sexta-feira, 29 de julho de 2011

Parabéns, Mauá!

Hoje, o nosso incontido e temerário Batalhão Mauá completa 73 anos de existência. As histórias da engenharia militar e a de Araguari não seriam as mesmas, tão belas, se não existisse aquela organização militar.
Entre julho de 1982 a dezembro de 1984, tive a honra de servir a essa unidade. Ali, aprendi valores que tento cultuar até hoje. Deixo meu preito de gratidão a todas as pessoas com quem convivi naquela valorosa unidade militar.  Agradeço a todos nas pessoas dos então sargentos Vagner e Evilázio e dos funcionários civis Benedito Troncha e João Rosa. Foi ao lado deles, na Seção de Fiscalização Administrativa do então 2º Batalhão Ferroviário, que aprendi o imenso valor de simples gestos de cordialidade, bem como a importância do controle das despesas de um órgão público. Na minha carreira no serviço público, sempre tentei seguir essa trilha e, hoje, percebo que, talvez por essa influência, passei a maior parte do tempo atuando em órgãos de controle da gestão pública.
É, pois, momento de parabenizar a todos os integrantes daquela corporação. Que ela siga abrindo trilhas de sucesso e pavimentando o progresso não somente de Araguari, mas de todo o país.

3 comentários:

Anônimo disse...

Prezado Marcos, formo fileira contigo na homenagem ao 11º BEC (2º Batalhão Ferroviário).

Somente quem como nós e outros amigos, como Aristeu, teve a HONRA de servir (de verdade) ao país envergando a farda do Exército Brasileiro, e o fez com a devida decência, pode compreender conceitos como HONRA, COMPANHEIRISMO, LEALDADE, RESPEITO, MORALIDADE, HONESTIDADE e DESTEMOR.

Servi como sargento de Comunicações no 36º Batalhão de Infantaria Motorizada, em Uberlândia. Meu relacionamento com o então 2º BEF ocorria, principalmente, nas competições de futebol da Brigada.

O exemplo que apreendemos na caserna, trouxemos para a vida civil. Muitos nos criticam pelo conservadorismo e "ingenuidade", outros tantos não entendem nossas posturas. Porém, ninguém consegue nos afrontar, publicamente, sem receber o troco na medida exata, com civilidade e dentro da lei.

PARABÉNS, BATALHÃO FERROVIÁRIO !!!

Edilvo Mota
Araguarino genérico

Aristeu disse...

Marcos,

Senti-me novamente um garoto de dezoito anos fardado também de esperança. Passei muita coisa boa no Segundo Batalhão Ferroviário nos anos de 80 e 81, coisas estas que nortearam meus procedimentos cidadãos e o meu futuro. É uma unidade militar de grande conceito na cúpula da Força, pois ela transforma palavras em obras.
Gostei de você falar no Sargento Vagner, pois eu o admirava muito. Ele, filho de Coronel, que inclusive foi Comandante do Batalhão, engrandecia as praças com um procedimento irmão.
Salve o nosso incontido e temerário!

garliene arts disse...

PARABÉNS, BATALHÃO FERROVIÁRIO !!!