quarta-feira, 1 de junho de 2011

Saúde Pública: muitos culpados e nenhuma solução

O vereador Werley Macedo usou a tribuna da Câmara para tecer críticas à Saúde Pública do município. Questionou o fato de o serviço ser mal prestado mesmo a Prefeitura tendo 50 médicos contratados (30 a mais que a Santa Casa). Alegou que existem mais de 5 milhões em equipamentos parados no Hospital Municipal. Numa parte, ele tem razão. Na outra, não.
Na minha opinião, ele está corretíssimo ao questionar a má gestão dos recursos públicos na Saúde Pública. De fato, entre outras irregularidades, existem equipamentos não utilizados enquanto o município paga altas somas a empresas privadas para realizar exames de raios X e mamografia, por exemplo. Igualmente, está claro o mau gerenciamento dos recursos humanos. Existem médicos, mas parece que boa parte deles não cumpre as jornadas de trabalho. Isso explicaria em parte o mau funcionamento dos Postos de Saúde da Família e a falta de plantonistas no Pronto Socorro Municipal (na segunda à tarde, por exemplo, em vez de quatro, tinhamos apenas um médico atendendo à população).
Agora, o ponto em que ele está errado. A maior parte da "culpa" pelo não funcionamento do Hospital Municipal cabe ao ex-prefeito Marcos Alvim. Foi dele a iniciativa de construção do HM sem a prévia garantia de funcionamento (prévia existência de recursos para funcionamento e manutenção da instituição, como determina a Lei de Responsabilidade Fiscal). Ainda, Alvim é um dos responsáveis pelas irregularidades e desvios na realização da obra, bem como pela aquisição de equipamentos que não poderiam ser utilizados (porque o uso das instalações do HM já estava condenado). Se agiu intencionalmente ou não, é algo que será esclarecido judicialmente. No ponto, vale lembrar que o vereador Werley Macedo integrou a base aliada do ex-prefeito. Assim, ao lado de outros vereadores, inclusive do atual vice-prefeito, Jubão, ao invés de fiscalizar os atos do Executivo, fez vistas grossas para as irregularidades praticadas pelo ex-prefeito. Se, à época, ele  tivesse a mesma preocupação com a população, a novela HM poderia ter um final feliz.
Em suma, não há santos nessa história. Todos, situação ou oposição, têm sua parcela de culpa. Resta agora uma soma de esforços para solucionar os graves problemas da Saúde Pública. Preferencialmente, sem pirotecnias pré-eleitorais. De qualquer forma, vale o alerta: não adianta resolver uma irregularidade praticando outras. Isso custará mais caro ainda para a população.

15 comentários:

Anônimo disse...

O "Novo Modelo" já deu o primeiro passo para regularizar o programa saúde da familia(PSF)

Copie e cole o link abaixo no seu navegador

http://imageshack.us/f/854/psf.jpg/

Colenghi disse...

KKKKKK!
Boa tirinha, apesar da seriedade do caso. Mas rir ainda é o melhor remédio!

Anônimo disse...

Postei, no meu blog, opinião sobre a nova temporada de uso politiqueiro do SUS:

http://saudenatela.blogspot.com/2011/06/saude-publica-de-novo-demagogia-e.html

Edilvo Mota (ainda sem acesso pelo Google)

Aristeu disse...

A culpa é do doente que não se cuidou!

Anônimo disse...

Marcos concordo com voce em tudo o que foi explicado, mas a população continua culpando apenas aquele que esta na gestão, grande burrice, pois sabemos exatamente que é mais fácil sentar no rabo e falar mal do outro, quando na realidade contribuimos e recebemos por isso para nos fazer de omissos, e cade o gestor da saúde da epoca do MA para também ser cumplice, sumiu ou prefere falar que fez tudo politicamente correto.

Anônimo disse...

Contextualizando:

Nos dois mandatos de Marcos Alvim, 03 gestores ocuparam a pasta: de janeiro/2001 a dezembro de 2004, Maria da Penha; de janeiro/2005 a março/2008, eu, Edilvo Mota; de abril/2008 a dezembro/2008, Ana Regina.

Respondo apenas por mim. Realmente, não fiz tudo politicamente correto. Me preocupei em agir de modo JURIDICAMENTE correto, cuidando da coisa pública com o esmero técnico exigido.

