautos que moderem as ilações. Comigo não cola, porque não tenho rabo preso. Mas, vai que de repente tem mais gente apanhando (de novo) na rua, de gente com menos isenção e menos paciência que eu.

Seria lamentável que isso ocorresse, de novo!

Por outro lado, ontem ouvi de fonte fidedigna, histórias escabrosas sobre certos membros da atual administração.

Alguns dos desocupados (citados) certamente vigiam dia e noite esse blog.

No final, ao menos um proveito tirarão: aprenderão um pouquinhjo sobre independência, transparência e cidadania.

EDILVO MOTA
Araguarino genérico

Mirian disse...

Incite mesmo as brigas e os atos de violência cometidos pelo seu ex-patrão cúmplice!!! Que em atos de desespero, e sei lá se de uma overdose, acha que pode resolver tudo na "mão". Há uma justiça maior que a dos homens, da qual nenhum de vocês pode escapar. Nesse tribunal não haverá falhas e nem injustiças. Se você é um ateu paciência!!!