quarta-feira, 20 de julho de 2011

Má prestação do serviço de transporte coletivo

Abre aspas para Márcio Marques, Em Resumo, Gazeta do Triângulo, edição de hoje:
"ABANDONO

O araguarino que precisa esperar o transporte coletivo municipal nos pontos espalhados pela cidade, não tem um mínimo de respeito, pois os locais demarcados para o embarque de passageiros são, em sua maioria, em lugares sem a mínima condição de espera. Pontos sem cobertura, em passeios de terra e até mesmo no meio do mato. Além disso, a situação se agrava pelo fato de os motoristas de veículos de menor porte estacionarem seus carros bem no local onde o ônibus realiza o embarque dos passageiros. Falta um pouco mais de carinho dos ‘palacianos’ com os araguarinos e também a conscientização dos proprietários de veículos automotores em não parar em local reservado, ou melhor, falta uma fiscalização adequada para que isso não aconteça.".

Pitaco do Blog
Acho que o colunista foi até gentil ao dizer que Araguari possui um serviço público de "transporte coletivo". Na verdade, quem necessitar desse tipo de transporte está, literalmente, a pé. Como diz o ditado, "tudo na vida passa, menos o coletivo em Araguari".
Não sou especialista no assunto, mas vejo, entre outras, as seguintes falhas:
1. demora excessiva nas paradas;
2. falta de condições mínimas das tais paradas (coberturas, assentos, cesto de lixo, etc.);
3. insuficiência de linhas  e horários (na verdade, falta de planejamento);
4. ônibus em mal estado de conservação (será que o edital de licitação exigiu que os ônibus fossem novos?);
5. mal atendimento dos usuários, em especial dos idosos e deficientes (falta de rampas de acessibilidade e exigência de preenchimento de documentos por idosos com o ônibus em movimento);
6. concorrência predatória do serviço de mototáxi, que, na verdade, não presta serviço de transporte coletivo; e
7. omissão da Prefeitura na fiscalização da execução do contrato (na verdade, quem dá as cartas é a direção da empresa contratada, como se viu recentemente na exigência de que os idosos preenchessem declarações com o ônibus em movimento);
8. alto custo do serviço para os usuários.

5 comentários:

Ianis disse...

UBERLÂNDIA-MG, 20 de julho de 2011.

Prezado Marcos,

Será que um dia, o Distrito Industrial terá linhas funcionais, com horários e itinerários bem planejados à necessidade dos Trabalhadores que AINDA entendem mais viável o bom uso dos pés, ou de uma bicicleta, atravessando diariamente a Rodovia ?!

Certamente que neste dia, agregar-se-há também o Vale Transporte ao cotidiano destes Cidadãos...

E nós, sonhando com nosso direito ao Passe Livre... ( Quase chegando! )

Atenciosamente,
Janis Peters Grants.

Aristeu disse...

E o preço? Alguém sabe me dizer o valor da viagem?

Anônimo disse...

Araguari, é uma cidade que realmente anda à pé.
Em todos os sentidos.

Anônimo disse...

Sem contar com que alem de termos um transporte coletivo de péssima qualidade não tem onibus suficiente para atender. Isso estou falando de onibus novos ou semi novos e não estas sucatas velhas que vivem quebrando. Atualmente só tem um com acessibilidade para deficientes e sempre esta mais quebrado do que rodando. Para se ter idéia em Patos de Minas já existe mais de 15 onibus adaptados para deficientes ! E o Mercado Municipal (Terminal????) um lixo sem abrigo para os usuários sem contar a sujeira e quantidade de cachorros que por ali perambulam. É o cartão de visitas de Araguari ? Em pleno centro da cidade? é uma vergonha@!!!!!!!!!!

Anônimo disse...

meus parabens a vocês blogueiros por apontar as falhas de nosso administradores estão assim contribuindo com o descaso com nossa comunidade
e suas tantas falhas á serem corrigidas e com máxima urgencia-fazendo as vêzes de nossos desplicentes vereadores.