Se houve cumplicidade, de minha parte, foi com as questões operacionais e legais, jamais transigindo mesmo sob pressão de vereadores, grupos empresariais ou "amigos do prefeito" que pensam que a coisa pública é domínio privado.

Justamente, por ter agido com o rigor e a lisura que todo cargo público exige (e nem sempre é observado) é que não tenho receio de me manifestar publicamente, sem medo de retaliações deste ou daquele governante, deste ou daquele amigo do rei.

Ademais, cuidei de aperfeiçoar meus conhecimentos sobre o Sistema Único de Saúde, para não repetir a velha cantilena de quem fala mal do que não conhece.

Finalizando, continuo à disposição de qualquer cidadão, entidade ou órgão público (Câmara Municipal, Ministério Público, Poder Judiciário, Tribunais de Contas, CGU, etc, etc) para prestar esclarecimentos sobre MEUS atos como gestor da saúde pública do município.

Não prevariquei, não pratiquei um ato qualquer que contrariasse as leis do país, paguei um preço caríssimo por não ceder às pressões. E saí da função pública com a vida tão limpa quanto entrei. E isso não é vantagem, era minha obrigação.

Não há dinheiro que pague o prazer de não precisar me esconder no anonimato...

EDILVO MOTA, 52 anos
* Bacharel em Ciências Contábeis, pela Universidade Federal de Uberlândia-UFU
* Especialista em Administração de Saúde, com foco em Administração Hospitalar e Saúde Pública, pela Universidade de Ribeirão Preto-UNAERP
* Aperfeiçoamento em Gestão de Projetos de Investimento em Saúde, pela Fundação Oswaldo Cruz-FIOCRUZ
* Experiência em gestão de saúde, desde 1995
* Auditor e perito contábil judicial
* Professor universitário nos cursos de Administração de Empresas, Enfermagem, Nutrição e Farmácia

Ianis disse...

UBERLÂNDIA-MG, 2 de junho de 2011.

Prezado Edilvo,

Ter que sobreviver no anonimato deve ser muito triste...

Atenciosamente,
Janis Peters Grants.

Colenghi disse...

Prezado anônimo do dia 1 de junho de 2011 23:18
A té mãe preta foi mais capaz que o Novo Modelo.
Vocês perderam o PSF, derrubaram eucaliptos, tiveram problemas com o mamógrafo, perderam verbas federais etc...etc...etc.
Da má administração dos recursos ao trato com funcionalismos, vocês são de longe o pior governo que já passou por aqui.

Anônimo disse...

Não defendo nem ataco governo algum; nem aquele do qual participei, nem este.

Mas, numa coisa, tenho que admitir, o atual governo conseguiu mais na Saúde. Em 29 meses, já são 04 secretários na saúde.

Em quantidade, ganha longe de qualquer outro...

Edilvo Mota

garliene arts disse...

MARCOS , EDILVO E AMIGOS. Cabe a nós enfrentarmos as mentiras e distorções sobre a SAÚDE , o que tanto assustam o cidadão comum e mal informado. Espalhamos a verdade! O FATO QUE A FARRA DAS RECEITAS E DOS EXAMES incomodou e incomoda mesmo, ir pro ralo sem rumo nenhum, ou seja sem beneficio pra população, incomoda mesmo. Mas porque os mentirosos e enganadores têm dinheiro para pagar por estes prestimos, dinheiro vindo de corrupção, estamos indgnados com tudo exposto a olhos de qualquer um . E acredite ainda continua e nós a população que pagamos caro por isto, pois ficamos sem um bom atendimento na SAÚDE , NA EDUCAÇÃO, NA SEGURANÇA.

Carlos pereira disse...

Marcão quer fazer tudo agora...de melhor para população mas o que? à popularidade dele é péssima,acredito que mesmo se comprar voto...ele não volta.

Anônimo disse...

quantos garotinhos nos esquemas de corrupção aí

Anônimo disse...

Iara Borges piorou a situação da saúde, perseguiu funcionários. Ela não dá conta da pasta.
Aliás...Iara Borges...Ronaldo cesár Borges...São parentes?

Anônimo disse...

Graças a Deus já ta acabando....

Anônimo disse...

Elogios para o prefeito.
Parabéns pela honestidade!...